A AÇÃO QUE ESTÁ REVOLUCIONANDO A INFRAESTRUTURA DO BRASIL E PODE SUBIR 50%. BAIXE UM MATERIAL GRATUITO

2019-04-22T09:34:00-03:00
Estadão Conteúdo
Mudanças à vista?

Projeto eleva isenção do IR para cinco salários mínimos

Faixa do imposto de renda é de R$ 1.903,98 em 2019. Os descontos são de 7,52%, 15%, 22,5% ou 27,5% sobre o valor dos rendimentos a partir deste valor.

22 de abril de 2019
9:34
Site da Receita Federal para declaração do imposto de renda
Imagem: Reprodução

Na esteira da Câmara dos Deputados, o Senado Federal também pretende votar mudanças no sistema tributário brasileiro. Projeto de lei do líder do MDB no Senado, Eduardo Braga (AM), amplia para cinco salários mínimos (R$ 4.990,00) a faixa de isenção do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF). Para compensar a queda na arrecadação, o projeto acaba com a isenção que é dada hoje para lucros e dividendos distribuídos por empresas a seus sócios e acionistas.

Hoje, a faixa de isenção do imposto de renda é de até R$ 1.903,98. A partir deste valor, os descontos são de 7,5%, 15%, 22,5% ou 27,5% sobre o valor dos rendimentos. A última alíquota é aplicada para quem ganha acima de R$ 4.664,68. Com a mudança, a estimativa é que cerca de 12,3 milhões de contribuintes passariam à condição de isentos. O aumento da faixa de isenção para cinco salários mínimos foi uma promessa de campanha do presidente Jair Bolsonaro.

"O meu projeto prova que é possível fazer com aumento de arrecadação", diz o líder do MDB. Segundo ele, o partido, que tem a maior bancada no Senado, vai, passada a Páscoa, discutir temas econômicos para acelerar as propostas. O projeto prevê um ganho de arrecadação líquido de R$ 26,8 bilhões a R$ 42,2 bilhões, a serem divididos com Estados e municípios, já que o IR é repartido pela União com os governos regionais.

A ideia é afinar o discurso também com a bancada do MDB na Câmara. Na busca de protagonismo, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), já negociou no início do mês a apresentação de uma proposta de emenda à Constituição (PEC) de reforma tributária pelo líder do MDB, Baleia Rossi (SP).

Plano
Pelo projeto de Braga, a tributação acima de cinco salários mínimos seria unificada em 27,5%, a alíquota máxima da atual tabela. Para garantir o princípio de progressividade, os contribuintes poderiam deduzir a parte que é isenta até cinco salários mínimos. Ou seja, quanto maior a renda, maior a alíquota efetiva. Cálculos feitos para a elaboração do projeto, que contou com consultores do Senado, mostram que a pessoa que tem rendimentos mensais de R$ 7,5 mil teria o imposto reduzido de 15,9% para 9,2%. A redução para quem ganha R$ 10 mil mensais seria de 23,15% para 20,63%.

O projeto prevê uma taxação de 15% dos lucros e dividendos, a mesma alíquota incidente hoje sobre os ganhos da maioria das aplicações financeiras e em operações com ações. Dividendo é o pagamento que os acionistas de uma empresa recebem pelo lucro gerado. Hoje, os acionistas não precisam pagar impostos sobre os dividendos.

Pelo projeto, micro e pequenos empresários com renda anual de dividendos e lucros distribuídos abaixo do limite de isenção da tabela progressiva aplicada aos rendimentos do trabalho, no valor de R$ 59.998,00, poderão ter restituído o imposto retido na fonte. A proposta considera também a redução de 15% para 13,5% da alíquota padrão do IRPJ. O adicional de 10% do IRPJ que existe hoje cairia para 7,5%. Já a Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) não seria alterada.

Por outro lado, o benefício fiscal concedido às empresas no pagamento de Juros sobre Capital Próprio (JCP) seria extinto, como também as isenções concedidas para estimular os investidores a optarem por ativos financeiros. Assim como os dividendos, os juros sobre capital próprio também são uma forma de distribuição dos lucros de uma empresa aos seus acionistas. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

LEVANTANDO DINHEIRO

Petrobras (PETR4) quer tomar até R$ 3 bilhões em dívida no mercado

19 de agosto de 2022 - 10:05

Segundo a Petrobras (PETR4), dinheiro será usado para reforçar o caixa e financiar operações de rotina da companhia

MERCADOS AO VIVO

Bolsa hoje: Ibovespa segue em queda e acompanha o exterior; dólar sobe

19 de agosto de 2022 - 9:05

RESUMO DO DIA: O dia começa com a agenda esvaziada e sem grandes destaques; as bolsas operam sem direção definida nesta sexta-feira (19). Os investidores ainda se preocupam com a inflação da Europa. No Brasil, a atenção divide-se entre o cenário eleitoral e os temores em relação aos próximos passos do Federal Reserve (Fed). Os […]

SEM PIEDADE COM O MERCADO

Tragédia em criptomoedas: HUSD, stablecoin da Huobi, perde paridade com dólar e bitcoin (BTC) começa o dia em queda de 8% e encosta nos US$ 21 mil

19 de agosto de 2022 - 8:36

Dados do Cryptorank mostram que foram liquidados mais de US$ 552 milhões em moedas digitais nas últimas 24 horas nas principais exchanges do mundo

CENTRAL DAS ELEIÇÕES

Eleições 2022: Bolsonaro diz que zerou imposto para whey protein, mas pode não ser bem assim

19 de agosto de 2022 - 8:35

Acompanhe a cobertura ao vivo das eleições 2022 com as principais notícias sobre os principais candidatos à Presidência e nos Estados

CAÇADOR DE TENDÊNCIAS

Swing trade na B3: Oportunidade de lucro de mais de 8% com ações do Grupo Pão de Açúcar (PCAR3); confira a recomendação

19 de agosto de 2022 - 8:22

Identifiquei uma oportunidade de swing trade baseada na análise quant – compra dos papéis do Grupo Pão de Açúcar (PCAR3).

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies