Menu
2019-07-10T11:48:27-03:00
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
Protagonismo

Maia: reforma tributária divide a federação e unifica a sociedade

Presidente da Câmara, Rodrigo Maia, esteve na instalação da Comissão Especial da reforma tributária e destacou o protagonismo da Câmara

10 de julho de 2019
11:48
Maia reforma tributária
Presidente da Câmara, Rodrigo Maia, durante instalação da Comissão Especial da reforma tributária - Imagem: Cleia Viana/Câmara dos Deputados

Enquanto não assume a sessão que vai voltar a reforma da Previdência, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, compareceu à instalação da Comissão Especial que vai discutir a reforma tributária, a PEC 45.

Em breve discurso, Maia ressaltou que a decisão do governo Jair Bolsonaro de governar sem coalização no Congresso, fortalece o papel o Parlamento, que tem assumido sua responsabilidade e protagonismo, e dá maior liberdade para que a Câmara possa colocar suas pautas e os pontos de vistas dos deputados.

Segundo Maia, o desafio da reforma tributária é diferente do desafio da Previdência, pois a mudanças nas regras previdenciárias unificam a federação e dividem a sociedade, já as mudanças tributárias dividem a federação e unificam a sociedade.

“Nosso desafio é harmonizar as divergências para que se consiga, como na reforma previdenciária, ter um texto que organize melhor o sistema tributário”, disse.

O texto que será discutido pelos parlamentares tem com base a proposta do economista Bernard Appy e foi escrito pelo deputado Balei Rossi (MDB-SP). A proposta acaba com três tributos federais (IPI, PIS e Cofins) e cria uma regra para extinguir o ICMS, de competência estatual, e o ISS, dos municípios.

No lugar desses impostos sobre o consumo, entra o Imposto sobre Operações com Bens e Serviços (IBS) de competência de municípios, estados e União, além de um outro imposto, sobre bens e serviços específicos, esse de competência apenas federal. O prazo de transição estimado é de dez anos.

A reforma tributária está na agenda prioritária de Rodrigo Maia assim que for vencida a votação da Previdência. No entanto, o Senado Federal também vai discutir uma reforma tributária e há o desenho de uma proposta pela equipe econômica do governo.

Na Câmara, a presidência da Comissão Especial, que conta com 43 membros, ficou com o deputado Hildo Rocha (MDB-MA) e a relatoria com o deputado Agnaldo Ribeiro (PP-PB), que já disse que vai criar sub-relatorias.

Maia também disse que vai encaminhar discussões sobre outros dois temas. Ações para melhoria da eficiência do Estado e resultados mais efetivos dos programas sociais.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

VÍDEO

É hora de investir em commodities? Saiba tudo sobre o novo ciclo de alta

Alta das commodities impacta diretamente as economias emergentes; saiba mais no vídeo do analista Matheus Spiess, da Empiricus

acompanhe

LIVE: Tudo sobre a melhor semana de cripto da história

Vitreo e Empiricus transmitem conversa sobre semana histórica para o investimento em criptomoedas

Recuperação à vista?

EUA pisam fundo na vacinação e economia responde entre fevereiro e abril

Confira os destaques do Livro Bege para o período de imunização acelerada e fortalecimento dos gastos dos consumidores

Crescimento gringo

BofA passa a recomendar compra de ação da MRV, otimista com atuação da empresa nos EUA

Banco incorporou avaliação da AHS à sua análise e considera que potencial de crescimento da empresa ainda não está precificado

Ninguém escapa

Cenário turbulento afeta até mesmo os IPOs da saúde, um dos setores preferidos dos investidores

Empresas com ofertas ambiciosas tiveram de reduzir suas estimativas de preços ou adiar datas para seguir com as operações

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies