Menu
2019-07-04T18:04:13-03:00
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
Reformas

Votação da Previdência em dois turnos antes do recesso começa a ganhar contorno

Já há conversas para fechar acordo em torno da chamada quebra de interstício entre o primeiro e segundo turno de votação em plenário

4 de julho de 2019
18:04
Rodrigo Maia
Presidente da Câmara dos deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ) - Imagem: Pablo Valadares/Câmara dos Deputados

O parecer do deputado Samuel Moreira (PSDB-SP) ainda não chegou oficialmente ao plenário na Câmara dos Deputados, mas já foram detectadas conversas sobre possível acordo de lideranças para a chamada quebra de interstício. O que facilitaria a aprovação total da reforma da Previdência antes do recesso parlamentar.

Pelo regimento interno na Câmara, entre o primeiro e segundo turno de votação teria de ocorrer uma “pausa” regimental de cinco sessões, o interstício. As discussões são para garantir o acordo de lideranças e/ou as assinaturas necessárias para levar à quebra do interstício.

A indicação é bastante positiva e mostra que o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, dispõe com certa folga dos 308 votos necessários à aprovação do texto. O problema, como sempre, mora nos detalhes, entre ele as manobras protelatórias que podem ser feitas em plenário. Por isso, por enquanto, se atribui maior probabilidade de que ocorra a votação em primeiro turno até o recesso, com o segundo turno ocorrendo em agosto.

Em tese, com quebra de interstício garantida, seria possível voltar a Previdência em dois turnos já na semana que vem, poupando tempo, por assim dizer, já que o recesso está previsto para começar em 18 de julho.

Nesta quinta, após a aprovação do relatório de Moreira por 36 votos a 13 na Comissão Especial, tanto o ministro da Economia, Paulo Guedes, quanto o secretário da Previdência, Rogério Marinho, mostram otimismo com a possibilidade de encerrar a votação agora em julho. Guedes também disse que superada a reforma da Previdência "só tem notícia boa".

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

O melhor do Seu Dinheiro

Do zero aos 50 milhões (e contando)

Eu não faço a menor ideia de quais aplicativos você tem instalados no seu celular. Mas me arriscaria a dizer que um deles é o do PicPay. Se por acaso eu acertei o palpite, não foi por nenhuma força sobrenatural, mas por uma mera questão estatística. Afinal, a carteira digital criada em 2012 por três […]

Avanço da pandemia

Brasil registra 13,5 milhões de casos de covid-19 e 354,6 mil óbitos

Número de recuperados é de quase 12 milhões – 88,5% do total

Esquenta dos Mercados

Orçamento e CPI da Covid seguem no radar do investidor, com inflação dos EUA à caminho

O noticiário de Brasília segue o mesmo, enquanto os indicadores econômicos devem chacoalhar o mercado

nova retomada

BR Malls e Aliansce Sonae reabrem alguns shopping centers

Empresas retomam operações de unidades em locais em que houve flexibilização das medida de combate à covid-19

SOB NOVA DIREÇÃO

Em assembleia tensa, acionistas da Petrobras destituem Castello Branco

Minoritários chegaram a indicar quatro candidatos, mas mudaram de ideia e retiraram duas candidaturas, diante da falta de votos

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies