Menu
2019-04-20T17:16:46-03:00
Bruna Furlani
Bruna Furlani
Jornalista formada pela Universidade de Brasília (UnB). Fez curso de jornalismo econômico oferecido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Tem passagem pelas editorias de economia, política e negócios de veículos como O Estado de S.Paulo, SBT e Correio Braziliense.
Metas para o novo ano

Juntar dinheiro é a maior meta financeira para o próximo ano, segundo estudo da CNDL

Mesmo que mais pessoas estejam mais dispostas a se planejar, os entrevistados da pesquisa mostraram que ainda têm alguns receios. No topo da lista de maiores temores para a vida financeira em 2019 estão o não pagamento de contas (61%), seguido pela não capacidade de conseguir guardar dinheiro (45%). Na sequência, estão abrir mão de determinados confortos no dia a dia (34%), não obter um emprego (28%) e perder o trabalho (20%)

2 de janeiro de 2019
11:25 - atualizado às 17:16
Pessoa conta notas de dinheiro de 100 reais
Dinheiro - Imagem: Shutterstock

Um levantamento feito pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) aponta que mais da metade dos entrevistados colocou que a principal meta financeira para o ano que se inicia é juntar dinheiro (51%). Em seguida, está sair do vermelho (37%). Mesmo sentindo os reflexos da crise econômica, sete em cada dez entrevistados estão mais otimistas com o cenário econômico e acreditam que a sua vida financeira será melhor neste ano.

O percentual de pessoas que disseram que a vida deve piorar foi de apenas 8%. Já as pessoas que acham que vai ficar igual é de 6%. Ainda que estejam mais positivos, os entrevistados comentaram que a crise deve continuar a impactar no dia a dia. Mas boa parte das pessoas (51%) pretendem se organizar ou controlar melhor as contas da casa para evitar efeitos nocivos no orçamento.

Maiores receios 

Mesmo que mais pessoas estejam dispostas a se planejar, os entrevistados ainda têm alguns receios. No topo da lista de maiores temores para vida financeira em 2019 estão o não pagamento de contas (61%), seguido pela não capacidade de conseguir guardar dinheiro (45%). Na sequência, estão abrir mão de determinados confortos no dia a dia (34%), não obter um emprego (28%) e perder o trabalho (20%).

O ano que se passou de fato não foi fácil. Porém, o levantamento mostrou também que 61% dos entrevistados conseguiram colocar em prática ao menos algum projeto que haviam planejado para 2018. Dentre os projetos, o ato de fazer uma reserva financeira aparece na terceira posição com apenas 15%. Quando questionados sobre os motivos para não realizar tais tarefas, a maioria (53%) justificou a falta de dinheiro como o maior motivo. Já outros impeditivos foram os preços altos para 50% dos entrevistados e o desemprego (33%).

Mas 94% das pessoas não conseguiram concretizar algum projeto que haviam planejado em 2018. Dentre as maiores dificuldades estão juntar dinheiro (33%), quitar contas atrasadas (25%) e adquirir ou reformar a casa (25%).

O estudo foi feito com 702 pessoas entre 27 de novembro e 10 de dezembro de 2018, em todas as regiões brasileiras. A margem de erro da pesquisa é de 3,7 pontos percentuais para um intervalo de confiança de 95%.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

PRESSÃO INFLACIONÁRIA

Economistas voltam a revisar para cima projeção para IPCA em 2020

Pressões inflacionárias neste final de ano fizeram estimativas subirem a 2,99%, segundo Relatório Focus

Tudo que vai mexer com seu dinheiro hoje

10 notícias para começar o dia bem informado

A Moura Dubeux, líder no Nordeste, tornou-se a primeira incorporadora regional a abrir o capital na B3. A estreia das suas ações foi em fevereiro deste ano, um pouco antes da crise do coronavírus derrubar os mercados. Os papéis da empresa desabaram e ainda não se recuperaram completamente do tombo. Quem comprou a ação no […]

Inovação

IRB e B3 anunciam parceria para uso de blockchain na negociação de seguros e resseguros

Segundo as empresas, a iniciativa visa conectar corretores, seguradores e resseguradoras em uma mesma rede, possibilitando que processos que hoje levam meses para serem concluídos sejam finalizados em alguns segundos.

BOM MOMENTO

SP tem alta nas vendas e lançamentos de imóveis em setembro, diz Secovi

No acumulado de 12 meses, vendas totalizam 49.715 unidades, alta de 12,7%, e lançamentos sobem 1,3%, para 56.646 unidades

EXPANDINDO

BTG Pactual fecha acordo para adquirir Necton Investimentos por R$ 348 milhões

Aquisição, se confirmada, vai de encontro com o objetivo do banco de acelerar suas iniciativas estratégicas e expandir sua plataforma de varejo digital

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies