Menu
2019-06-11T18:16:27-03:00
Victor Aguiar
Victor Aguiar
Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero e com MBA em Informações Econômico-Financeiras e Mercado de Capitais pelo Instituto Educacional BM&FBovespa e UBS Escola de Negócios. Trabalhou nas principais redações de economia do país, como Bloomberg, Agência CMA, Agência Estado/Broadcast e Valor Econômico.
Invasão? Não sabemos de nada

Telegram se manifestou sobre o caso Moro — e afastou a hipótese de ação hacker em seu sistema

O aplicativo de troca de mensagens usado nas conversas entre Sergio Moro e procuradores da Operação Lava Jato se manifestou sobre o caso — e afastou a possibilidade de invasão em seu sistema

11 de junho de 2019
16:06 - atualizado às 18:16
Imagem da tela de um celular com o aplicativo Telegram no foco
O Telegram é conhecido por ter dispositivos de segurança mais refinados que o WhatsApp - Imagem: Shutterstock

O Telegram ganhou popularidade no Brasil nos últimos dias. E isso graças ao caso envolvendo o ministro da Justiça, Sergio Moro, e os procuradores da Operação Lava Jato, já que as conversas vazadas pelo site The Intercept ocorreram por meio desse aplicativo — e não pelo WhatsApp, mensageiro muito mais utilizado no país.

De origem russa, o Telegram é conhecido por ter dispositivos de segurança de dados muito mais sofisticados que o rival. Assim, o fato de os diálogos terem ocorrido nessa plataforma e, ainda assim, terem vazado, chamou a atenção de pessoas mais familiarizadas com o mundo digital.

E, nesta terça-feira (11), o aplicativo pronunciou-se oficialmente a respeito do caso. Via Twitter, o Telegram respondeu aos questionamentos de um usuário do Brasil — e sinalizou que não houve qualquer ataque hacker ao seu sistema.

"Não há evidência de qualquer ação hacker", diz o Telegram, em sua conta oficial no Twitter. "Provavelmente, trata-se de um malware [um tipo de vírus] ou alguém não usando uma senha de verificação com duas etapas". A manifestação do aplicativo não diz nada a respeito de eventuais invasões nos celulares das pessoas envolvidas.

Na noite de domingo, o site The Intercept publicou uma série de matérias em que revela conversas privadas entre Moro — então juiz federal — e o coordenador da força-tarefa da Lava Jato, Deltan Dallagnol. Outros diálogos publicados envolvem mensagens trocadas entre os procuradores da operação.

O conteúdo disponibilizado pelo site sinaliza que Moro e Dallagnol tratavam diretamente dos rumos da Lava Jato, o que indicaria uma interferência do juiz no trabalho do Ministério Público. Segundo o The Intercept, todo o conteúdo foi repassado por uma fonte anônima.

Em nota publicada ainda no domingo, a força-tarefa da Lava Jato no Ministério Público Federal no Paraná (MPF) disse ter sido alvo "de ação criminosa de um hacker", que teria invadido telefones e aplicativos de procuradores.

"Não se sabe exatamente ainda a extensão da invasão, mas se sabe que foram obtidas cópias de mensagens e arquivos trocados em relações privadas e de trabalho", afirma a nota oficial da MPF/PR.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

Renovação do Conselho

Comitê interno da Petrobras desaprova dois nomes indicados ao Conselho

Indicados foram considerados inaptos pelo Comitê de Pessoas por terem atuado em empresas com relação direta com a estatal nos últimos três anos

ESTRADA DO FUTURO

A equação do e-commerce: onde estamos investindo quando o assunto é varejo

O varejo é grande demais para exista um tipo de “vencedor leva tudo”. Na geração de demanda é a mesma coisa. Todos estão crescendo como derivada de uma tendência maior, que é o desenvolvimento do e-commerce

CRIPTOMOEDA

Bitcoin ultrapassa US$ 60 mil antes de abertura de capital da Coinbase Global

Criptomoeda teve alta de 4,87%, a quatro dias de IPO da maior corretora de moedas digitais dos EUA

pandemia

Mortes por Covid-19 cresceram 468% no Brasil entre janeiro e março, alerta Fiocruz

Para os novos casos, o aumento foi de 701%; Sul e Centro-Oeste tendem a cenário mais crítico nas próximas semanas.

IPCA DE MARÇO

Inflação vai a 0,93% e mercado vê risco de estourar meta

Taxa acumulada passou a 6,10% no mês passado, reforçando temor de que inflação oficial termine o ano acima do teto da meta, de 5,25%.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies