Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2019-06-27T13:31:42-03:00
Estadão Conteúdo
na expectativa

PIB deve crescer 0,8% em 2019 e, se reforma for aprovada, 2,5% em 2020, diz Ipea

No estudo feito pelo órgão ligado ao Ministério da Economia, a previsão é que a indústria continue patinando este ano, com queda de 0,1% no fim do exercício, mas cresça 2,5% em 2020

27 de junho de 2019
13:31
PIB

O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) prevê que o Produto Interno Bruto (PIB) este ano deve ficar limitado a um crescimento de 0,8%, com melhora apenas no ano que vem, quando o PIB deverá crescer 2,5% se a reforma da Previdência for aprovada.

"Caso a reforma seja aprovada no segundo semestre, dependendo do 'timing', pode levar a mais uma revisão do crescimento da economia este ano para 0,6%, mas a reforma vai ser aprovada e ano que vem vamos ver a recuperação", avaliou o presidente do Ipea, Carlos von Doellinger em coletiva de imprensa para apresentar a Carta de Conjuntura com uma visão geral da economia.

No estudo feito pelo órgão ligado ao Ministério da Economia, a previsão é que a indústria continue patinando este ano, com queda de 0,1% no fim do exercício, mas cresça 2,5% em 2020, assim como o PIB. Já os serviços devem subir 1,2% em 2019 e 2,7% em 2020, acima da Agropecuária, que deve registrar pequena melhora em relação a 2018, com alta de 0,5% e 0,2% em 2019 e 2020, respectivamente.

O consumo das famílias deve ficar positivo em 1,5% este ano e subir 2,9% no ano que vem. Já o consumo do governo ficará estável em 2019 e deve subir apenas 0,1% no ano que vem. A Força Bruta de Capital Fixo (FBCF), segundo o Ipea, terá crescimento de 1,6% este ano mas de 7,7% em 2020, também puxada pela reforma da Previdência.

As exportações de bens e serviços devem fechar este ano em alta de 3,5%, contra o ano anterior, subindo para 3,9% em 2020. Já as importações de bens e serviços vão terminar 2019 em alta de 5,7% e evoluir ainda mais em 2020, com o Ipea projetando alta de 9,1%.

"Estou bem mais otimista com as projeções das exportações do que mostram esses números", pontuou Doellinger, que já havia criticado os estudos do órgão anteriormente. Ele admitiu no entanto que ainda é cedo para fazer novas projeções, apesar de considerar que a reforma da Previdência "já está aprovada", e não temer uma reversão de tendência.

Ainda na Carta de Conjuntura, o Ipea estima que o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que mede a inflação oficial do governo, tenha alta de 3,90% tanto em 2019 como em 2020, enquanto a taxa de juros Selic deve ficar em 5,50% também nos dois exercícios e a taxa de câmbio variar de R$ 3,80 em 2019 para R$ 3,85 em 2020.

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

Não é 'block' mas é 'chain'

Aceita bitcoin: Tráfico de drogas no Rio de Janeiro aceitava criptomoedas por WhatsApp; envolvidos são presos

O grupo coordenava o envio, estoque, compra e venda por meio de um grupo “oficial” no aplicativo de mensagens

MERCADOS HOJE

Aumento do IOF pega mal e Ibovespa recua mais de 1%; dólar sobe a R$ 5,32

Depois de meses de especulação e preocupação, a saída encontrada pelo governo federal para financiar o novo Bolsa Família, rebatizado de Auxílio Brasil, não agradou o mercado e o Ibovespa começa refletindo esse mau humor.  Ontem, o presidente Jair Bolsonaro assinou um decreto que eleva o Imposto sobre Operações Financeiras até dezembro, o que deve […]

DUPLO DOWNGRADE

UBS rebaixa ação da Vale (VALE3) de compra para venda com queda do minério, apesar de dividendos

Banco suíço considera que distribuição de dividendos pela mineradora brasileira torna-se menos atraente com a cotação do minério de ferro abaixo de US$ 100

Tendências da bolsa

AGORA: Ibovespa futuro abre em queda com susto de aumento de imposto e exterior negativo; dólar também recua

A medida pegou os investidores de surpresa e o vencimento de opções em Nova York coloca o exterior sob pressão

O melhor do seu dinheiro

Uma ação para lucrar com a crise hídrica, Bolsonaro eleva IOF, dividendos da Vale e outras notícias do dia

Não é de hoje que o Brasil sofre com risco de apagão e racionamento de energia. Em 2001, o país precisou recorrer a blecautes programados e obrigar famílias e empresas a economizarem energia elétrica sob pena de aumentos pesados na conta de luz. Quem viveu a época lembra bem das trocas de lâmpadas incandescentes por […]

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies