Menu
2019-10-14T14:25:21-03:00
Jasmine Olga
Jasmine Olga
Cursando jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP), já passou pelo Centro de Cidadania Fiscal (CCiF) e o setor de comunicação da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo
Você lembra do Windows Phone?

Bill Gates admite erro que poderia ter mudado a história dos smartphones

Em 2008, em uma reunião de emergência, a Microsoft decidiu remodelar os planos do seu sistema operacional para se adequar. E embora Gates tenha deixado o cargo de CEO em 2000, é provável que o seu conselho tenha sido levando em consideração

24 de junho de 2019
14:10 - atualizado às 14:25
Bill Gates
Bill Gates: bilionário pegou muitos de surpresa ao assumir erroImagem: Shutterstock

Você se lembra do Windows Mobile e do Windows Phone? O ambicioso projeto da Microsoft de criar um sistema operacional para smartphones não foi tão bem sucedido quanto os dos concorrentes Google e Apple e parte da culpa pode ter sido de ninguém mais ninguém menos do que do próprio Bill Gates.

O 2º homem mais rico do mundo e co-fundador da Microsoft andou revisitando os seus tempos na companhia e admitiu ter cometido um dos maiores erros 'de todos os tempos'. Em entrevista ao Village Global,  o bilionário disse que se arrepende de ter perdido a oportunidade de transformar o Windows Phone (uma evolução do Windows Mobile, lançado no início dos anos 2000) da Microsoft no que hoje é o Android do Google.

Para Gates, que hoje utiliza um celular Android, se não fosse um erro de gestão seu hoje a Microsoft poderia ser a empresa líder absoluta do setor de tecnologia e o seu produto teria sido a concorrente natural do iOS. Será que a história dos smartphones poderia ter sido diferente?

Atualmente, o Android é o sistema operacional mais utilizado no mundo e está presente em smartphones e tablets, além de possuir uma interface para TV, carro e relógio de pulso, também sendo utilizado em consoles de videogame, computadores e outros dispositivos.

A gigante da tecnologia Google adquiriu o Android em 2005 por US$ 50 milhões. E segundo declarações feitas em 2012 pelo ex-CEO Eric Schmidt, a ideia já era ganhar a briga em um momento em que o sistema operacional da Microsoft ainda dava os primeiros passos.

Pegou de surpresa

A declaração de Gates pegou muitas pessoas de surpresa. Muitos colocavam a derrota do Windows Phone na conta de Steve Ballmer, já que essa não teria sido a primeira vez que o então CEO da Microsoft teria subestimado o potencial de um concorrente.

Em um episódio marcante, Ballmer chegou a declarar que o iPhone era o telefone mais caro do mundo, mas faltava um atrativo para o consumidor: o teclado. Essa foi mais uma oportunidade perdida para a empresa, já que a era touchscreen ajudou a popularizar os smartphones e o próprio Android.

Em 2008, em uma reunião de emergência, a Microsoft decidiu remodelar os planos do seu sistema operacional para se adequar. E embora Gates tenha deixado o cargo de CEO em 2000, é provável que o seu conselho tenha sido levado em consideração já que continuava atuando no desenvolvimento de softwares na empresa.

O bilionário pode até não ter se envolvido diretamente nas decisões que decidiram o rumo do Windows Phone, mas a sua saída do cargo se deu no momento em que a Microsoft ficou para trás e o sistema operacional do Google despontou como a alternativa ao sistema da Apple.

 

 

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

Balanço

B3 tem lucro 28,9% maior no 2º trimestre e aumenta investimento para dar conta do volume da bolsa

A dona da bolsa brasileira registrou lucro líquido recorrente de R$ 1,012 bilhão e pretende investir até R$ 425 milhões em sistemas e novos produtos para o mercado

confiança com capitalização

Para presidente da Eletrobras, saída de Mattar não prejudica privatização

O presidente da Eletrobras, Wilson Ferreira Junior, disse nesta quinta-feira, 13, que a saída do secretário especial de Desestatização, Salim Mattar, não irá prejudicar a capitalização da empresa prevista para o ano que vem, e que confia que após debates com o Congresso Nacional, o processo seja aprovado

Mercados hoje

Reação de Bolsonaro a truco de Guedes deixa mercado com o pé atrás e bolsa volta a cair

Apesar do mau humor externo, dólar fechou em queda com investidores ajustando posições depois da forte alta de ontem

depois da pandemia

Os planos da Via Varejo: mais mini hubs, vagas home office e parceria com a Globo

Em teleconferência com analistas, CEO da empresa falou sobre as possibilidades de trabalho remoto e comentou as inovações que estão no radar da empresa

reforma tributária

Corrupção se combate com punição e não com CPMF, diz Appy

O economista Bernard Appy criticou a proposta do governo federal de criar um novo imposto sobre transações digitais, visto como “nova CPMF”

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements