🔴 5 MOEDAS PARA MULTIPLICAR SEU INVESTIMENTO EM ATÉ 400X – VEJA COMO ACESSAR LISTA

Bruna Furlani
Bruna Furlani
Jornalista formada pela Universidade de Brasília (UnB). Fez curso de jornalismo econômico oferecido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Tem passagem pelas editorias de economia, política e negócios de veículos como O Estado de S.Paulo, SBT e Correio Braziliense.
Cada vez mais liberal

Em rede social, Bolsonaro ressalta que tom do governo será “tirar do Estado tudo o que puder ser administrado pela iniciativa privada”

O presidente também defendeu fortemente que “as privatizações visam o combate à corrupção bem como a geração de renda e empregos”

Bolsonaro
Presidente da República, Jair Bolsonaro, durante entrevista para o jornal do SBT - Imagem: Alan Santos/PR

Depois de o governo lançar ontem (18) um edital de estudos técnicos para nova rodada de concessão de 22 aeroportos, Bolsonaro voltou a falar hoje (19) em sua rede social que o tom da equipe econômica será "tirar do Estado tudo o que puder ser administrado pela iniciativa privada".

O presidente também defendeu fortemente que "as privatizações visam o combate à corrupção bem como a geração de renda e empregos".

Equipe parece alinhada

A fala do presidente está em linha com o que foi divulgado pelo secretário especial de desestatização e desinvestimento, Salim Mattar. Mas, segundo ele, tal processo deve ocorrer apenas após a reforma da Previdência para não atrapalhar o andamento da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) que trata sobre o tema.

Ao participar de um evento no fim de fevereiro, o secretário ressaltou que deve fazer tudo com calma. Mattar falou que hoje trabalham 500 mil pessoas nas estatais e que é "preferível ir devagar e sempre. Queremos um programa de privatização smooth, sem ter deslizes para não prejudicar as próximas privatizações".

BB, Caixa e Petro

Assim como Mattar e Bolsonaro, os presidentes das outras três estatais que estão de fora da lista das privatizações (BB, Caixa e Petrobras) também fizeram declarações recentes favoráveis à venda de suas subsidiárias e até mesmo das próprias instituições. O presidente do Banco do Brasil, Rubem Novaes, disse, em evento no último dia 15, que o governo passe a falar das privatizações realmente relevantes.

“Não está se pensando em privatizações realmente relevantes, não se fala em privatização da Petrobras, da Caixa. Não se fala em privatização do BB. Nós, liberais, devemos começar a bater nessa tecla. Essas empresas estariam bem melhor na mão do setor privado”, disse.

Novaes afirmou também que se o BB fosse privado seria muito mais eficiente, teria melhor retorno e poderia alcançar todos os objetivos que alcança no setor agrícola e outros.

No mesmo evento, o presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, falou que já não pode vender a petroleira, sua intenção, à frente da Petrobras, é transformar a empresa "o mais próximo possível de uma empresa privatizada".

Ele também destacou que projeta a venda de US$ 10 bilhões nos primeiros quatro meses deste ano, dentro do seu programa de desinvestimento. "Tudo vai depender do mercado, da velocidade que vamos conseguir imprimir ao portfólio de desinvestimento", disse.

No caso da Caixa, o presidente da instituição, Pedro Guimarães, preferiu falar recentemente da abertura de capital (IPO) de quatro áreas da estatal e enfatizou que espera uma receita de R$ 15 milhões com a venda.

A ideia é começar os IPOs pela parte de seguridade e cartões, o que deve ocorrer já no segundo semestre deste ano. A asset, por sua vez, deve realizar a sua abertura de capital um pouco mais tarde, mas deve fazê-la até o primeiro semestre do ano que vem.

Compartilhe

ACABOU A BRIGA

Prefeitura de SP levou a melhor? Saiba quanto custou o acerto contábil sobre posse do Campo de Marte para a União

22 de agosto de 2022 - 15:18

A operação representou um pagamento à prefeitura de São Paulo de um precatório; o total do acordo foi de R$ 23,912 bilhões

COMBUSTÍVEIS EM ALTA

Latam, Gol e Azul vão aumentar o preço das passagens — chegar no aeroporto também vai ficar mais caro; saiba o porquê

11 de março de 2022 - 19:14

“Essa matemática é bastante impactante para o setor aéreo, em especial para as empresas brasileiras, que têm diversos custos em dólar e um dos combustíveis mais caros do mundo”, destaca a Azul

BOA NOTÍCIA

Depois da turbulência: Itapemirim firma compromisso com Procon-SP para reembolsar consumidores que reclamarem

28 de dezembro de 2021 - 18:28

Penalidade pode chegar a R$ 5 milhões com descumprimento de termo assinado hoje. Suspensão temporária das operações da ITA, o recém inaugurado braço aéreo do grupo, aconteceu no dia 17 e levou caos aos aeroportos.

Novas concessões

Anac aprova edital da 7ª rodada de leilões de aeroportos, que inclui Congonhas e Santos Dumont

21 de dezembro de 2021 - 15:00

A documentação, agora, será analisada pelo TCU; o governo espera que os novos leilões de aeroportos sejam feitos no 1º semestre de 2021

A SEMANA EM GRÁFICOS

Covid-19 pressiona aéreas, turismo, Ibovespa e bitcoin, mas inflação avança no mundo: entenda a última semana com estes gráficos

27 de novembro de 2021 - 12:22

As companhias aéreas sofreram perdas significativas na bolsa esta semana e nem o bitcoin (BTC) conseguiu se salvar

Dou-lhe uma, dou-lhe duas...

Governo de São Paulo concede 22 aeroportos regionais em leilão

15 de julho de 2021 - 18:47

Estava prevista a participação do governador João Doria no leilão, mas, com teste positivo para covid-19, ele cancelou a agenda presencial e informou que está cumprindo os compromissos oficiais de forma virtual

De São Roque para o mundo

Aeroporto da JHSF recebe autorização para operar voos internacionais

24 de junho de 2021 - 13:04

Com aval das autoridades, São Paulo Catarina se tornará o primeiro aeroporto internacional exclusivamente dedicado à aviação executiva no país

Novos ares

Governo de SP faz encontro de investidores para concessão de 22 aeroportos

16 de junho de 2021 - 6:56

Projeto será dividido em dois blocos com ativos da região Nordeste e Sudeste do Estado, e leilão está previsto para o dia 15 de julho

Turbulência

Latam reduz prejuízo em 79% e anota perda de US$ 430,8 milhões no 1º trimestre

7 de maio de 2021 - 12:47

A receita operacional total da aérea foi de US$ 913,1 milhões no primeiro trimestre, queda de 61,2% sobre o mesmo período de 2020

prejuízo

Boeing registra prejuízo de US$ 561 milhões e vê queda pelo sexto trimestre consecutivo

28 de abril de 2021 - 11:18

A empresa revelou também que teve queda de 10% na receita na mesma base comparativa, a US$ 15,22 bilhões, comparado com consenso de US$ 15,24 bilhões do mercado

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar