Menu
2019-07-10T10:02:48-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
de olho no preço

Inflação registra menor índice mensal desde novembro de 2018

Entre os itens que mais influenciaram as quedas de preços dos alimentos estão as frutas (-6,14%) e o feijão-carioca (-14,8%). Custos com saúde e cuidados pessoais impactaram para que o IPCA do mês não fosse negativo

10 de julho de 2019
9:27 - atualizado às 10:02
mercado / inflação
Imagem: Shutterstock

A inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), teve uma alta de 0,01% em junho deste ano. Este é o menor percentual mensal desde novembro de 2018, quando o IPCA  recuou 0,21%.  O resultado foi divulgado nesta quarta-feira (10) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O número é menor do que o registrado em maio, de 0,13%, e no mesmo período do ano passado quando o índice foi de 1,26%. No ano, a taxa já acumula uma alta de 2,23%. Nos últimos doze meses o acumulado é de 3,37%.

O resultado veio acima da média das estimativas dos analistas do mercado financeiro ouvidos pelo Broadcast, que iam de -0,07% a 0,08%. Segundo o Boletim Focus divulgado na última segunda-feira (8), o mercado projeta um IPCA com mediana de 3,80% para 2019.

Impactos

A queda de preços em junho foi liderada pelos alimentos (-0,25%) e o custo dos transportes (-0,31%).  Juntos, os grupos representaram cerca de 13% das despesas das famílias e seguraram o índice no mês.

No grupo Alimentação e Bebidas, o preço das frutas e do feijão carioca foram os que mais influenciaram a queda dos preços, com baixa de 6,14% e 14,8%, respectivamente. Os combustíveis também tiveram grande impacto na deflação do grupo de transportes (-2,41%). O destaque foi a queda de 2,04% no preço da gasolina.

No sentido contrário, os gastos com saúde e cuidados pessoais teve um aumento de 0,64%. O número impediu que o IPCA atingisse um número negativo em junho.

 

*Com Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

seu dinheiro na sua noite

Fidelidade em baixa com a pandemia

Não, não estou falando da fidelidade entre casais. Até porque, por mais que a convivência excessiva em família na quarentena tenha abalado alguns casamentos, o momento não anda muito propício às puladas de cerca. Estou falando do setor de fidelidade, que abarca as empresas de programas de pontos e milhagem, sobretudo aqueles ligados às companhias […]

Empresa ligada à Vale

Justiça aprova pedido de Recuperação Judicial da Samarco

RJ não terá impacto nas atividades operacionais da mineradora, nem nas ações de reparação e compensação pela tragédia de Mariana

FECHAMENTO

Ibovespa ignora tensão em Brasília e NY no vermelho e avança 1%; dólar também sobe

Enquanto as blue chips garantiram o bom desempenho do Ibovespa, o dólar avançou 0,84%, pressionado pelo noticiário em Brasília

Exaltou integração

Presidente do Banco Central não enxerga competição entre bancos e fintechs

Segundo Campos Neto, a integração entre as mídias sociais e o sistema financeiro é maior inovação que existe no momento

Menos pontos e milhas

Setor de empresas de fidelidade encolhe quase 30% em 2020

O segmento de fidelidade movimentou R$ 5,3 bilhões em 2020, segundo a Associação Brasileira das Empresas do Mercado de Fidelização (ABEMF)

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies