Menu
2019-08-05T14:36:11-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Tá faltando grana

Endividamento de lares paulistanos cresce mais de 4 pontos porcentuais em julho

Estudo da FecomercioSP mostra que a alta foi maior entre os que ganham menos de dez salários mínimos, que representam 59,6% dos endividados

5 de agosto de 2019
14:36
Dívida
Homem endividado - Imagem: Shutterstock

A proporção de lares paulistanos endividados aumentou 4,5 pontos porcentuais em julho de 2019, em comparação com o mesmo mês do ano anterior. No total, 2,2 milhões de famílias permanecem com algum tipo de dívida, o que significa que houve aumento de 190 mil famílias no período de um ano. A inadimplência, por sua vez, aumentou 0,7 ponto porcentual no comparativo mensal e 0,6 no comparativo anual, significando que 792,6 mil paulistanos estão com contas em atraso.

A alta foi maior entre os que ganham menos de dez salários mínimos, que representam 59,6% dos endividados e 26,3% dos inadimplentes, de acordo com a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), realizada mensalmente pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP).

O cartão de crédito mantém o posto de principal tipo de dívida das famílias desde o início da série histórica, em 2010. Em julho, 71,2% das famílias que ganham menos de dez salários mínimos e estão endividadas tinham esse tipo de débito. Na sequência, vem os carnês, ocupando 15,8%, e o financiamento de carros, com 12,5%.

Na segmentação por renda, as famílias com rendimentos abaixo de dez salários mínimos impulsionaram o endividamento, indo para 59,6% em julho, ante os 58,8% de junho, maior patamar desde dezembro de 2017 (59,9%).

As contas em atraso também aumentaram - de 24,9% para 26,3% em julho, a maior da série histórica. Já entre o grupo que ganha mais de dez salários mínimos, o endividamento registrou queda, ao passar de 46,8% em junho para 44,3% em julho. O porcentual de inadimplência também foi reduzido, de 6,3% para 5,9% nesse mesmo período.

De acordo com a FecomercioSP, a alta do endividamento dos que ganham menos de dez salários mínimos fica como alerta para os pequenos e médios empresários repensarem a precificação, ainda que seja preciso diminuir a margem de lucro.

Outras opções seriam oferecer marcas mais acessíveis; criar cartões de fidelidade, com descontos progressivos conforme a frequência; e facilitar a forma de pagamento, aumentando o número de prestações para que o valor mensal seja menor.

*Com Estadão Conteúdo.

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

NÚMEROS DA PANDEMIA

Covid-19: Brasil acumula 5,49 milhões de casos e 158,9 mil mortes

Ministério da Saúde informou também que casos por semana voltaram a crescer no país, enquanto mortes seguem trajetória de queda

Sextou com o Ruy

Bilionários como Warren Buffett gostam de ver a bolsa cair, não subir

Se você é dos que ficam felizes em ver os preços caindo, saiba que tem o que é necessário para se tornar um grande investidor em ações

varejo online

B2W tem alta de 56% nas vendas e diminui prejuízo, que chega a R$ 43,8 milhões

Linha final do balanço é 57% melhor do que há um ano, enquanto mercado falava em prejuízo de R$ 60 milhões no terceiro trimestre; receita teve alta de 58,5% no período

cardápio de balanços

Suzano, Fleury e Totvs: os balanços que mexem com o mercado nesta sexta

São empresas cujas ações fazem parte da carteira teórica do Ibovespa – ou seja, os resultados das companhias ajudam a calibrar o índice

Sucessão no bancão

Milton Maluhy Filho será o novo presidente do Itaú Unibanco

Maluhy tem 44 anos e ingressou no Itaú em 2002. Após passar por diversas funções, o executivo ocupa o cargo de vice-presidente da área de riscos e finanças do maior banco privado brasileiro.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies