Menu
2019-05-09T18:03:59-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Um castigo na bolsa

Ações do GPA voltam a cair forte após Casino confirmar que estuda opções na AL

Papéis preferenciais do Grupo Pão de Açúcar (GPA) estiveram entre as maiores perdas do Ibovespa nesta quinta-feira (9), em meio ao burburinho cada vez maior em relação aos planos do Casino

9 de maio de 2019
13:41 - atualizado às 18:03
Grupo Pão de Açúcar
Ações PN do GPA (PCAR4) tiveram novo dia negativo, em meio às preocupações do mercado quanto aos planos do CasinoImagem: Jacques Lepine / Estadão Conteúdo

O Casino, dono do Grupo Pão de Açúcar (GPA), Assaí e Via Varejo no Brasil, veio a público para comentar os rumores de que estaria planejando uma reestruturação de seus ativos na América Latina. E a declaração dos franceses aumentou ainda mais o burburinho no mercado — como resultado, os papéis do GPA foram novamente castigados na bolsa nesta quinta-feira (9).

Em curta nota, o Casino confirmou que estuda diversas opções estratégicas na região, no contexto de uma revisão permanente de seus investimentos. No entanto, a empresa diz que, até o momento, esses esforços não geraram elementos novos que justificassem uma divulgação ao mercado.

O mercado começou a se movimentar no fim da tarde de quarta-feira (8), quando o jornalista Lauro Jardim, de O Globo, afirmou em seu blog que o Casino planeja combinar os seus ativos na América Latina — no caso, as operações no Brasil com o Grupo Êxito, da Colômbia —, numa estrutura que seria capitaneada pelo GPA.

Em reação à notícia, os papéis fecharam o pregão de quarta-feira em queda de 7,43%. E, nesta quinta-feira, em meio à indefinição, as ações tiveram nova queda expressiva, fechando em baixa de 4,32%, a R$ 83,99: por volta de 13h30, as ações PN do GPA recuavam 5,96%, a R$ 82,55, o pior desempenho do Ibovespa — na mínima do dia, chegaram a cair 7,95%, a R$ 80,80.

Gráfico com o desempenho das ações PN do GPA (PCAR4) entre 8 e 9 de maio
Gráfico com o desempenho das ações PN do GPA (PCAR4) desde a tarde de 8 de maio

 

O mercado aguarda há tempos pela venda da Via Varejo pelo Grupo Pão de Açúcar, e a eventual reestruturação das operações latino-americanas do Casino pode frustrar essa expectativa.

Em meio a esse noticiário corporativo, o mercado pouco reagiu ao balanço do GPA, divulgado na noite de ontem. A empresa encerrou o primeiro trimestre de 2019 com lucro líquido aos acionistas controladores de R$ 149 milhões, um aumento de 94,5% na base anual — os números consideram apenas as operações em continuidade.

A receita líquida do GPA avançou 12% na mesma base de comparação, para R$ 12,7 bilhões, impulsionada especialmente pelo bom desempenho do Assaí, cuja receita chegou a R$ 6,32 bilhões nos três primeiros meses deste ano (+25,1%). A divisão multivarejo gerou R$ 6,38 bilhões de receita (+1,5%).

Em relatório, o Bradesco BBI afirmou que os números do GPA foram fortes, mas ficaram em linha com o esperado. "No entanto, os resultados tendem a ser ofuscados pelo noticiário envolvendo a combinação dos ativos do Casino na América Latina", diz o banco. "As preocupações devem continuar até que informações mais claras sejam providenciadas".

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

não funciona sempre

Após frustração com “sonho grande”, Lemann deixa conselho da Kraft Heinz

Bilionário decide não buscar reeleição na companhia de alimentos, que perdeu metade do valor de mercado desde fundação

IR 2021

Como recuperar o recibo da declaração do imposto de renda

Perdeu a sequência de 12 dígitos da declaração anterior? Veja como recuperar o recibo da declaração do imposto de renda

Finalmente

Para alegria do mercado, Senado aprova texto-base da PEC do auxílio em 2º turno

Com isso, o Senado encerrou a tramitação da proposta e enviará a PEC para a Câmara dos Deputados, que deve votar na próxima semana.

Muito melhor que Capitão América

Bill Gates se junta com Homem de Ferro para investir em motores elétricos

Eles investiram em uma empresa que promete tornar os motores elétricos até 30% mais eficientes

Na vitrine

Apesar do fechamento dos shoppings na Fase Vermelha, XP continua vendo valor nas ações do setor

Mas a casa de investimentos ainda afirma que um resultado mais robusto no setor depende da reabertura dos shoppings

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies