Menu
2019-07-29T11:09:45-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
registrou baixa

Venda de papelão ondulado cai 14,9% em junho

A comparação é feita com base no mesmo mês de 2018. Se comparado com maio deste ano, o dado representa uma retração de 9,74%.

29 de julho de 2019
11:08 - atualizado às 11:09
Papelão
Embalagens de papelão - Imagem: shutterstock

As vendas de papelão ondulado utilizado em embalagens - caixas, acessórios e chapas - diminuíram 14,9% em junho ante igual mês do ano passado. Os dados são da Associação Brasileira de Papelão Ondulado (ABPO)

O número total foi de 276.140 toneladas, segundo a associação. Na comparação com maio, o dado representa uma retração de 9,74%. Com dois dias úteis a menos em relação a junho do ano passado, a produção por dia útil caiu 7,8%.

A associação explica em nota que a queda está relacionada à comparação com o período base. "Em 2018, após a greve dos caminhoneiros em maio, houve um forte aumento na expedição de papelão ondulado em junho, compensando as perdas geradas pela paralisação", observa a ABPO.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

Considerando os dados dessazonalizados, a expedição de papelão ondulado caiu 2,3% em relação ao mês de maio, para 286.989 toneladas. Este é o menor resultado desde maio de 2018 (233.265 toneladas). A expedição por dia útil nos dados sazonalmente ajustados foi de 11.957 t/d.u.

No acumulado do segundo trimestre, a expedição de papelão ondulado cresceu 2,84% sobre igual período do ano anterior. Com ajustes sazonais, porém, o volume expedido registrou queda de 1,8% na mesma base de comparação.

*Com Estadão Conteúdo 

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

sem privilégios

Petrobras pode perder direito de preferência no próximo leilão do pré-sal

Segundo jornal, avaliação é de que esse direito distorce a concorrência e afasta competidores

O que esperar dos mercados?

BCs, Davos e feriados pautam os negócios na semana

Enquanto líderes mundiais viajam para o Fórum Econômico de Davos, os investidores aguardam novidades dos BCs e da atividade doméstica. Feriados diminuem a liquidez dos negócios

dinheiro no caixa

Ânima Educação anuncia oferta de ações que pode movimentar R$ 1 bilhão

Empresa quer recursos para novas aquisições estratégicas e investimentos nas atuais linhas de negócio da companhia

na mesma

China mantém taxas de juros de referência inalteradas pelo 2º mês seguido

Taxa de empréstimos de um ano, que em agosto passou a ser uma taxa principal, permanece em 4,15%

empresário tinha 96 anos

Morre fundador do grupo Queiroz Galvão

Fundador ao lado de seus irmãos Dario, João e Mário em 1953, Antônio ajudou a transformar a pequena construtora de Pernambuco em uma das maiores empreiteiras do País

Seu Dinheiro Premium

Os segredos da bolsa: ações de dois setores têm uma semana intensa pela frente

A agenda econômica doméstica continua no centro das atenções do mercado, mas diversos eventos no exterior podem trazer volatilidade à bolsa

De olho nos desbancarizados

Fintech do Santander, Superdigital quer ser a conta dos MEI e das classes C e D

Banco digital de bancão, a Super dá lucro, cobra tarifa e não se volta para os millenials descolados. Foco são os desbancarizados e, sobretudo, as folhas de pagamento dos grandes empregadores.

Rompimento da barragem

Um ano após Brumadinho, alta cúpula da Vale tenta se defender de acusações

Foi dentro de um jato particular da Vale, durante a viagem de volta ao Brasil, depois de participar do Fórum Econômico de Davos, na Suíça, que Fabio Schvartsman, então presidente da mineradora, recebeu a notícia do rompimento da barragem do Córrego do Feijão, em Brumadinho (MG). Um ano após a tragédia de 25 de janeiro, […]

Fórum Econômico Mundial

Guedes, Doria e Huck sobem a montanha mágica de Davos — mas com intenções distintas

O ministro da Economia, Paulo Guedes; o governador de São Paulo, João Doria; e o apresentador de TV Luciano Huck brigam pelo protagonismo na edição deste ano do Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça

Seu mentor de investimentos

Estamos diante de um novo ciclo de alta das commodities?

No passado, dois bull markets de commodities deram enorme força à economia do Brasil. E, para o Ivan Sant’Anna, um novo ciclo de alta desses produtos está se desenhando no horizonte — o que abre enormes possibilidades de investimento

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements