Menu
2019-07-18T12:37:45-03:00
controvérsia

Setor de construção critica liberação de saques do FGTS

Recursos para o trabalhador devem diminuir o total disponível para a construção, o que pode aumentar o déficit habitacional do País, diz vice-presidente de sindicato

18 de julho de 2019
12:36 - atualizado às 12:37
Prédios em construção
Imagem: Shutterstock

Antes mesmo de ser anunciada oficialmente, a notícia de que o governo pretende liberar até 35% das contas ativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), antecipada pelo ‘Estado’, já causou mal estar no setor da construção civil - o mais atingido pela crise. Os recursos do FGTS são hoje usados para financiar programas de habitação, como o Minha Casa Minha Vida, além de obras de saneamento e infraestrutura, com juros menores do que o mercado.

“Não é que essa medida é ruim para nós (o setor), mas para os brasileiros”, disse Ronaldo Cury, vice-presidente do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (Sinduscon-SP). “A medida aquece o comércio momentaneamente e depois acaba. Mexe no consumo, maquia o PIB (Produto Interno Bruto), mas deixa de fora o setor que gera empregos e impostos”, acrescentou.

A liberação de recursos do FGTS para o trabalhador deve diminuir o total disponível para a construção, segundo Cury, o que pode aumentar o déficit habitacional do País. Dados da Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc) apontam que, para cada R$ 100 mil sacados em FGTS, uma moradia popular pode deixar de ser construída. Se forem sacados R$ 42 bilhões, cálculo inicial do governo, seriam 420 mil casas a menos.

De acordo com o SindusCon-SP, o déficit habitacional do Brasil é de 7,7 milhões e, das famílias sem casa, 97,5% têm uma renda inferior a cinco salários mínimos. “O trabalhador de baixa renda só consegue comprar uma casa se tiver ajuda: juro baixo e subsídio. Parte desse subsídio vem do lucro do FGTS”, disse Cury.

O orçamento de R$ 62 bilhões do FGTS para o Estado de São Paulo neste ano foi zerado em junho, ainda de acordo com o SinduCon-SP. “O fundo já está curto. Não está sobrando dinheiro, está faltando.”

Ao Estado, um integrante da equipe econômica garante que a liberação dos saques das conta do FGTS não deve comprometer o uso do fundo como fonte de financiamentos imobiliários. “Nenhum centavo será retirado da construção”, afirmou, sob condição de anonimato. O setor manifestou preocupação ontem e procurou informações do governo.

Segundo fontes, o ministro da Economia Paulo Guedes teria exigido que a Secretaria de Política Econômica (SPE), que elabora o programa, mantivesse intocados os recursos do FGTS para a habitação. Com isso, o valor da liberação cairia de R$ 42 bilhões para R$ 30 bilhões.

PIB

Para Luiz Antonio França, presidente da Abrainc, a liberação das contas ativas do FGTS não compromete apenas o setor da incorporação, mas também a recuperação econômica do País, dada a relevância da construção no PIB. O executivo destacou que, quando o governo de Michel Temer adotou medida semelhante, autorizando saques de contas inativas, parte dos recursos não foi usada para consumo e acabou sendo investida no mercado financeiro.

“Cerca de 20% dos cotistas detêm 80% do valor do FGTS. Esse dinheiro saiu do fundo e foi para aplicação financeira, não foi para consumo ou pagamento de dívida”, afirmou França.

O Instituto Brasileiro de Economia, da Fundação Getulio Vargas (FGV/Ibre), estima que o PIB da construção civil de 2019 fique estável neste ano, enquanto o PIB da indústria deverá avançar 0,1%, o de serviços, 1,4% e o agropecuário, 1,2%. Esse resultado deve fazer com que o setor tenha, novamente, um dos piores resultados da economia.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

projeções da corretora

XP Investimentos amplia cobertura e recomenda compra para dois FIIs de lajes corporativas

Cotas dos fundos PVBI11 e RECT11 têm potencial de alta de no mínimo 12% e oferecem rendimento de dividendo de até 8,4%

pandemia no país

Covid-19: Brasil acumula 4,4 milhões de casos e 134,9 mil mortes

O Brasil chegou a 4.455.386 casos de covid-19 desde o início da pandemia. Em 24 horas desde o boletim de ontem (16), foram registrados 36.303 novos diagnósticos positivos

seu dinheiro na sua noite

A inflação da Helena

Na semana passada, minha filha veio me perguntar sobre o aumento do preço do arroz. Ou melhor, bem ao estilo dela, nem me deu tempo de responder e trouxe na ponta da língua as razões para a disparada, incluindo a alta do dólar. A conversa me pegou de surpresa. A Helena completa 10 anos nesta […]

Bluechips salvam o dia

Ibovespa descola-se de ressaca global pós-overdose de bancos centrais e fecha em leve alta; dólar cai

Apesar da melhora pontual na bolsa brasileira, os investidores mantiveram um pé atrás pela ausência de sinalização de novas medidas de estímulo pelo Fed

larry kudlow

Casa Branca pede estímulos do Congresso para pequenos negócios nos EUA

“Um estímulo do Congresso aos pequenos negócios seria ainda melhor” para a recuperação econômica, afirmou o conselheiro econômico da Casa Branca, Larry Kudlow

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements