Menu
Marina Gazzoni
O melhor do Seu Dinheiro
Marina Gazzoni
É CEO do Seu Dinheiro
2019-12-11T08:45:16-03:00
Tudo que vai mexer com seu dinheiro hoje

Olho nos BCs, na Oi e na XP

11 de dezembro de 2019
8:45
O Melhor do Seu Dinheiro; investimentos
Imagem: Andrei Morais/Seu Dinheiro

Hoje será mais uma super quarta-feira, com decisões importantes dos bancos centrais do Brasil e dos Estados Unidos sobre suas taxas básicas de juros. No caso do BC brasileiro, o mercado quer conferir se o discurso vai mudar ou não após a recente escalada do dólar.

O dia começa também com novidades relevantes sobre a XP Investimentos, a Azul e a Oi.

Veja o que você precisa saber:

Mercados

• O Ibovespa fechou em queda de 0,28% ontem, aos 110.672,01 pontos. O dólar teve uma alta de 0,47%, a R$ 4,1488. Na esteira do noticiário de negócios, Gol, Azul, Itaú e Banco do Brasil foram os destaques negativos do pregão. 
• Hoje os investidores aguardam com ansiedade as decisões do Federal Reserve e do Banco Central brasileiro sobre a taxa básica de juros. Enquanto os investidores esperam, os mercados internacionais se retraem. Apesar de uma sessão positiva na Ásia, os índices futuros de Nova York e o pregão na Europa amanhecem com leves baixas.

Investimentos

• 16 ações brasileiras para ficar de olho. O alerta é do colunista Fausto Botelho no seu vídeo publicado ontem à noite. Ele ainda analisa o Ibovespa e o S&P 500 - um dos principais índices da bolsa americana.  

Conteúdo Patrocinado
• Faça o teste: qual é o fundo imobiliário indicado para você? Há opções diferentes para quem prefere dinheiro pingando na conta todo mês ou uma tacada para lucrar rápido.

Empresas 

• A ação da XP Investimentos saiu a US$ 27 no seu IPO nos EUA, segundo o Estadão. O preço ficou acima da faixa estipulada, que variava de US$ 22 a US$ 25. Com o resultado, a brasileira estreia na Nasdaq valendo US$ 14,9 bilhões (R$ 62 bilhões, no câmbio atual).

• As ações da Saudi Aramco saltaram 10% no começo do pregão da Bolsa de Riad hoje, após a petrolífera estatal saudita lançar o maior IPO da história. 

• Eurico Teles vai deixar a presidência da Oi. O conselho da empresa ainda deve indicar um substituto. O anúncio da saída ocorreu no mesmo dia em que a companhia foi alvo da 69ª fase da Operação Lava Jato. 

• A privatização da Eletrobras será aprovada no Congresso no 1º semestre do ano que vem. Essa é a expectativa do presidente da estatal, Wilson Ferreira Júnior. Ele disse ainda que espera que o processo de capitalização na bolsa ocorra no segundo semestre.

• Azul planeja investir R$ 6 bilhões por ano no Brasil nos próximos três anos. A promessa é do CEO da companhia, John Rodgerson. A empresa quer ultrapassar a marca de 30 milhões de clientes transportados em 2020.

Política 

• Alberto Fernández assumiu o governo na Argentina. O kirchnerista herda um país com dívida de US$ 44 bilhões com o FMI e inflação de quase 55% registrada este ano.

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

ARMADILHAS FINANCEIRAS

Dois investimentos que parecem uma boa, mas são ‘cilada’

As armadilhas costumam travestir-se de “grandes retornos, com baixo risco”.

Coronavírus

Brasil atinge 100 mil mortos por covid-19; STF decreta luto de 3 dias

Enquanto isso, Bolsonaro destaca 2 milhões de recuperados

Balanço

Lucro da Berkshire Hathaway, de Warren Buffett, sobe 87% no 2º trimestre

Recuperação do mercado de ações teve bons reflexos no balanço da companhia do megainvestidor Warren Buffett, mas no ano a empresa ainda amarga prejuízo

Às vésperas do orçamento

Ministros pedem mais recursos a Guedes

Sob pressão interna para ampliar os gastos como forma de combater os efeitos econômicos da covid-19, o ministro da Economia, Paulo Guedes, precisa entregar o Orçamento do ano que vem até o dia 31 deste mês

Entrevista

Meirelles: ‘A raiz da pressão por aumento de gastos é sempre a mesma, eleição’

Em entrevista ao Estadão, Henrique Meirelles lembra que o País tem pouca memória e que quebrar o teto levaria a uma crise muito maior do que a de 2015

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu