🔴 +35 RECOMENDAÇÕES DE ONDE INVESTIR EM MARÇO – VEJA GRATUITAMENTE

Cotações por TradingView
Estadão Conteúdo
MENOS BUROCRACIA

Governo assina MP para facilitar a vida das empresas

As startups não precisarão de alvará de funcionamento para testar novos produtos e serviços, desde que sigam algumas regras. Entenda

Estadão Conteúdo
1 de maio de 2019
15:39 - atualizado às 15:40
Jair Bolsonaro (direita), Hamilton Mourão e Paulo Guedes, em solenidade de Assinatura da Medida Provisória da Liberdade Econômica
Jair Bolsonaro (direita), Hamilton Mourão e Paulo Guedes, em solenidade de Assinatura da Medida Provisória da Liberdade Econômica - Imagem: Foto: Alan Santos/PR

O presidente Jair Bolsonaro assinou nesta terça-feira, 30, uma medida provisória batizada de Liberdade Econômica que altera legislações sobre pequenos negócios e startups - empresas iniciantes - para reduzir a burocracia.

Por se tratar de uma MP, as novas regras entram em vigor após a publicação no Diário Oficial da União. O Congresso Nacional tem até 120 dias para aprovar o texto. Do contrário, as mudanças na legislação feitas pela MP perderão o valor.

Como antecipou o jornal O Estado de S. Paulo, as startups não precisarão de alvará de funcionamento para testar novos produtos e serviços, desde que os itens não afetem a saúde ou a segurança pública e sanitária e não haja uso de materiais restritos. A regra também valerá para pequenas empresas.

Na cerimônia de assinatura da MP, o secretário de Desburocratização, Gestão e Governo Digital, Paulo Uebel, afirmou que, com a assinatura da MP, o governo está cumprindo a promessa de tirar o Estado do "cangote" das pessoas. "(O objetivo) É deixar que as pessoas possam trabalhar, empreender, gerar emprego e renda", afirmou. Uebel acrescentou que, com a MP, atividades de baixo risco não precisarão passar pela "mão do Estado".

Uebel disse que o governo fará uma "regra geral" sobre o grau de risco das atividades, mas, na avaliação do secretário, cada município tem "competência" para fazer regras específicas. "Se os municípios não fizerem uma regra específica, vale a regra geral. Com isso, você vai ter uma harmonização da legislação de risco no Brasil e as empresas, as pessoas vão poder escolher aqueles municípios que têm uma legislação melhor, mais competitiva, para a instalação de negócios", disse.

"A ideia é que o Estado não precise autorizar, dar alvará, licença. Então, temos uma presunção de que a atividade de baixo risco não precisa ser verificada pelo Estado. Depois, evidentemente, quando (a empresa) estiver em funcionamento, você vai ter a fiscalização, normalmente, mas você tem uma presunção de que aquela atividade está dentro dos limites legais", completou.

Uebel afirmou ainda que, com a medida, se atividade for de baixo risco, a empresa poderá começar a operar imediatamente: "Evidentemente, que você vai ter que fazer a abertura da sua empresa, vai ter que fazer os cadastros, registros fiscais e previdenciários."

A MP também acaba com restrições de horário de funcionamento, desde que haja respeito aos direitos trabalhistas e às regras de condomínios, entre outros pontos.

De acordo com o Ministério da Economia, com a medida provisória, pessoas físicas ou jurídicas poderão desenvolver negócios considerados de baixo risco, sem depender de qualquer liberação por parte da administração pública. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Compartilhe

FINANCIAMENTO DE IMÓVEIS

Crédito imobiliário: Caixa vê cenário complexo para captação em 2025 — mas mudança nas regras de emissões das LCIs pode ajudar

3 de março de 2024 - 13:07

O presidente da Caixa, Carlos Vieira, afirmou que o banco está com a captação assegurada para cumprir o orçamento de crédito em 2024

PROCESSO DE SUCESSÃO

A “mão” de Lula? Acionista da Vale (VALE3) quer que mineradora publique ata de reunião que expôs racha sobre quem deve comandar companhia

2 de março de 2024 - 20:01

A Previ pede que a ata “seja tornada pública para todos os acionistas, de forma não sumarizada, em benefício da transparência do processo”

SETOR FINANCEIRO

Cinco maiores bancões do Brasil lucram R$ 107,5 bilhões em 2023 — e presidentes das empresas revelam o que esperar neste ano

2 de março de 2024 - 18:07

O melhor desempenho desses três bancos no ano passado compensou a retração nos números de Bradesco e Santander Brasil

PARCEIRA DA NVIDIA

Como essa ação ligada a inteligência artificial disparou 800% em um ano e conquistou lugar no S&P 500

2 de março de 2024 - 17:01

O papel será adicionado ao S&P 500 antes do início das negociações de 18 de março, substituindo a Whirlpool na carteira do índice

MERCADO DE CAPITAIS

Vem IPO no conglomerado da Cosan (CSAN3)? Ometto planeja abrir capital de “joias esquecidas” do grupo, diz jornal

2 de março de 2024 - 15:40

Segundo O Globo, o presidente da companhia aguarda uma janela de mercado favorável para abrir o capital da Compass — e planeja IPO da Moove no exterior; entenda

IMPASSE ENTRE SÓCIOS

Troca de comando na Vale (VALE3)? Aqui está tudo o que você precisa saber sobre a sucessão de CEO da mineradora até agora

2 de março de 2024 - 12:30

O mandato do atual CEO, Eduardo Bartolomeo, está cada vez mais próximo do fim — e a definição da sucessão do presidente é uma das pendências da mineradora

DUELO DE TITÃS NA BOLSA

Depois das Sete Magníficas, vem aí as “Super Sete”: por que o Citi aposta que as ações da Europa têm mais potencial que as americanas

2 de março de 2024 - 9:03

O banco fez uma avaliação baseada em retorno, múltiplos e preço e concluiu que as ações do Velho Continente podem render bons frutos para quem apostar nelas agora

NO BOLSO DO ACIONISTA

Copel (CPLE6) pode pagar dividendos extraordinários aos acionistas em 2024, mas com uma condição, diz CEO

1 de março de 2024 - 16:25

Para Daniel Slaviero, o ano de 2025 servirá para “extrair bastante valor da operação integrada e ganhar escala nos negócios que tenham bom retorno de capital”

BRIGA DE GIGANTES

Por que Elon Musk está processando a OpenIA, a ‘joia da coroa’ do mercado de inteligência artificial que ele ajudou a fundar?

1 de março de 2024 - 11:17

Musk foi um dos co-fundadores da OpenIA, lá em 2015, porém deixou o conselho da companhia em 2018

REPERFILAMENTO

Casas Bahia (BHIA3) negocia com bancos e consegue mais prazo para pagar R$ 1,5 bilhão em dívidas

29 de fevereiro de 2024 - 19:34

O acordo ainda precisa do sinal verde dos credores, mas, se aprovado, estenderá o vencimento de 69% do endividamento da companhia

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies