Menu
2019-06-21T19:05:34-03:00
Fernando Pivetti
Fernando Pivetti
Jornalista formado pela Universidade de São Paulo (USP). Foi repórter setorista de Banco Central no Poder360, em Brasília, redator no site EXAME e colaborou com o blog de investimentos Arena do Pavini.
De bancão em bancão

As favoritas: mercado financeiro lidera ranking de empresas que os brasileiros mais querem trabalhar

Levantamento do LinkedIn traz o Itaú como líder absoluto na lista de “empregador dos sonhos”

28 de maio de 2019
16:51 - atualizado às 19:05
Montagem de pessoas vistas de cima com um cardápio na mesa
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

O setor financeiro está com tudo quando o assunto é mercado de trabalho. Pelo menos é o que diz o ranking LinkedIn Top Companies 2019, que avalia as empresas onde os profissionais brasileiros mais sonham em trabalhar. Pelo segundo ano seguido, líder absoluto dessa lista foi o Itaú Unibanco.

Logo atrás do Itaú está o banco Santander. Diga-se de passagem, o banco teve um salto invejável no quesito popularidade e passou da 21ª posição para a 2ª em apenas um ano.

Mas se você observar com atenção o Top-25, vai perceber uma forte presença dos grandes bancos e de instituições ligadas ao mercado financeiro. Além do Itaú e do Santander, BTG Pactual, Bradesco, Safra e o grupo de investimentos XP apresentaram boas posições.

Outro destaque ficou por conta do setor de tecnologia. Além da companhia de aplicações móveis Movile, o ranking de 2019 conta com IBM, TOTVS e Oracle, todas elas especializadas em banco de dados e softwares de gestão. Outra empresa de destaque foi da Resultados Digitais, focada em marketing digital. Também foram para a lista o Nubank e a Stone, referências quando o assunto é startups.

Preenchendo requisitos

Já faz quatro anos que o ranking das empresas mais desejadas é elaborada pelo time editorial do LinkedIn. A lista é desenvolvida com base nas ações dos mais de 610 milhões de usuários e 30 milhões de companhias cadastradas no LinkedIn no mundo, por meio da ferramenta LinkedIn Talent Insights.

E nesse jogo das interações vale de tudo: de observar os comentários dos usuários sobre as companhias até analisar a interação com os funcionários da empresa.

Na classificação, são avaliados quatro pilares: interesse na empresa, interação com funcionários, demanda da vaga e retenção de funcionários.

O LinkedIn leva em consideração ações desse tipo nos 12 meses encerrados em janeiro daquele ano, e desconsidera interações de funcionários terceirizados e de meio-período. Quando a companhia conta com subsidiárias, as interações são computadas todas para a matriz.

São excluídos do processo as agências de emprego e de seleção de pessoal, organizações sem fins lucrativos, instituições educacionais, agências governamentais e entidades públicas, além do próprio LinkedIn e sua empresa controladora, a Microsoft.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

Conselhos do bilionário

Warren Buffett está otimista com o mercado de ações — e continua em busca de uma grande aquisição

Warren Buffett, um dos homens mais ricos do mundo, divulgou sua carta anual aos acionistas da Berkshire Hathaway, seu conglomerado de investimentos

Impactos no Brasil

Coronavírus faz empresas exportadoras perderem R$ 48 bilhões em valor de mercado

Os temores de que o surto de coronavírus possam afetar a economia global trouxeram impactos às ações de exportadoras de commodities no Brasil

China em foco

BC da China considera mais medidas para aliviar o impacto do coronavírus na economia

A China considera medidas adicionais de flexibilização de políticas para ajudar a aliviar o impacto do novo coronavírus em sua economia, incluindo um ajuste das taxas de depósito de referência, disse Liu Guoqiang, vice-presidente do Banco do Povo da China (PBoC, na sigla em inglês). A China planeja liberar mais liquidez para o sistema financeiro, […]

Recuperação mitológica

Para o Credit Suisse, a Via Varejo é a fênix que renasce das cinzas

O Credit Suisse ainda vê espaço para que as ações ON da Via Varejo (VVAR3) continuem subindo, mesmo após a forte valorização dos últimos meses. Segundo o banco, a reformulação na estratégia e os ganhos de eficiência no e-commerce colocam a companhia à beira de uma virada

O melhor do Seu Dinheiro

MAIS LIDAS: Cuidado com a ‘perda fixa’

A matéria a respeito da queda da rentabilidade das aplicações mais conservadoras com o novo corte da Selic, jogando-as ao campo da ‘perda fixa’, foi o destaque desta semana no Seu Dinheiro

LIÇÕES DO PAI RICO

Existem quatro tipos de inteligência – e uma delas é a mais importante para ser Dono e Investidor

Uma lição de um curso de fim de semana mudou a minha vida e me ajudou a me preparar para ser dono e investidor – em vez de empregado ou autônomo.

O cliente voltou

EUA retomam importação de carne in natura do Brasil

Até o momento, os americanos vinham comprando apenas carne enlatada do Brasil

Mudou de vez

Grupo Pão de Açúcar conclui migração para o Novo Mercado da B3 e ações PN deixarão de ser negociadas

Empresa anunciou ainda o início da negociação de ADRs na Bolsa de Valores de Nova York

Enfim, a decisão

Azul fecha acordo para a compra da TwoFlex por R$ 123 milhões

Proposta já havia sido comunicada ao mercado em 14 de janeiro deste ano, mas só agora foi definida

Seu Dinheiro na sua noite

Mamãe eu quero, mamãe eu quero dólar…

Quem me acompanha há algum tempo aqui na newsletter já deve me conhecer o suficiente para não se chocar com a revelação que vou fazer a seguir: eu não sou um grande fã de Carnaval. Mas se você curte sair nos blocos que vão invadir as ruas da cidade e fazer outras estripulias nos próximos […]

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements