Menu
2019-09-15T12:52:43-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
novela com o bilionário

Executivo das criptomoedas pagou US$ 4,6 milhões por almoço com Warren Buffett – mas encontro pode não acontecer

CEO da Tron, Justin Sun, venceu leilão beneficente que promove um encontro com o lendário investidor, mas história teve desdobramentos inesperados

14 de setembro de 2019
13:39 - atualizado às 12:52
justinsun_60322442_2289217618060750_1692284951588982243_n
O empresário Justin Sun. - Imagem: Divulgação / Instagram

O mundo dos bilionários tem algumas particularidades - em alguns casos, excentricidades. Você leu aqui no Seu Dinheiro que, em junho, o CEO da Tron, Justin Sun, anunciou que pagaria US$ 4,6 milhões para almoçar com o megainvestidor Warren Buffett.

O valor não foi desembolsado à toa por esse executivo ligado ao universo das criptomoedas. Do lado de quem estava organizando, havia uma instituição de caridade por trás. O almoço é viabilizado anualmente por meio de um leilão - quem dá o maior lance, almoça com a lendária figura do mercado financeiro.

Os ricaços que se arriscam em lances pela refeição com Warren Buffett querem, é claro, aprender de perto com o bilionário, dono de uma fortuna de US$ 82,5 bilhões.

O cara das criptomoedas

Então, neste ano, quem venceu foi o executivo ligado ao universo das criptomoedas. Sun deu o maior lance já feito em quase 20 anos de evento.

No caso desse ricaço, havia uma particularidade pelo lance: ele queria convencer Warren Buffett do potencial das criptomoedas. O megainvestidor tem declarações públicas de descrédito a moeda digital.

O executivo chines, por outro lado, é CEO da Tron, uma plataforma de entretenimento baseada em blockchain. O empresário é considerado uma das pessoas mais influentes no mercado das criptomoedas.

No entanto, no dia 22 de julho, Sun anunciou que teria de adiar o encontro com Warren Buffett.

É provável que você ainda ouça sobre essa história. Então, para não te deixar perdido, você confere abaixo uma linha do tempo desse caso.

Spoiler: a história teve convite para Donald Trump - outro descrente das criptomoedas -, supostos problemas com a justiça e polêmicas com a guerra comercial. E não há garantias de que seu desfecho será feliz. As informações foram compilas pelo portal Business Insider.

A linha do tempo de Sun e Warren Buffett

3 de junho

Justin Sun anuncia no Twitter que venceu o leilão para almoçar com Warren Buffett. Ele pagou US$ 4,57 milhões, valor que será revertido à Glide Foundation, uma instituição de caridade para moradores de rua em São Francisco.

No anúncio, o executivo promete explicar os benefícios da criptomoeda ao chefe bilionário da Berkshire Hathaway - um notório cético quanto ao ativo.

4 de junho

Sun, que pode levar até sete convidados para o almoço, diz que planeja chamar Changpeng Zhao, da Binance. Também estarão na lista o criador do Litecoin, Charlie Lee, e o co-fundador da Ethereum, Vitalik Buterin, segundo a CNBC.

Zhao, da bolsa de criptomoedas Binance, recusa o convite para o almoço, dizendo que o local é muito longe para ele viajar, segundo a Business Insider.

16 de junho

Sun convida Lee, da Litecoin, para participar do almoço. Lee aceita.

5 de julho

Sun diz, via Twitter, que convidou Livio Weng, à frente da Huobi - empresa de troca de criptomoedas.

12 de julho - até Trump na história

O empresário chama Donald Trump para o almoço, depois de o presidente dos Estados Unidos dizer, via Twitter, que não é fã de bitcoin e outras criptomoedas.

"Eu garanto a você que, após esse almoço, ninguém saberá mais sobre criptografia do que você!", respondeu o executivo na rede social.

18 de julho

A Sun convida Jeremy Allaire, chefe da corretora institucional de criptomoedas, Circle. Allaire aceita.

21 de julho

Sun convida Helen Haiyu, da Binance Charity Foundation. O executivo também chama Yoni Assia, da corretora eToro. Ambos aceitam.

22 de julho

O executivo convida Chris Lee, chefe de finanças de Huobi. Lee aceita. Logo depois, ele anuncia que o almoço será adiado. Sun afirmou que estava com pedras nos rins.

23 de julho - novos contornos

A história envolvendo o almoço com Warren Buffett ganha outros contornos. Segundo a Business Insider, o 21st Century Business Herald, um canal de notícias chinês, relata que a Sun é suspeito de captação ilegal de recursos, lavagem de dinheiro e de estar envolvido com jogos de azar.

Por conta dessas acusações, o jornal chinês Caixin, ainda segundo o portal americano, diz que o executivo atrasou o encontro com o bilionário. Sun nega.

24 de julho

Segundo o New York Times,  aplicativo Peiwo, também de Sun, foi incluído numa lista negra por reguladores chineses em junho por supostamente operar ilegalmente.

A Business Insider diz que, pouco depois, o executivo publicou um pedido de desculpas, lamentando sua propaganda vulgar e marketing. Ele também disse que colocaria os interesses do país, do setor e do público acima de qualquer outra coisa. A postagem é excluída logo após ser publicada, segundo o portal.

25 de julho

Esse seria o dia do almoço marcado com Warren Buffett inicialmente. Mas fotos nas mídias sociais mostram a Sun festejando com influenciadores em um evento de Tron.

27 de julho

Ran Neuner, apresentador do Crypto Trader, da CNBC Africa, relata que a guerra comercial EUA-China pode ser um fator no atraso do almoço, conforme informa a Business Insider.

"Fontes na China dizem que o governo chinês acreditava que @justinsuntron almoçar com Warren Buffett era um ato 'provocativo', dadas as atuais tensões comerciais", postou o apresentador no Twitter.

"Ele foi instruído a não prosseguir com o almoço. Minha fonte acredita que o almoço não vai acontecer."

29 de agosto

O diretor de comunicações da Tron, Cliff Edwards, disse a Blocktv que o almoço de Buffett está sendo remarcado, ainda segundo o site americano.

A ver com será o desfecho dessa novela entre o executivo das criptomoedas e Warren Buffett.

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

BANCÕES EM ALTA

Lucro do Banco do Brasil sobe 44,7% no 1º trimestre e atinge R$ 4,9 bilhões

O Banco do Brasil (BB) registrou lucro líquido ajustado de R$ 4,9 bilhões no primeiro trimestre deste ano, 44,7% maior que os R$ 3,4 bilhões reportados em igual período de 2020 e 32,9% superior ao resultado obtido nos últimos três meses do ano passado. “O lucro recorde para um trimestre é resultado de uma estratégia […]

Vol é vida?

Lucro líquido da B3 cresce 22,5% e atinge R$ 1,25 bi no 1º trimestre

O lucro líquido recorrente atingiu R$ 1,4 bilhão, alta de 15,5% frente ao mesmo período do ano passado e de 15,2% na comparação com o trimestre anterior

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

O Carnaval fora de época da Ambev e mais…

O varejo tem várias datas importantes: dia das mães, dia dos pais, dia das crianças, dia dos namorados, Black Friday, Natal… Há uma data comemorativa em quase todos os meses, e todas são aguardadas com ansiedade pelo setor — afinal, qualquer impulso nas vendas é bem vindo. Pois para a Ambev, a coisa funciona um […]

FECHAMENTO DO DIA

Balanços e commodities metálicas ditam o ritmo e Ibovespa fecha em alta; dólar volta à casa dos R$ 5,20

Com a agenda de indicadores fracas e um Copom sem grandes surpresas, os investidores se debruçaram nos números do trimestre e no novo recorde do minério de ferro.

Queda no apetite

Fed sinaliza risco de tombo nos preços de ativos em relatório de estabilidade

O banco central dos EUA demonstrou preocupação com um possível declínio no apetito ao risco dos investidores norte-americanos

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies