A AÇÃO QUE ESTÁ REVOLUCIONANDO A INFRAESTRUTURA DO BRASIL E PODE SUBIR 50%. BAIXE UM MATERIAL GRATUITO

2019-10-22T06:45:28-03:00
Estadão Conteúdo
acabando em pizza?

Sem acordo, CPI do BNDES caminha para não votar relatório

Nesta segunda-feira, pela quarta sessão seguida, deputados derrubaram a votação do relatório final que pede o indiciamento de cerca de 70 pessoas; prazo final de discussão se encerra nesta terça

22 de outubro de 2019
6:45
BNDES
Imagem: Agência Brasil

Sem acordo, a Comissão Parlamentar de Inquérito do BNDES caminha para terminar em "pizza", ou seja, sem resultados. Nesta segunda-feira (21), pela quarta sessão seguida, os deputados derrubaram a votação do relatório final que pede o indiciamento de cerca de 70 pessoas entre elas políticos, empresários e diretores do banco. O prazo final de discussão se encerra nesta terça (22) e não há perspectiva de acordo para levar o texto à votação.

"Estamos assistindo um processo muito claro para não se ter relatório", afirmou o presidente da CPI do BNDES, Vanderlei Macris (PSDB-SP).

De acordo com o presidente da CPI, a única saída para o texto ser votado é o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), aceitar um pedido para prorrogação dos trabalhos. "Está na mãos do Rodrigo Maia a decisão de entregarmos ou não uma relatório ao povo brasileiro. Peço a prorrogação dos trabalhos da CPI para podermos dar uma satisfação ao País", afirmou Macris.

O presidente da Câmara afirmou que ainda não tomou uma decisão se aceita ou não o pedido. "Ele tem até amanhã para votar. Ele precisa mobilizar os membros (da CPI)", afirmou Maia, que decidirá só na tarde da terça-feira sobre a prorrogação.

Desde a semana passada, o relator da CPI, Altineu Côrtes (PL-RJ), tenta costurar um acordo com o PT para que, ao menos, os empresários e empresas envolvidas no núcleo econômico, entre eles os executivos da Odebrecht e da JBS, tenham seus indiciamentos sugeridos. Segundo o relator, sem o assentimento da demanda de deputados petistas, a comissão pode terminar em "pizza", ou seja, sem resultados.

"Essa é a terceira CPI do BNDES e se não tivermos um relatório aprovado teremos uma imensa pizza. A terceira pizza do BNDES", afirmou o relator Altineu Côrtes.

Na semana passada, o relator retirou de seu parecer a recomendação de indiciamento dos ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff por crimes de formação de quadrilha e corrupção passiva no âmbito do banco público. Côrtes retirou ainda os nomes de outras nove pessoas que ocuparam cargos no BNDES.

As alterações ocorreram em meio à articulação do PT junto a partidos do Centrão pela mudança, e sob ameaças de rejeição integral ao relatório de Côrtes na comissão. O PT manteve a obstrução ao relatório caso o documento mantivesse o nome de outros integrantes dos governos petistas como os ex-ministros Fernando Pimentel, Antônio Patriota, Pepe Vargas e Miriam Belchior.

O movimento, liderado pelo deputado Pedro Uczai (PT-SC), conseguiu adiar o início da discussão por mais de três horas. O movimento incomodou deputados da chamada bancada "lavajatista", favoráveis à investigação. "Não podemos fazer dessa comissão um palco de condenação sumária, sem ampla defesa", afirmou o petista.

"É um absurdo votar este relatório sem os nomes dos ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff", rebateu o deputado Kim Kataguiri (DEM-SP).

Instalada em março, a CPI tem como finalidade de "investigar a prática de atos ilícitos e irregulares no âmbito do BNDES ocorridos entre 2003 e 2015 e relacionados à internacionalização de empresas brasileiras". O relatório de Côrtes aponta irregularidades em transações do banco com os grupos Odebrecht e J&F, controladora da JBS.

De acordo com o texto, o núcleo político - formado por Lula, Dilma e outros membros do governo - pressionou as instâncias de controle internos do Executivo para afrouxar restrições a empréstimos a países e empresas aliadas. Do banco, o relator sugere o indiciamento de diretores e do ex-presidente Luciano Coutinho. Entre executivos, citou nomes de Odebrecht, Braskem, JBS e Bertin já envolvidos em outras investigações, como Emílio e Marcelo Odebrecht e Joesley e Wesley Batista.

Defesas

Em nota, Coutinho disse que as conclusões do relatório são infundadas e que reafirma "a certeza sobre a correção dos trabalhos técnicos e decisões colegiadas do BNDES". A defesa de Lula diz que ele não cometeu ilícito em sua passagem pela Presidência e que as "acusações de adversários do PT na CPI do BNDES não têm qualquer fundamentação e são de natureza política".

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

NOITE CRIPTO

Bitcoin (BTC) sobe, mas perde o protagonismo para o ethereum (ETH); entenda

12 de agosto de 2022 - 20:29

Além de aproveitar a inflação dos EUA mais branda, o que ajudou as criptomoedas em geral, o ETH se beneficiou dos progressos na direção do The Merge

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

Magalu (MGLU3) dispara, BC amigo das criptomoedas e outros destaques do dia

12 de agosto de 2022 - 19:07

O mercado financeiro começou a semana olhando aterrorizado para os céus. Já era esperado que os dias fossem marcados pelo avistamento de dragões no ar, mas não se sabia ao certo o tamanho da encrenca que precisaria ser enfrentada.  Com traumas dos episódios recentes, quando a cada mês a ameaça se mostrava maior e mais […]

FECHAMENTO DO DI

Alívio com inflação leva Ibovespa a subir 6% na semana; Magazine Luiza (MGLU3), Hapvida (HAPV3) e Via (VIIA3) disparam após balanço

12 de agosto de 2022 - 18:41

Os indicadores melhores do que o esperado deram um respiro para o Ibovespa nesta semana; dólar caiu quase 2%

SEMANA EM CRIPTO

Ethereum (ETH) rouba a cena e dispara 14%, mas bitcoin (BTC) encerra semana acima dos US$ 24 mil; saiba o que esperar das criptomoedas

12 de agosto de 2022 - 17:56

O otimismo com a atualização do éter, as sanções ao Tornado Cash e o real digital são alguns dos destaque da semana

FEBRABAN TECH 2022

Setor financeiro melhora planos para o metaverso e já fala em criptomoedas como ‘espinha dorsal’ do processo — mas isso vai levar algum tempo; entenda

12 de agosto de 2022 - 17:40

O Febraban Tech 2022 foi realizado entre os dias 9 e 11 de agosto, em São Paulo; confira alguns destaques

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies