Menu
2019-05-28T14:20:08-03:00
Estadão Conteúdo
um passo atrás

BNDES vai devolver mais de R$ 30 bi ao Tesouro em 31 de maio, diz Levy

Ele disse ainda que os desembolsos do banco devem ficar abaixo de 1% do PIB em 2019, “proporção que não se via desde o começo dos processos de privatizações” no Brasil

28 de maio de 2019
14:19 - atualizado às 14:20
C3BDFBD2-B170-44D5-9A68-7968AB888FDE
Levy ressaltou em sua apresentação que o Brasil está muito atrás de seus competidores em investimentos em infraestrutura. - Imagem: Valter Campanato/Agência Brasil

O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Joaquim Levy, afirmou nesta terça-feira, 28, que a instituição continuará devolvendo recursos ao Tesouro Nacional, com a previsão de mais R$ 30 bilhões no próximo dia 31 de maio. A declaração foi dada durante evento em São Paulo sobre PPPs e concessões.

Levy disse ainda que os desembolsos do banco devem ficar abaixo de 1% do PIB em 2019, "proporção que não se via desde o começo dos processos de privatizações" no Brasil.

O presidente do BNDES afirmou também que a dependência de empréstimos do banco tem diminuído. "Isso ocorre muito por causa da disciplina do banco em diminuir ativos e com a devolução de recursos ao Tesouro", disse.

Levy ressaltou em sua apresentação que o Brasil está muito atrás de seus competidores em investimentos em infraestrutura. "Isso é particularmente sério em saneamento, onde investimos um terço do que deveríamos", comentou.

Ele afirmou que o BNDES deve se envolver mais em saneamento, logística e não tanto em telecomunicações. Reiterou também que o BNDES colabora com a primeira "privatização real" de um porto no Brasil, o do Espírito Santo.

Boa base

O presidente do BNDES disse também que o banco quer ter uma "boa base de capital" para acessar recursos no mercado e emprestar no longo prazo, em vez de depender de recursos emprestados pelo Tesouro Nacional. "Podemos continuar tendo acesso a recursos institucionais, mas podemos também ter acesso ao mercado, como fazem outros bancos de desenvolvimento, com uma base de capital robusta que permita esse funcionamento", comentou.

Sobre a carteira do banco, Levy disse que o BNDESPar tem R$ 100 bilhões em ativos variados, em ações listadas, "algumas motivadas por razões históricas, como empresas que precisavam ser salvas". "Muitas estão bem capacitadas e começam a ser vendidas, é processo salutar", disse. "E há posições, como Petrobras e outras empresas, inclusive não estatais, que já estão bastante maduras para serem vendidas."

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

Triste marca

Brasil registra mais de 500 mil mortos por covid-19

Em 24 horas foram 2.301 óbitos e 82.288 novos casos. Em nota, Conass ressalta que o Brasil tem 2,7% da população mundial, e é responsável por 12,8% das mortes

Here comes the sun

Energia solar ruma para liderança no País até 2050

O sol será responsável por 32% da geração, ao mesmo tempo em que a participação das hidrelétricas deve cair para cerca de 30%

ESTRADA DO FUTURO

Os três setores mais lucrativos em tecnologia, e por que você deve investir neles

Integração entre softwares e Inteligência Artificial são dois dos segmentos que devem fazer parte de qualquer portfólio de investimentos vencedor

Ano de eleição

Promessas de Bolsonaro estouram “folga” do Orçamento em 2022

A ampliação do Bolsa Família e um eventual aumento de 5% nos salários do funcionalismo público já superam o espaço adicional de R$ 25 bilhões para o próximo ano

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies