Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2019-10-24T13:53:55-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
fazendo as contas

BNDES desembolsa R$ 38 bilhões no ano até setembro

Cifra representa queda nominal (sem descontar a inflação) de 13% ante igual período de 2018. Em termos reais, o tombo foi de 15,8%

24 de outubro de 2019
13:53
BNDES
Imagem: Agência Brasil

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) liberou R$ 38,032 bilhões no período de janeiro a setembro, queda nominal (sem descontar a inflação) de 13% ante igual período de 2018. Em termos reais, o tombo foi de 15,8%, levando o banco de fomento ao tamanho que tinha na década de 1990.

Em valores constantes, os desembolsos acumulados em 2019 até setembro registraram o menor valor desde 1999, quando foram liberados R$ 38,085 bilhões. O freio no BNDES foi visto também nas aprovações de novas operações e nas consultas, primeira etapa do processo de pedido de crédito no banco, indicador normalmente usado como termômetro do apetite das empresas por investimentos.

As aprovações somaram R$ 32,305 bilhões, queda nominal de 35% em relação aos nove primeiros meses de 2018. Em termos reais, a queda foi de 37,6%, levando o total aprovado no acumulado de janeiro a setembro para o menor nível para esse período desde 1995, quando foram aprovados R$ 29,191 bilhões.

Procura por crédito

Nos dados das consultas, a procura por crédito para investimentos registrou recorde de baixa na série histórica do BNDES, iniciada em 1995.

De janeiro a setembro deste ano, foram R$ 40,211 bilhões em consultas, queda nominal de 49% ante igual período de 2018. Em valores constantes, a queda de 51,2% deixou as consultas R$ 12 bilhões abaixo dos R$ 52,392 bilhões registrados de janeiro a setembro de 1995.

A desagregação dos desembolsos do BNDES até setembro deste ano mostram que o freio no tamanho do banco de fomento passou por uma maior prioridade aos projetos de infraestrutura. Para esse setor, o banco liberou R$ 17,357 bilhões, queda nominal de 1% em relação a igual período de 2018.

As quedas nominais nos desembolsos foram bem mais elevadas nos projetos industriais (22%, para R$ 6,320 bilhões) e para empresas de comércio e serviços (51%, para R$ 4,157 bilhões). Na contramão, o setor agropecuário recebeu R$ 10,198 bilhões do BNDES, alta nominal de 9% em relação aos nove primeiros meses de 2018.

*Com  Estadão Conteúdo 

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

Antiga InfraCo

Unidade de fibra ótica da Oi (OIBR3) muda de nome para V.tal e sonha com IPO

O novo ativo já nasce com a maior infraestrutura de fibra ótica do Brasil e deve receber cerca de R$ 30 bilhões em investimentos nos próximos quatro anos

sinal verde

Câmara aprova texto-base de projeto que abre caminho para venda dos Correios; veja os próximos passos para a privatização

Aprovação do projeto representa uma vitória para a agenda de privatizações do governo Bolsonaro, mas acontece sob críticas da oposição

no prelo

Biografia: autor de livro sobre Steve Jobs escreverá sobre Elon Musk

Segundo o bilionário, o autor Walter Isaacson o seguiu por vários dias para recolher material para o novo livro

ONDE INVESTIR EM AGOSTO

Onde investir em agosto de 2021: ações de tecnologia, o coração do bitcoin e um combo de ‘retorno absoluto’; veja recomendações

O CIO da Vitreo, Jojo Wachsmann, separou as três melhores pedidas para investidores no mês de agosto; Confira

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies