Menu
2018-11-01T11:39:17-03:00
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
Mercados

Mercados de ações emergentes perderam US$ 17,1 bilhões em outubro

Estimativa do Instituto Internacional de Finanças (IIF) aponta maior retirada de dinheiro desde agosto de 2013. Seria uma boa oportunidade de compra?

1 de novembro de 2018
11:39
mercados emergentes
Imagem: Shutterstock

Os mercados de ações dos países emergentes sofreram o maior saque de recursos desde agosto de 2013, quando o Federal Reserve (Fed), banco central americano, acenou que começaria a subir sua taxa de juros e retirar outros estímulos monetários.

As estimativas do Instituto Internacional de Finanças (IIF), que reúne mais de 450 bancos de 70 países, mostram uma saída bruta de US$ 17,1 bilhões dos portfólios de ações emergentes no mês passado, que foi marcado por um sentimento de fuga global de risco. Tal retirada está entre as quatro maiores já registradas desde que o acompanhamento começou em 2005.

Por outro lado, nota a IIF, os mercados de dívida emergentes conseguiram captar US$ 9,5 bilhões, em função das maiores taxas de juros. Assim, o resultado líquido do fluxo de recursos em ações e dívida emergente terminou o mês negativo em US$ 7,6 bilhões.

As movimentações se concentraram nos mercados da China, onde preocupações com a guerra comercial e menor crescimento resultaram em um saque de US$ 12,3 bilhões dos emergentes da Ásia.

Em seu relatório, a IIF pondera que um mês de saídas tão volumosas, além de ser um evento raro tende a representar uma oportunidade de compra.

Nos últimos quatro episódios de saídas superiores a US$ 10 bilhões, os 12 meses subsequentes registraram uma média de US$ 65 bilhões em novos ingressos, o que é visto como um bom indicativo de ativos baratos em um mercado “sobrevendido”.

“Conforme os investidores avaliam os riscos do aperto monetário do Fed e o potencial disruptivo da guerra comercial sobre as cadeias globais de fornecimento, essa venda pode ser uma boa oportunidade para se caças pechinchas ou uma armadilha de valor”, diz a IIF em seu relatório.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

covid-19

Brasil registra mais de 1.349 mortes por coronavírus em 24 h, novo recorde

Balanço divulgado pelo Ministério da Saúde trouxe 28.633 novas pessoas infectadas com o novo coronavírus, totalizando 584.016

efeito coronavírus

Vendas no varejo da zona do euro sofrem queda histórica de 11,7% de abril

Resultado ficou acima da expectativa de analistas consultados pelo The Wall Street Journal, que previam contração ainda mais acentuada nas vendas, de 19%

Exclusivo SD Premium

As melhores ações na bolsa para junho, segundo 14 corretoras

Após consultar 14 corretoras, o Seu Dinheiro selecionou as três ações favoritas de cada uma delas. No pódio, duas velhas conhecidas voltam para mais uma presença no ranking após um bom desempenho em maio.

Agenda BC#

BC estende regras para débito automático a contas de pagamento pré-pagas

A diretoria do Banco Central decidiu estender para as contas de pagamento pré-pagas (aquelas cujos recursos devem ser depositados previamente) as regras sobre autorização e cancelamento de débitos em conta que já estavam previstas para contas de depósitos e para contas-salário

Aprovação concedida

Tim e Vivo recebem aprovação da Anatel e do Cade para compartilhamento de rede

Serão compartilhadas infraestrutura de redes móveis para as tecnologias 2G, 3G e 4G

Empresa diz que não comenta

MPT-RS pede interdição de planta da JBS no Estado por surto de coronavírus

A JBS respondeu, sobre a ação civil pública movida nesta quarta, que não comenta processos judiciais em andamento

seu dinheiro na sua noite

Despiorou

Acabou a crise? Nesta quarta-feira, os mercados mantiveram o otimismo dos últimos dias. As bolsas subiram aqui e lá fora, ao mesmo tempo em que o dólar assistiu a mais um dia de alívio, chegando perto dos R$ 5 novamente. Está até difícil entender de onde sai tanto apetite por risco, dado que a pandemia […]

ANÁLISE

Quarentena de pijama? Não, no mundo cripto tem muita coisa rolando

Nas próximas linhas, Helena Margarido vai mostrar a você um mercado que caminha na contramão de todo establishment e permanece com alta demanda em meio à crise atual: a revolução está somente começando.

Ninguém segura

A corrida dos touros: Ibovespa sobe pelo quarto dia e volta aos 93 mil pontos; dólar cai a R$ 5,09

O Ibovespa teve mais um dia de ganhos e chegou ao maior nível desde 6 de março, sustentado pelo otimismo global. O dólar à vista caiu forte, chegando a R$ 5,01 na mínima da sessão

tombo histórico

Abinee reporta queda de 30,3% na produção do setor eletroeletrônico em abril

Essa foi a maior queda verificada na série histórica iniciada no início de 2002, segundo o presidente da entidade, Humberto Barbato

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements