Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2019-04-02T17:21:20-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Novo Governo

Eduardo Bolsonaro fala em privatizações de estatais por ‘Golden Share’

Deputado federal reeleito criticou governos petistas, os quais disse ter criado estatais “para esquema de corrupção”

3 de dezembro de 2018
12:47 - atualizado às 17:21
Eduardo Bolsonaro
Eduardo Bolsonaro - Imagem: Fabio Rodrigues Pozzebom/ Agencia Brasil

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente eleito Jair Bolsonaro, afirmou na manhã desta segunda-feira, 3, em entrevista ao programa A Hora da Verdade, da Radio Red, da Colômbia, que o governo do pai dele pode lançar mão de privatizações de empresas estratégicas usando o mecanismo de "golden share".

"Há um pequeno grupo de empresas públicas no Brasil que meu pai considera serem estratégicas. Estas empresas estratégicas nós podemos privatizar com a chamada 'golden share'", afirmou ao entrevistador Fernando Londoño, ex-ministro do Interior e da Justiça do presidente Álvaro Uribe.

O deputado federal reeleito disse ainda que muitas das empresas públicas criadas nos governos petistas foram feitas "para esquemas de corrupção, para que eles colocassem adiante suas nefastas práticas, eles colocaram a corrupção como mecanismo de governo".

"Temos algumas (empresas públicas) que simplesmente temos de fechar as portas, já que não há interesse privado para comprá-las", admitiu.

A certa altura da entrevista, Londoño perguntou a Eduardo Bolsonaro se o objetivo dele era fazer com que o País voltasse a crescer como nos anos 1970, na época do ex-ministro da Fazenda Delfim Netto. "Particularmente, não gosto muito, não concordo muito com Delfim Netto", disse o deputado.

'Ao menos tentamos'

"A esquerda vai tentar parar a todo o momento as reformas, o crescimento econômico. Se o Congresso não aprovar as reformas, ao menos vamos ter tentado. Temos de colocar as reformas adiante e comunicar os eleitores para que eles pressionem seus deputados para que eles as aprovem", disse Eduardo Bolsonaro ao entrevistador Fernando Londoño, ex-ministro do Interior e da Justiça do presidente Álvaro Uribe.

Sobre a relação com o Congresso, o deputado federal afirmou que o pai dele não tem compromissos com políticos tradicionais. "Ele (presidente eleito) vai armar sua equipe de trabalho e não tem que conceder cargos a ninguém", garantiu.

O deputado, reeleito com a maior votação da história do Congresso brasileiro, disse que a mudança de governo no Brasil faz parte de uma onda de conservadorismo que vive a América do Sul. "Seguramente, repito aqui o recado que deixei nos Estados Unidos. Não seremos mais socialistas, seremos um País conservador e liberal em termos econômicos", afirmou.

Após a visita aos EUA, Eduardo Bolsonaro está nesta segunda-feira na Colômbia, onde se encontra com o presidente do país, Iván Duque

*Com Estadão Conteúdo 

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

De olho na bolsa

Esquenta dos mercados: Decisão sobre juros e votação dos precatórios devem aumentar a cautela da bolsa hoje, sem o exterior para sustentar

A temporada de balanços aqui e no exterior também deve movimentar os negócios, com uma agenda cheia pela frente

Balanço

Santander tem lucro de R$ 4,3 bilhões no 3º trimestre, acima do esperado, e com retorno recorde

Resultado da unidade brasileira do banco espanhol representa um avanço de 12,5% em relação ao mesmo período de 2020 e superou mais uma vez a projeção média do mercado

O RUÍDO PERSISTE

Renda mínima permanente? Presidente da Câmara dá a entender que Auxílio Brasil pode se tornar política contínua

Expectativa é de que a mera menção a um programa de renda mínima permanente mantenha a pressão sobre os ativos financeiros locais

Quem dá mais?

A CCR (CCRO3) e o leilão da Dutra: o que está em jogo para a companhia?

A CCR (CCRO3) administra a Dutra desde 1996. Mas, com o novo leilão marcado para essa sexta (26), a empresa pode perder a concessão

ÚLTIMO ADEUS?

De malas prontas para deixar a B3, Banco Inter (BIDI11) reverte prejuízo em lucro líquido de R$ 19,2 milhões no terceiro trimestre

O banco digital também celebrou a marca de 14 milhões de clientes no período, um salto de 94% na comparação com o terceiro trimestre de 2020

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies