Menu
2019-04-04T15:57:05-03:00
Estadão Conteúdo
Dados divulgados pelo FMI

Brasil tem ‘gap’ de 39% em eficiência quando comparado aos países mais eficientes

Investimento público foi de apenas 2,1% do PIB entre 1995 e 2015, enquanto o porcentual foi de 6,4% em economias emergentes

30 de novembro de 2018
15:52 - atualizado às 15:57
Crise no Brasil
FMI afirma que há uma grande margem para aumento da eficiência do investimento público no Brasil - Imagem: Shutterstock

O Fundo Monetário Nacional (FMI) publicou nesta sexta-feira, 30, relatório em que destaca o baixo investimento público no Brasil na comparação com outros países dos Brics (bloco formado também por Rússia, Índia, China e África do Sul) e outros países da América Latina. De acordo com o fundo, o investimento público foi de apenas 2,1% do PIB entre 1995 e 2015, enquanto o porcentual foi de 6,4% em economias emergentes e 5,5% nos países latinoamericanos.

"Dado o espaço fiscal atualmente limitado, o governo está buscando melhorar a eficiência do investimento público e promover mais investimento do setor privado por meio de concessões", afirma o documento.

De acordo com o documento, há uma grande margem para aumento da eficiência do investimento público no Brasil. O fundo mediu o "gap de eficiência" do Brasil em relação aos países mais eficientes, que é de 39%. Nos demais países emergentes, o porcentual é de 27% e, nos da América Latina, 29%.

O fundo listou pontos positivos e negativos das instituições brasileiras. Entre os fortes estão planejamento nacional e setorial e abrangência do orçamento público, enquanto os fracos englobam avaliação de projetos, gerenciamento de concessões e parcerias público-privadas e seleção e priorização de projetos.

O relatório lembra que estão em andamento reformas para tentar solucionar os desafios brasileiros e fortalecer a gestão do investimento público. O fundo recomenda ainda ações como fortalecer a priorização estratégica do investimento público, desenvolver um banco de projetos de alta qualidade, padronizar os procedimentos avaliação e seleção de projetos e o aperfeiçoamento das análises e da estrutura dedicada às Concessões e Parcerias Público-Privadas.

Em nota em relação ao relatório, a Secretaria do Tesouro Nacional disse que reforça seu comprometimento com as reformas necessárias para a garantia do equilíbrio fiscal e melhora da transparência e da qualidade do gasto público. "Apenas com o equilíbrio fiscal e o controle das despesas obrigatórias é possível garantir espaço para a ampliação do investimento público, bem como assegurar a perenidade dos fluxos financeiros a serem aportados nos projetos", afirma.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

Lançamento

Livro de fundador da Empiricus defende o valor da estratégia para o investidor de sucesso

Escrito por Felipe Miranda e pelo jornalista Ricardo Mioto, “Princípios do Estrategista” une os cânones da academia à “sabedoria das ruas” para mostrar como ganhar dinheiro no mercado

Covas ou Boulos?

Como a eleição para prefeito mexe com o investimento em imóveis em São Paulo

Com revisão do Plano Diretor em 2021, investidor de ações de construtoras, fundos imobiliários e imóveis deve ficar de olho no resultado eleitoral. Há risco se Guilherme Boulos ganhar? E se Covas levar, setor pode ser beneficiado?

Dinheiro no bolso

Banco do Brasil anuncia pagamento de R$ 333 milhões em JCP do 4T20

Dessa forma serão pagos no dia 30 de dezembro e terão como base a posição acionária do dia 11 de dezembro de 2020

seu dinheiro na sua noite

Maradona e o rali da bolsa

O baixinho Maradona passa por dois marcadores, toca para o companheiro e depois corre para disputar a bola na área. Ele dá um salto e, de alguma forma, consegue subir mais que o goleiro inglês Peter Shilton para empurrar (literalmente) a bola para as redes. O lance do antológico gol de mão do craque argentino […]

fechamento dos mercados

Ibovespa desacelera com queda de Petrobras, mas fecha acima de 110 mil com Itaú e Vale e sobe 4% na semana

Bolsas americanas fecham para cima, renovando máximas históricas, em sessão mais curta; por aqui, ações de Petrobras reduziram alta perto do fim da sessão, eventualmente virando e fechando em queda, tirando índice acionário local da proximidade do pico intradiário

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies