Menu
2019-10-14T14:09:53-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
boas novas

Desde lançamento, 20% dos financiamentos pela Caixa foram IPCA, diz CEO da Tecnisa

Linha de crédito atualizada pela inflação vale para imóveis residenciais enquadrados no Sistema Financeiro da Habitação (SFH) e no Sistema Financeiro Imobiliários (SFI)

17 de setembro de 2019
15:01 - atualizado às 14:09
Caixa Economica Federal
Imagem: Shutterstock

O CEO da Tecnisa, Joseph Meyer Nigri, CEO da Tecnisa, diz que a linha de crédito imobiliário atualizada pela inflação já corresponde a 20% dos financiamentos realizados pela Caixa.

O executivo se refere ao programa lançado pelo banco há pouco menos de um mês e leva em conta a inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

"A demanda está muito boa e temos grande expectativa. Para a baixa renda é muito boa esta linha", disse Nigri. Ele acrescentou que, em meio à economia brasileira praticamente estável, o mercado imobiliário está "indo muito bem".

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

A linha de crédito atualizada pela inflação vale para imóveis residenciais enquadrados no Sistema Financeiro da Habitação (SFH) e no Sistema Financeiro Imobiliários (SFI).

Crescimento da economia

Para ele, o Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil deverá crescer 0,8% neste ano. "Estamos vendo confiança do consumidor, os bancos estão dando crédito, as taxas estão caindo e o desemprego diminuindo", apontou.

Sem abrir projeções para este ano ou guidance para 2020, Nigri estima que as vendas da Tecnisa neste ano cresçam "um pouco mais do que as do ano passado", enquanto os lançamentos ficarão estáveis.

"Tivemos dois no primeiro semestre e teremos apenas mais um neste segundo semestre. Já para o ano que vem, temos caixa e estrutura para realizarmos lançamentos no valor de R$ 1 bilhão".

A construtora obteve prejuízo líquido de R$ 283,29 milhões em 2018, valor 46,71% menor que o prejuízo líquido de R$ 531,59 milhões obtido no ano anterior. Já a receita líquida da companhia diminuiu 42,88% de um ano para o outro, passando de R$ 307,99 milhões em 2017 para R$ 175,93 milhões em 2018.

Segundo ele, após a oferta subsequente (follow on) realizada em julho, a empresa usou metade do dinheiro para quitar dívidas e a outra metade para comprar terrenos para aumentar os lançamentos no próximo ano. "Estamos com zero de dívida líquida", ressaltou.

*Com Estadão Conteúdo 

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

Poucas emoções

Num dia morno, o Ibovespa caiu e perdeu os 111 mil pontos; dólar recua a R$ 4,12

O Ibovespa cedeu a um leve movimento de correção e fechou em baixa, interrompendo a sequência de cinco altas consecutivas. Já o dólar à vista teve uma nova sessão de alívio, chegando à mínima em um mês.

MAIOR OTIMISMO COM PIB

Para Abimaq, PIB deve crescer 2,5% no próximo ano

A indústria, de uma maneira geral, de acordo com o executivo, vai crescer de 3,5% a 5%, focada muito no mercado interno

QUEDA À VISTA?

Bolsonaro sobre carne: Estamos na entressafra e preço vai diminuir

Bolsonaro disse que está levando “pancada” pelo preço da carne. “Muitos falam, nas redes sociais, que tem de ter tabelamento. Na Venezuela está tudo tabelado: vai lá comprar carne”, disse o presidente

DE OLHO NO CHURRASCO

Carnes podem continuar subindo até fim de janeiro ou início de fevereiro, diz FGV

Em meio ao aumento das exportações para a China por causa do impacto da peste suína africana (PSA) naquele país, a inflação das carnes foi destaque na aceleração, tanto no atacado quanto no varejo

Sorriso amarelo

Veneno numa mão, antídoto na outra: a estratégia da Gol para incorporar o Smiles

A nova proposta da Gol para a incorporação do Smiles é atrativa para os atuais acionistas da companhia de fidelidade, mas deixa clara a turbulência na relação entre as empresas

a conta do benefício

Gigantes do Vale Silício deixam de pagar US$ 100 bilhões em impostos em uma década

Seis das principais empresas do Vale do Silício têm se beneficiado de estruturas governamentais ainda não preparadas para lidar com os serviços oferecidos por elas. Amazon, Facebook, Google, Netflix, Apple e Microsoft — cujo valor de mercado somado é de R$ 4,5 trilhões — deixaram de pagar ao menos de US$ 100,2 bilhões em impostos […]

OLHO NAS COTAÇÕES

BTG Pactual eleva preço-alvo das ações de Lojas Americanas e B2W após Investor Day

No caso das Lojas Americanas, a previsão de alta é de 54,2% em relação ao fechamento da última sexta-feira. Já no caso da B2W, a valorização seria de 20,5%

Vitreo zera taxa de performance de fundos para investir no IPO da XP

Com a decisão, a Vitreo se tornou, na minha opinião, a melhor forma de você investir nas ações da XP. Resta agora saber se a gestora conseguirá participar da oferta, que acontece na bolsa norte-americana Nasdaq

banco central americano

Ex-presidente do Fed, Paul Volcker morre aos 92 anos

Volcker foi presidente do Fed entre 1979 e 1987 e, antes disso, havia comandado o a distrital do Fed de Nova York

Credit Suisse recomenda compra de ação do BMG após queda de 28% desde IPO

Os analistas do banco suíço – que foi um dos bancos coordenadores do IPO – iniciaram a cobertura das ações do BMG com preço-alvo de R$ 12,50, o que representa um potencial de alta de 50%

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements