Menu
Vinícius Pinheiro
O melhor do Seu Dinheiro
Vinícius Pinheiro
2019-05-16T19:02:32+00:00
Seu Dinheiro na sua noite

Sempre é hora de comprar dólar

16 de maio de 2019
19:02
O Melhor do Seu Dinheiro
Imagem: Andrei Morais/Seu Dinheiro

A pergunta que mais me fazem relacionada a investimentos é justamente aquela que eu considero a mais difícil de responder: para onde vai o dólar?

Imagino que você também esteja com essa dúvida depois que a moeda da terra de Donald Trump voltou a ser negociada acima dos R$ 4,00. Seria só o começo de uma disparada ou apenas um soluço?

Com a autoridade de quem já assistiu a esse filme algumas vezes - a primeira em 2002, na véspera da primeira eleição do Lula -, posso dizer que não faço a menor ideia de onde o dólar vai parar.

Mas repito aqui o que eu costumo afirmar aos amigos, médicos e motoristas de Uber: é preciso ter sempre uma pequena parte da sua carteira em dólares, seja diretamente ou via fundos cambiais. Afinal de contas, nós estamos no Brasil.

A última reprise do filme do dólar a R$ 4 é recente: aconteceu no fim de setembro, quando o país ainda vivia o impasse pré-eleitoral.

Com a confirmação da vitória de Bolsonaro e a expectativa da implantação de uma agenda liberal na economia, a bolsa engrenou e a moeda americana chegou a cair abaixo dos R$ 3,70.

O mercado se antecipou ao fato, mas o fato não veio, pelo menos não por enquanto. Com a tramitação devagar, quase parando da reforma da Previdência, e a ameaça de guerra comercial entre EUA e China, os investidores começaram a reduzir suas fichas.

O “tsunami” desta semana, que inclusive foi anunciado por Bolsonaro, fez o humor do mercado piorar ainda mais. Os estragos da onda sobre o dólar e o Ibovespa, que quase voltou a ficar abaixo de 90 mil pontos, você acompanha com o Victor Aguiar.

A pá de cal (ou de lama)

Desde cedo a bolsa já não vivia um dia positivo, mas a situação piorou de vez quando as ações da Vale - uma das poucas que se mantinham no azul - entraram em queda livre no meio da tarde. E o pessimismo com a mineradora tem um motivo claro: a empresa informou à Justiça que uma outra barragem corre sérios riscos de se romper nos próximos dias. A Bruna Furlani foi buscar os detalhes dessa história e conta para você nesta matéria.

Tanques vazios

O que aconteceu com o posto Ipiranga? Não, não estou falando do ministro Paulo Guedes, mas do primeiro e único dono do bordão nacionalmente conhecido. A Ultrapar, dona da rede de postos de combustível, divulgou seu balanço ontem à noite e, apesar de registrar lucro, não conseguiu convencer os investidores de que se deu bem no 1º trimestre. Resultado: queda de mais de 3% nas ações hoje. Para te ajudar a entender o que acontece com a empresa, a Jasmine Olga trouxe nesta matéria as principais reações dos analistas sobre os números da companhia.

Uma questão de prioridades

Já faz um tempo que a palavra de ordem dentro do Banco Central é “paciência”. A instituição tem continuamente pregado a calma e a tranquilidade como chave do sucesso na condução dos juros. Mas muita gente boa tem questionado essa estratégia, sobretudo diante da fragilidade da economia brasileira. Não seria a hora de uma redução da Selic, mesmo a um custo de um pouco mais de inflação? O presidente do BC, Roberto Campos Neto, respondeu a essa questão em uma audiência hoje no Congresso, que o Edu Campos acompanhou de perto.

O verdadeiro alvo

Quando o meio de campo da política já parecia embolado, o ressurgimento de notícias de supostas práticas de corrupção e lavagem de dinheiro envolvendo o senador Flávio Bolsonaro, filho mais velho do presidente, dificultou ainda mais o jogo para o governo. E quem resolveu falar sobre o assunto hoje foi o próprio Jair Bolsonaro. Para o capitão, o objetivo final de todo esse esquema de investigações é ele próprio. Lá dos Estados Unidos, o presidente contra-atacou bem ao seu estilo. Saiba tudo o que Bolsonaro disse sobre as investigações.

Já acabou ou ainda tem mais?

Voltando a falar em moedas, não foi só o dólar que subiu. A forte alta na cotação do bitcoin nas últimas semanas animou os investidores que apostam na tecnologia. E não seria para menos, afinal a criptomoeda voltou a romper patamares que não eram vistos desde o fim do ano passado. Mas o que acontece daqui para frente? O bitcoin tem mais espaço para subir ou a valorização é passageira? Quem traz todas as respostas é o nosso colunista André Franco.

Sobre destinos e caminhos

Nessa semana você acompanhou aqui no Seu Dinheiro que o Tesouro Direto pagou um total de R$ 9 bilhões aos investidores. Mas esse dinheiro todo foi só uma parcela do total de R$ 88 bilhões em vencimento de títulos. Para além das dicas que já demos sobre o melhor lugar para guardar os valores recebidos no Tesouro, muita gente fica na dúvida sobre para onde efetivamente foi toda essa grana que o governo pagou. Saiba com a nossa colunista Angela Bittencourt onde os peixes grandes do mercado colocaram esse dinheiro.

Este artigo foi publicado primeiramente no "Seu Dinheiro na sua noite", a newsletter diária do Seu Dinheiro. Para receber esse conteúdo no seu e-mail, cadastre-se gratuitamente neste link.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

Vem que vem!

Banco N26, o “Nubank alemão”, levanta mais US$ 170 mi e diz que o seu próximo destino pode ser o Brasil

Com isso, ele elevou o seu valor de mercado para US$ 3,5 milhões e passou a figurar entre as startups europeias mais valiosas e entre as dez principais fintechs do mundo

De volta para o dono

Lava Jato recupera mais R$ 67 mi no exterior

Os valores foram transferidos para contas judiciais vinculadas ao processo e integram os mais de R$ 13 bilhões que são alvo de recuperação pela Lava Jato ao longo de cinco anos de operação, destaca a Procuradoria

Seu Dinheiro na sua noite

O herói improvável

As histórias que mexeram com o Seu Dinheiro hoje

De olho nos valores

Preço médio dos imóveis residenciais sobe 0,36% em junho em dez capitais

A pesquisa mostrou que, no mês, todas as dez capitais pesquisadas tiveram alta nos preços médios: Brasília (0,04%), Fortaleza (0,06%), Salvador (0,08%), Porto Alegre (0,16%), Rio de Janeiro (0,18%), Belo Horizonte (0,19%), Curitiba (0,19%), Goiânia (0,22%), Recife (0,38%) e São Paulo (0,68%)

DE OLHO NO GRÁFICO

Bitcoin em nova alta e S&P no sinal amarelo

Fausto Botelho está estupidamente otimista com o bitcoin, que pode ter uma nova onda de valorização. Já o S&P, principal índice americano, pode trazer um terremoto para o resto do mundo

De olho nos próximos recebidos

Preparação de atendimento pela Caixa contribuiu para adiamento de saque do FGTS

Em 2017, para que 25,9 milhões de trabalhadores retirassem R$ 44 bilhões das contas inativas (de contratos anteriores) do FGTS, a Caixa preparou um esquema de atendimento que previu a abertura das agências mais cedo e nos fins de semana no período, que foi de 10 de março a 31 de julho

Entenda o caso

Depois de fixar o preço dos papéis em R$ 1,10 no follow-on, ações da Tecnisa despencam mais de 9%

O mais provável é que a queda vertiginosa esteja associada ao fato de que o papel esteja se ajustando ao preço estipulado na oferta de ações

A hora é agora

Como consultar o seu saldo do FGTS

Medida que injeta até R$ 30 bilhões na economia deve ser anunciada na próxima semana. Saiba como consultar o seu saldo do FGTS

Novidades na prateleira

RCI Brasil, das montadoras Renault e Nissan, passa a oferecer CDB com liquidez diária e rentabilidade de 102% do CDI

A desvantagem é que o valor inicial de aplicação do investimento é um pouco alto. No caso do Banco Sofisa, por exemplo, o valor inicial de aplicação é de R$ 1. Já no Inter e no C6 Bank, a aplicação inicial é de R$ 100

Aos números

Economia com reforma da Previdência após 1º turno fica em R$ 914,3 bilhões

Impacto fiscal ao longo de 10 anos sobe a R$ 933,5 bilhões, considerando aumento CSLL sobre os bancos. MP de fraudes pode render outros R$ 200 bilhões

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements