🔴 QUER SAIR DO ALUGUEL? NÃO USE O FGTS PARA FINANCIAR O IMÓVEL – CONHEÇA ESTA ESTRATÉGIA

Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
No Seu Dinheiro você encontra as melhores dicas, notícias e análises de investimentos para a pessoa física. Nossos jornalistas mergulham nos fatos e dizem o que acham que você deve (e não deve) fazer para multiplicar seu patrimônio. E claro, sem nada daquele economês que ninguém mais aguenta.
Desbancando os conservadores

Trabalhistas ganham de lavada eleições no Reino Unido e Keir Starmer é o novo primeiro-ministro; conheça o inquilino de Downing Street

Trabalhista tem como missão impulsionar o crescimento econômico, investir em energia verde, reformar o NHS, criar ruas mais seguras e oferecer oportunidades

Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
5 de julho de 2024
10:59 - atualizado às 11:51
O novo-primeiro ministro britânico, o advogado Keir Starmer - Imagem: Divulgação

O Partido Trabalhista britânico obteve uma vitória esmagadora sobre os conservadores na eleição realizada ontem. Na manhã desta sexta-feira (5), os trabalhistas já somavam 412 assentos dos 650 que compõem o Parlamento Britânico, enquanto os conservadores estavam com 121 cadeiras. Faltava ainda a apuração das urnas referentes a dois assentos.

Os trabalhistas colocam um fim ao domínio conservador nos últimos 14 anos. Pela manhã, o primeiro-ministro Rishi Sunak admitiu a derrota. Em seguida, saiu de Downing Street e renunciou como líder do Partido Conservador. Nomeado, o líder trabalhista Keir Starmer fez seu primeiro discurso como primeiro-ministro.

“Nosso trabalho é urgente – e começamos hoje”, disse ele, sob aplausos dos apoiadores. O discurso aconteceu após Starmer conhecer o Rei Charles III, no Palácio de Buckingham, quando foi formalmente convidado para formar um novo governo.

“Está claro para todos que nosso país precisa de uma reinicialização maior, uma redescoberta de quem somos”, disse Starmer na escadaria do número 10 da Downing Street, prometendo que seu partido servirá “primeiro ao país, depois ao partido”.

Starmer, 61, teve uma rápida ascensão política após entrar no parlamento do Reino Unido há menos de uma década. Mas muitos britânicos ainda sabem pouco sobre o homem que se posicionou como o candidato da mudança do país.

Advogado de direitos humanos que virou político

Starmer nasceu em 1962, em Londres, Inglaterra, filho de um pai que trabalhava como ferramenteiro e de uma mãe enfermeira.

Frequentemente, ele se refere às suas origens modestas como um ponto de conexão com os eleitores britânicos e diz que a batalha ao longo da vida de sua mãe contra uma doença grave lhe deu uma profunda gratidão pelo Serviço Nacional de Saúde (NHS), segundo a rede de TV CNBC.

Starmer foi o primeiro da família a ir para a universidade, estudando Direito na Universidade de Leeds. Após cursar pós-graduação na Universidade de Oxford, começou a trabalhar como advogado em 1987, assumindo casos de grande repercussão, como contra Shell, McDonald’s e os fechamentos de minas da ex-primeira-ministra conservadora Margaret Thatcher.

O advogado também atuou como consultor de direitos humanos durante o histórico Acordo de Sexta-feira Santa da Irlanda do Norte, promovido pelo ex-primeiro-ministro trabalhista Tony Blair.

Em 2008, um ano após se casar com Victoria, Starmer tornou-se diretor do Ministério Público, colocando-o à frente do Serviço de Promotoria Pública do Reino Unido.

Advogado foi nomeado cavaleiro em 2014

Starmer foi nomeado cavaleiro em 2014 por seus serviços à Justiça Criminal e foi eleito para o Parlamento no ano seguinte, servindo como ministro da Imigração e ministro do Brexit pela oposição.

Em 2020, ele foi nomeado líder trabalhista e instigou uma grande reformulação do partido após a renúncia de Jeremy Corbyn, que levou a facção a uma derrota recorde na eleição de 2019.

Em sua campanha eleitoral deste ano, Starmer apregoou uma “década de renovação nacional” para o país após o que o Partido Trabalhista descreveu como anos de cortes de gastos e queda nos padrões de vida sob o governo dos conservadores.

“No manifesto eleitoral do partido, publicado no mês passado, Starmer delineou medidas de gastos para criar uma nova empresa de energia de propriedade pública, reduzir o tempo de espera no NHS, construir novas casas e renacionalizar os serviços ferroviários”, afirma o texto do site da CNBC.

Mas ele também se posicionou firmemente pró-negócios, mantendo sua ofensiva sobre eleitores tradicionalmente de direita com planos para “criação de riqueza” e um Fundo Nacional de Riqueza.

“O crescimento econômico e a justiça social devem andar de mãos dadas”, disse Starmer no evento de lançamento do manifesto.

Missões estabelecidas pelo partido

O Partido Trabalhista delineou cinco missões de longo prazo com objetivo de retornar ao poder: impulsionar o crescimento econômico, investir em energia verde, reformar o NHS, criar ruas mais seguras e entregar “oportunidades”. Para ajudar nessas metas, Starmer planeja uma reformulação radical dos ministérios do governo, disseram autoridades trabalhistas ao jornal Financial Times, segundo a CBNC.

Starmer, que votou contra o Brexit em 2016, prometeu melhorar o acordo “malfeito” entre o Reino Unido e a UE, incluindo áreas como comércio, pesquisa e segurança. No entanto, insistiu que há pontos que não permitem à Grã-Bretanha se juntar novamente ao bloco.

Apesar de sua agenda de mudanças, Starmer é visto por muitos como uma figura do establishment, sem o carisma de outros políticos. Uma pesquisa da YouGov do início deste ano o classificou atrás de Nigel Farage, do Reform, em termos de popularidade pública — e sua classificação caiu ainda mais entre os eleitores mais jovens.

Os críticos também questionaram os valores centrais de Starmer — por exemplo, permanecer na equipe principal de Corbyn mesmo quando o líder do partido enfrentou acusações de antissemitismo dentro do Partido Trabalhista. Starmer posteriormente suspendeu Corbyn do partido.

Outros o acusaram de trair a esquerda ao cortejar líderes empresariais e abandonar promessas como a abolição das taxas universitárias.

No entanto, depois de alguns anos turbulentos para a política britânica — com três primeiros-ministros conservadores diferentes somente em 2022 — os apoiadores de Starmer o defendem como uma figura neutra para a estabilidade política.

*(Com informações das redes de TV CNBC e BBC)

Compartilhe

ELEIÇÕES NOS EUA

Kamala Harris usa passado como promotora para se contrapor a Trump e seus problemas com a justiça — e já aparece em vantagem em pesquisa

24 de julho de 2024 - 10:31

Pesquisa Reuters/Ipsos mostra Kamala Harris com 2 pontos de vantagem sobre Donald Trump no voto popular, mas não é ele que decide a eleição

TROPA NA RUA

Acabou para Maduro? Venezuela vive dias “quentes” antes de eleição que será teste de fogo para o chavista

23 de julho de 2024 - 19:58

Faltando poucos para a eleição de domingo (28), o presidente venezuelano trabalha mais arduamente do que nunca para reforçar a lealdade das Forças Armadas

KAMALAMANIA?

Kamala Harris já dispõe de apoio suficiente entre os democratas, mas ainda tem um caminho a percorrer até ser a candidata oficial do partido

23 de julho de 2024 - 10:42

Candidatura de Kamala Harris precisa ser ratificada pelos delegados do Partido Democrata, o que só deve acontecer em agosto

"EU TE AMO"

Discurso inesperado: Biden fala pela primeira vez após desistência; Harris também se pronuncia

22 de julho de 2024 - 19:57

Biden convocou uma reunião de campanha para agradecer à sua equipe pelo trabalho árduo e para reforçar o apoio à campanha presidencial de Harris

WOMAN POWER

É histórico: Kamala Harris arrecada mais de US$ 100 milhões para o partido menos de 24 horas após Biden desistir da reeleição

22 de julho de 2024 - 19:02

A possibilidade de a vice presidente dos EUA se tornar a candidata democrata canaliza uma enorme quantidade de recursos para os democratas enfrentarem Trump em novembro

ELEIÇÕES NOS EUA

A euforia com Trump vai durar? Os 5 fatores que podem fazer a onda vermelha se tornar um tsunami sobre os mercados

22 de julho de 2024 - 18:46

O estrategista-chefe do UBS Investment Bank listou os pontos de atenção para os investidores em caso de vitória do republicano em novembro

ELEIÇÕES NOS EUA

Como Kamala Harris pode complicar a vida de Donald Trump na disputa pela Casa Branca

22 de julho de 2024 - 10:06

Ao desistir da reeleição, Joe Biden endossou candidatura de sua vice, Kamala Harris, à presidência dos Estados Unidos

ELEIÇÕES NOS EUA

Não deu para Biden: presidente dos EUA cede à pressão e desiste da reeleição — saiba o que acontece daqui para frente 

21 de julho de 2024 - 15:44

No que depender de Biden, sua vice Kamala Harris deve ser o nome do partido para enfrentar Donald Trump nas urnas em 5 de novembro; Trump se manifesta sobre a desistência

ATUALIZANDO O PORTFÓLIO

Por que Warren Buffett decidiu vender US$ 1,48 bilhão em ações de um bancão norte-americano

20 de julho de 2024 - 17:48

A Berkshire Hathaway vendeu cerca de 33,9 milhões de ações desta instituição financeira em diversas transações nesta semana

MELHORES MOMENTOS GIRO DO MERCADO

Trump mais vivo do que nunca: os impactos no dólar, cripto e juros — e os principais riscos da provável vitória do republicano 

19 de julho de 2024 - 18:14

Donald Trump saiu do atentado do último sábado mais vivo do que nunca. Agora, se já não era antes, o republicano é o nome mais forte na corrida e provavelmente voltará a ocupar a Casa Branca — e os mercados já estão tentando prever os impactos disso.  A percepção de que o ex-presidente saiu ganhando […]

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar