🔴 NOVA META: RENDA EXTRA DE ATÉ R$ 2.000,00 POR DIA – VEJA COMO

Camille Lima
Camille Lima
Repórter no Seu Dinheiro. Estudante de Jornalismo na Universidade Municipal de São Caetano do Sul (USCS). Já passou pela redação do TradeMap.
CÉU NORTE-AMERICANO

Embraer (EMBR3) fecha negócio de mais de US$ 7 bilhões com American Airlines e ação sobe na B3; confira os detalhes do acordo

A empresa recebeu uma encomenda de até 133 jatos E175 da companhia norte-americana, com 90 pedidos firmes

Camille Lima
Camille Lima
4 de março de 2024
14:27 - atualizado às 7:52
Embraer (EMBR3)
Embraer (EMBR3) - Imagem: Divulgação

Os céus norte-americanos serão ocupados por ainda mais aeronaves brasileiras. A Embraer (EMBR3) acaba de anunciar um acordo bilionário com a American Airlines.

A companhia recebeu uma encomenda de até 133 jatos E175, considerados a “espinha dorsal” da Embraer nos Estados Unidos. No total, são 90 pedidos firmes e direito de compra de outras 43 aeronaves do mesmo modelo.

Se todos os direitos de aquisição forem exercidos, o negócio deve superar o valor de US$ 7 bilhões, considerando o preço de tabela dos jatos.

De acordo com a companhia, o valor referente aos pedidos firmes será incluído na carteira de pedidos da Embraer no primeiro trimestre de 2024.

Vale destacar que o E175 é um dos modelos mais populares na região dos Estados Unidos e atingiu uma participação de mercado de 88% no segmento desde 2013, com 837 aeronaves vendidas — incluindo as 90 encomendadas já confirmadas hoje.

Após o anúncio do negócio, as ações da Embraer (EMBR3) passaram a reagir em alta na bolsa brasileira na tarde desta segunda-feira (04). Os papéis fecharam o dia em alta de 4,33%, negociados a R$ 27,00.

O negócio da Embraer (EMBR3) e American Airlines

Essa não é a primeira vez que a American Airlines compra os aviões da família E175 da Embraer (EMBR3). 

Em junho do ano passado, a companhia norte-americana assinou contrato para a compra de sete novos jatos, que seriam operados pela subsidiária Envoy Air. Já em outubro de 2023, a empresa encomendou outras quatro aeronaves

“Este é o maior pedido de E175 já realizado pela American Airlines e agradecemos a contínua confiança em nossos produtos e pessoas”, afirma Arjan Meijer, CEO da Embraer Aviação Comercial, em nota.

Segundo o comunicado à imprensa, as aeronaves da Embraer (EMBR3) serão fabricadas na configuração padrão de duas classes da American Airlines, com 76 assentos.

“Este pedido continuará a fortalecer nossa frota com as mais novas e mais eficientes aeronaves, para seguirmos oferecendo aos nossos clientes a melhor malha aérea, com confiabilidade operacional recorde”, disse o CEO da American Airlines, Robert Isom.

A American Airlines pretende aposentar todas as suas aeronaves com capacidade de até 50 assentos, em classe única, até o fim de 2030.

Isso porque um dos objetivos da companhia norte-americana é operar aeronaves regionais de cabines maiores e configuradas em duas classes para passar a servir os mercados de menor e médio porte enquanto também atende a sua malha aérea global. 

A expectativa é que os jatos regionais com duas classes de cabine passem a dominar a frota regional da American Airlines assim que as entregas das aeronaves E175 da Embraer forem concluídas.

Além dos jatos da Embraer, a American Airlines ainda encomendou 85 aeronaves da Airbus do modelo A321neo e 85 aviões 737 MAX 10 da Boeing. Os pedidos também incluem opções e direitos de compra para mais 150 aviões.

Compartilhe

O boi Subiu no telhado?

Sinal vermelho para a Minerva (BEEF3): autoridade uruguaia barra compra de plantas de abate da Marfrig (MRFG3) no país

21 de maio de 2024 - 18:38

O negócio faz parte de uma transação de R$ 7,5 bilhões anunciada em agosto do ano passado; Minerva deve recorrer da decisão

LUCHA LIBRE DAS FINTECHS

Como o Mercado Livre (MELI34) pretende enfrentar o Nubank em disputa pelo mercado do México

21 de maio de 2024 - 17:26

O Mercado Pago está em busca de uma licença bancária para se estabelecer como “o maior banco digital do México”, em uma briga direta com o Nu

FICOU BARATA?

Ação da Suzano não para de cair na B3 — e esse bancão vê dois futuros possíveis para SUZB3. É hora de abocanhar os papéis?

21 de maio de 2024 - 12:28

O BTG Pactual acredita que a intensa desvalorização recente abriu uma oportunidade de se tornar sócio da companhia a preços muito baixos — mas há riscos no radar

NADANDO COM TUBARÕES

Adeus, Shark Tank? Justiça acata recuperação judicial da Polishop, de João Appolinário

21 de maio de 2024 - 12:16

Em meio a cobranças e ações de despejo, recuperação judicial protege a Polishop de seus credores por 180 dias

TENTATIVA DE RECUPERAÇÃO

Unigel obtém acordo com credores para reestruturar dívida de mais de R$ 4 bilhões

21 de maio de 2024 - 9:40

A empresa de químicos começou a romper compromissos com alguns credores em setembro de 2023, antes de entrar com a proposta de recuperação

REPORTAGEM ESPECIAL

Pão de Açúcar (PCAR3) volta às origens e tenta se reinventar após “desmanche” no fim da era Casino

21 de maio de 2024 - 6:19

Situação do Pão de Açúcar pode mudar à medida que a atual administração consiga trazer a operação de volta à rentabilidade; saiba o que esperar das ações da rede de supermercados

AVAL DOS MUNICÍPIOS

Sinal verde para privatização: Municípios de SP aprovam “último passo” para desestatizar a Sabesp (SBSP3)

20 de maio de 2024 - 18:47

No passo final do processo de desestatização, centenas de prefeitos de São Paulo assinaram um contrato unificado com a companhia de saneamento

DE OLHO NAS REDES

Interferência na Petrobras ainda vai longe? Os planos de Lula para a empresa não agradam nem um pouco o mercado — e agora? 

20 de maio de 2024 - 18:11

Os ruídos dentro na Petrobras (PETR4) não são de agora e a principal preocupação do investidor de PETR4 é a influência do presidente Luiz Inácio Lula da Silva na estatal.  Enquanto o governo quer que a estatal faça cada vez mais investimentos, o mercado enxerga que isso pode ser um perigo, dado o risco de […]

ENTENDA O IMBRÓGLIO

Vibra (VBBR3) compra seu edifício-sede no Rio, mas transação causa impasse para investidores de CRI e fundos imobiliários

20 de maio de 2024 - 17:02

Não se trata de um calote como os vistos no mercado de CRI no ano passado, mas sim de uma situação muito mais complexa do ponto de vista jurídico

MAIOR CAUTELA

Fusão entre Petz (PETZ3) e Cobasi anima analistas — mas esse bancão ainda vê potencial de alta limitado para ações

20 de maio de 2024 - 16:02

Bank of America elevou o preço-alvo dos papéis da Petz nesta segunda-feira (20), mas manteve recomendação neutra; entenda

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar