🔴 NOVA META: ATÉ R$ 3.000 POR DIA COM DUAS OPERAÇÕES – CONHEÇA O INDICADOR X

Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
No Seu Dinheiro você encontra as melhores dicas, notícias e análises de investimentos para a pessoa física. Nossos jornalistas mergulham nos fatos e dizem o que acham que você deve (e não deve) fazer para multiplicar seu patrimônio. E claro, sem nada daquele economês que ninguém mais aguenta.
Mudanças no BC

Proposta de Emenda à Constituição dá mais um passo para a autonomia total do Banco Central

Senador enviou parecer que prevê autonomia orçamentária e financeira para o BC

Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
5 de junho de 2024
18:30 - atualizado às 10:49
Roberto Campos Neto, presidente do Banco Central
O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, que defende a autonomia da autarquia - Imagem: Marcos Oliveira/Agência Senado

O senador Plínio Valério (PSDB-AM) entregou hoje (05/06) à Comissão de Constituição e Justiça do Senado parecer que dá mais um passo para a autonomia do Banco Central. O parecer da Proposta de Emenda à Constituição 65/2023 (PEC) prevê autonomia orçamentária e financeira BC.

A matéria inclui na Constituição a autonomia operacional da autoridade monetária, que hoje é prevista pela Lei Complementar 179, aprovada em 2021. 

A PEC transforma o BC de uma autarquia federal vinculada, mas não subordinada, ao Ministério da Fazenda, em uma empresa pública, com natureza especial devido ao exercício de atividade estatal, passando a ter personalidade jurídica de direito privado.

A autonomia é defendida pelo presidente do BC, Roberto Campos Neto. O Executivo ainda não se manifestou oficialmente sobre o tema. A proposta recebeu a assinatura de 42 senadores. Para ser aprovada no plenário, uma mudança constitucional precisa do voto de 49 senadores em dois turnos.

Independência financeira e receitas próprias   

O senador Plínio Valério justifica a medida argumentando ser necessária para que a instituição possa desenvolver suas atividades “sem constrangimentos financeiros”. Com a autonomia proposta, o orçamento do BC não dependeria mais dos repasses do Tesouro Nacional, usando as receitas próprias “geradas pelos seus ativos, para custear suas despesas com pessoal, custeio em geral, investimentos e outras”.

O relator acrescentou ainda que a medida traria alívio para as contas da União, por não precisar arcar com os gastos do BC. Além disso, a proposta impõe limites para o gasto com servidores, que terão os reajustes salariais limitados à inflação “para evitar crescimento exacerbado desta rubrica orçamentária”. Um reajuste acima da inflação dependerá de autorização do Senado.  

Se aprovada a PEC, os servidores deixam de ser regidos pelo regime único da União e se tornam empregados públicos, regidos pela CLT (Consolidação das Leis do Trabalho). Devido a essa mudança, o parecer prevê regras que impeçam demissão sem motivos. 

Os integrantes do quadro próprio e permanente de pessoal do Banco Central somente poderão ser demitidos em virtude de sentença judicial transitada em julgado ou em caso de cometimento de falta grave”, define a PEC.

Funcionários do BC não terão perdas, diz relator 

A proposta ainda prevê compensação financeira para a previdência dos atuais servidores que migrarem para a CLT. “Deve-se levar em conta o princípio máximo de não prejuízo e de proteção aos atuais servidores que não podem sofrer perda de direitos adquiridos na sua atual situação funcional, adotando uma regra de transição no processo de mudança de regime jurídico”, diz o relator. 

Servidores do Banco Central estão divididos. O Sindicato Nacional dos Funcionários do Banco Central (Sinal) argumenta que a medida afasta o Banco Central do Executivo, dificultando a coordenação das políticas monetária e fiscal, favorecendo uma “elite” dentro da instituição. 

“[A preocupação] é a de que algumas medidas tomadas por futuros diretores do BC sejam influenciadas não pela boa execução da política econômica necessária ao país, mas sim pela vontade de gerar lucros para justificar bônus de produtividade individual para diretores da casa”, argumenta, em nota, o sindicato. 

A Associação Nacional dos Analistas do Banco Central defende a PEC. A associação afirma que o BC vem sofrendo cortes orçamentários que colocam em risco os projetos e investimentos necessários para manutenção e expansão dos serviços prestados. 

“Sem recursos, a manutenção de sistemas e a atuação do BC são prejudicadas”, diz o informe da ANBCB divulgado aos senadores. 

*Com informações da Agência Brasil

Compartilhe

Pressão do mercado

Haddad diz que “vai dar uma geral” no Orçamento 2025 e acelerar agenda de cortes de gastos

13 de junho de 2024 - 16:40

Segundo o ministro da Fazenda, será feita uma “revisão ampla, geral e irrestrita” das propostas para reduzir despesas

Questão fiscal brasileira

‘Modelo de arrecadação esgotou e governo tem que olhar para os custos’, afirma sócio da O2 capital

13 de junho de 2024 - 9:16

Oestes Costa comenta a necessidade de uma mudança na agenda econômica para “destravar o país” e recomenda investimentos para uma carteira diversificada; confira

LOTERIAS

Lotofácil sai para bolão em SP e Caixa recebe apostas exclusivas para a Quina de São João; Mega-Sena acumulada corre hoje

13 de junho de 2024 - 5:54

Enquanto a Lotofácil faz jus à fama de loteria “menos difícil” do Brasil, prêmio da Mega-Sena está acumulado em R$ 40 milhões

PRÊMIO BANCO CENTRAL DO ANO

Recado para Lula e Haddad? A declaração de Campos Neto sobre a autonomia do BC e as decisões de juros para conter inflação

12 de junho de 2024 - 19:54

Presidente da autoridade monetária recebeu o prêmio “Banco Central do Ano”, conferido pelo portal de notícias Central Banking, em Londres e aproveitou para falar sobre sua gestão

AJUDA AO GOVERNO

Dividendos pingando na conta do Tesouro: BNDES eleva pagamento de proventos para 50% — e cifra deve chegar a R$ 16 bilhões

12 de junho de 2024 - 19:30

Aumento do percentual de pagamento de dividendos de 25% para 50% não deve reduzir os desembolsos do banco, segundo Aloizio Mercadante

De olho nos petrodólares

Ministro da Agricultura elege sauditas como “parceiros preferenciais”

12 de junho de 2024 - 18:42

Fávaro disse que tem fechado acordos para infraestrutura e formação de fundos com a Arábia Saudita

PRESTAÇÃO DE CONTAS

O que o TCU viu de certo — e também de errado — nas contas do governo Lula em 2023?

12 de junho de 2024 - 18:21

A auditoria da prestação de contas de Lula no ano passado verificou cerca de R$ 109 bilhões em irregularidades e distorções de valor no balanço da União

MINISTROS DIVIDIDOS

A remuneração do FGTS vai mudar: confira a decisão do STF sobre o cálculo que pode afetar o setor imobiliário

12 de junho de 2024 - 16:15

Atualmente, os valores depositados no fundo remuneram a Taxa Referencial (TR) mais 3% ao ano, além do eventual lucro no período, mas o cálculo vai mudar.

MP da Compensação

Senado avalia usar Imposto de Renda, repatriação e dinheiro esquecido para compensar a desoneração da folha

12 de junho de 2024 - 12:03

Uma das fontes avaliadas pelo Senado para compensar desoneração é a taxação de compras internacionais

AI MINHAS COMPRINHAS

Câmara aprova lei que taxa compras internacionais de varejistas como Shein, AliExpress e Shopee. Lula vai vetar?

12 de junho de 2024 - 10:08

A alíquota de 20% sobre o e-commerce estrangeiro foi um “meio-termo” e substituiu a ideia inicial de aplicar uma cobrança de 60% sobre mercadorias que vêm do exterior

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar