🔴 NOVA META: ATÉ R$ 3.000 POR DIA COM DUAS OPERAÇÕES – CONHEÇA O INDICADOR X

Rodolfo Amstalden: Não temos mais história para contar (por enquanto)

Toda queda da Bolsa brasileira tem uma história por trás… Mas talvez a realidade seja mais complicada que isso

29 de maio de 2024
19:46 - atualizado às 17:49
Investidores gringos fugindo da bolsa brasileira
Reprodução/Montagem: Maria Eduarda Nogueira -

De quem é a culpa pela aparente letargia da Bolsa brasileira em 2024?

Seria fácil responsabilizar a fragilidade do arcabouço fiscal, mas não me parece que teríamos aí uma explicação completa.

O Brasil está quase sempre em desequilíbrio fiscal; ainda que haja algumas novidades ruins nesse sentido, não são novidades crônicas.

O humor local melhora e a Bolsa brasileira sobe não por termos resolvido o fiscal, mas sim quando oferecemos algo de bom para ofuscar ou compensar nossos pecados capitais.

No momento, porém, não estamos conseguindo oferecer nenhuma tese construtiva que possa convencer aos gringos ou a nós mesmos…

A verdade é que o Brasil ficou sem narrativa de curto prazo.

Até pouco tempo atrás, tínhamos uma história bem clara e interessante para contar: dentre os primeiros a apertar o torniquete monetário, mereceríamos também a vanguarda quando chegasse a hora de cortar a Selic.

Mas essa trajetória foi interrompida bem antes do que todos imaginavam, e não existem perspectivas tangíveis de resgatá-la em 2024.

Ao contrário, aliás; em uma leitura pragmática das últimas publicações do Focus, de pura e simples desancoragem das expectativas de inflação, até mesmo a hipótese de aumento dos juros passa a ser reconsiderada.

O futuro da Bolsa brasileira

Em meio a tantas notícias desoladoras, aqueles investidores hipermétropes e esperançosos (dentre os quais me incluo) já caem na tentação de sugerir o potente gatilho das próximas eleições presidenciais.

Com Lula se afastando da Frente Ampla, Haddad buscando seu caminho e Tarcísio ganhando popularidade, vão se acumulando chances reais de um governo mais market friendly a partir de 2027.

No entanto, esta é uma agenda ainda um pouco distante para o mecanismo de precificação do mercado. Talvez funcione bem quando nos aproximarmos da virada entre 2025 e 2026, mas é uma fruta verde por enquanto.

Isso tudo para constatarmos algo doloroso, mas necessário: enquanto não surgir uma nova narrativa promissora de curto prazo, não devemos alimentar grandes esperanças de valorização para a Bolsa brasileira.

De pouco adianta os múltiplos estarem negociando a preços atrativos.

Bolsa barata sem tecido narrativo não fica cara.

E paciência aqui: esse impasse pode continuar por mais tempo do que gostaríamos.

Compartilhe

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

Som e fúria na bolsa: Ibovespa parte do menor nível do ano com ruído sobre meta fiscal no Brasil e juros altos nos EUA

13 de junho de 2024 - 8:48

Disparada das ações do Méliuz, alteração do FGTS, autonomia do Banco Central e contas do governo Lula também ditam o tom do Ibovespa hoje; confira

EXILE ON WALL STREET

Rodolfo Amstalden: O que nos separa, agora, é uma mera questão contratual

12 de junho de 2024 - 20:01

Não tem mais essa de experiências informais em relacionamentos, tudo agora é formalizado por um contrato entre as partes

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

Ligando os pontos na bolsa: em dia de dot plot do Fed, inflação e rumo dos juros nos EUA ganham destaque; confira essas e outras notícias que mexem com o seu bolso hoje

12 de junho de 2024 - 8:37

Enquanto investidores também aproveitam o Dia dos Namorados, perda da dominância do dólar, recompra de ações da Rede D’Or e MP do PIS/Cofins entram no rada

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

O fundo do poço está próximo? Decisão do Fed sobre juros nos EUA, inflação no Brasil, fusão no setor de saúde e outros destaques do dia que indicam o tom do Ibovespa

11 de junho de 2024 - 8:42

Mercado aguarda posicionamento do Fed sobre inflação nos EUA nesta quarta-feira; nova marca de gestora de FII e compra milionária da Ultragaz também entram no radar dos investidores

INSIGHTS ASSIMÉTRICOS

Semana de decisão: Postura do Fed sobre juros e inflação nos EUA vão definir rumo dos mercados no curto prazo

11 de junho de 2024 - 6:51

A quarta-feira será crucial para a narrativa macroeconômica global — e países emergentes como o Brasil podem estar prestes a receber uma má notícia

EXILE ON WALL STREET

Tony Volpon: Samba de uma nota só

10 de junho de 2024 - 20:01

A bolsa americana vem dançando junto com a Inteligência Artificial há um tempo, mas agora ela está focada em uma única empresa: a Nvidia

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

Ibovespa tenta preservar os dedos em meio ao tom negativo das bolsas internacionais, juros nos EUA, IPCA no Brasil e outras notícias que agitam os mercados

10 de junho de 2024 - 8:27

FIIs favoritos para junho, parceria do Brasil com a dona do AliExpress e ajuda ao RS também ganham destaque no radar dos investidores nesta segunda-feira

Mande sua pergunta!

Quero o divórcio, mas moro nos EUA com visto de acompanhante e nossos bens estão em nome de terceiros; e agora?

8 de junho de 2024 - 8:00

Ela ainda não obteve o green card, e ainda teme ficar sem nada após o divórcio, pois os bens da família não estão no nome do marido

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

Ibovespa entre piques e repiques: Bolsa brasileira fica a reboque de dados do payroll nos EUA; confira o que movimenta os mercados hoje

7 de junho de 2024 - 8:34

Ibovespa rompe sequência de quedas e novos ganhos estão sujeitos a dados econômicos dos EUA; mercados também digerem PIB na zona do Euro e superávit comercial da China

SEXTOU COM O RUY

Lucros e dividendos das seguradoras estão em risco após as enchentes? Não para a minha preferida do setor

7 de junho de 2024 - 6:09

Não espero grande redução do lucro por conta da catástrofe nos resultados dessa companhia que, além de um histórico operacional muito resiliente, negocia por múltiplos interessantes

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar