🔴 [TESTE GRÁTIS] 30 DIAS DE ACESSO A SÉRIE RENDA IMOBILIÁRIA – LIBERE AQUI

A Oi (OIBR3) é uma pechincha? Se você quer ter um sono tranquilo e bons lucros, olhe para outra empresa do setor

Essa companhia distribuiu R$ 4,8 bilhões em dividendos e, como o grosso do investimento em fibra parece ter ficado para trás, a expectativa é de que esses proventos aumentem ainda mais

1 de março de 2024
6:05 - atualizado às 10:54
concorrente da oi oibr3 ação fundo
Imagem: Adobe Stock/Montagem: Giovanna Figueredo

Todas as manhãs, vivo a mesma rotina: entro no escritório, ainda praticamente vazio, vou até a copa, pego um copo de água e uma xícara de café, sento à minha mesa, e aguardo pacientemente meu computador carregar. Depois de tomar tranquilamente a minha xícara de café, começo a labuta.

A vantagem de chegar cedo é que, quando ligo o computador, o Teams ainda está calmo, e meu email ainda não está lotado de mensagens para responder, o que me dá um pouco de paz para ler alguns relatórios e as notícias do dia antes de a bolsa abrir. Bem, esse é o dia perfeito, quem dera fosse sempre assim…

Sem paz durante o cafezinho

Eu não sei se você viu, mas as ações da Oi (OIBR3) chegaram a subir 50% na semana passada, o que alguns dizem estar ligado à compra em massa de ações por um fundo que teria como um de seus principais investidores o empresário Nelson Tanure.

Só na quarta-feira passada (21) a alta foi de 11%. E toda vez que algo extraordinário acontece, como um ganho muito forte, um tombo, uma notícia impactante ou algo do tipo, muita gente vem me perguntar o que está acontecendo com aquela ação.

Na manhã seguinte àquela alta da Oi, meu e-mail estava lotado de mensagens. Antes mesmo de terminar minha xícara de café, já estava respondendo dezenas de pessoas sobre o que estava acontecendo com Oi, se era para comprar, se era para vender, se ia continuar subindo, se iria cair, se eu poderia escrever um relatório sobre, etc.

Mas quem disse que o assunto terminou ali? Queria eu poder voltar a tomar minha xícara de café tranquilamente nos dias seguintes, mas três pregões depois daquela alta, OIBR3 desabou 16%(!).

E aí você já sabe né, nada de paz durante o cafezinho…

  • Quais são as melhores recomendações de investimento para março das maiores casas de análise e bancos do país? O Money Picks analisou 20 carteiras recomendadas para descobrir a resposta – veja aqui gratuitamente.

Quer emoção? Vai para Las Vegas

Não me leve a mal, vivo de analisar ações e eu adoro fazer isso. O que me incomoda é o fato de boa parte das pessoas só se interessar por histórias problemáticas, que costumam trazer muita dor de cabeça e nenhum retorno.

O sobe e desce das ações da Oi é ótimo para entretenimento, gerar visualizações no Youtube, atrair leitores para os jornais, e sua história tem tudo o que é preciso para virar uma série de sucesso na Netflix.

Mas não é isso que você deveria buscar ao investir. Como disse Warren Buffett certa vez, "investir deveria ser parecido com assistir a tinta secar ou a grama crescer. Se você quer emoção, pegue seu dinheiro e vá para Las Vegas".

Vivo (VIVT3): sem emoção, mas com muito retorno

Um exemplo de investimento que se parece com assistir a grama crescer é a Vivo (VIVT3). Trata-se de uma empresa bastante conservadora e um negócio extremamente estável – tão estável que chega a ser chato.

E nem por isso tem sido um investimento ruim, muito pelo contrário: na comparação com a Oi, até teríamos ficado um pouco atrás nos últimos 6 meses.

Mas teríamos ganhado muito mais dinheiro com ela nos últimos 12 meses.

Nos últimos cinco anos, então, chega a ser covardia…

Fonte: TradingView

Mas mais importante do que o retorno maior, é a tranquilidade com que ele foi conquistado. Enquanto os acionistas da Oi estão acostumados a perder noites e mais noites de sono, ninguém nunca me mandou mensagem às 23h30 perguntando "o que aconteceu com a Vivo?". Nunca cheguei no escritório pela manhã com minha caixa de e-mail lotada com perguntas sobre ela.

Se dependesse apenas da Vivo, minhas manhãs seriam sempre tranquilas. Mas vocês insistem em procurar pêlo em ovo…

Vivo ainda paga ótimos dividendos

Além de ter apresentado ótima evolução operacional nos últimos trimestres – o que ajudou nessa valorização das ações –, a Vivo ainda é uma ótima pagadora de dividendos, mais uma vantagem trazida pela estabilidade de seus resultados.

No último ano, a companhia distribuiu R$ 4,8 bilhões em dividendos e, como o grosso do investimento em fibra parece ter ficado para trás, a expectativa é de que esses dividendos aumentem ainda mais.

Fonte: Vivo

Aliás, a própria gestão se comprometeu a distribuir, no mínimo, 100% do lucro líquido na forma de proventos nos próximos anos. E como a expectativa é de um lucro de quase R$ 6 bilhões em 2024, devemos ter um crescimento interessante de dividendos pela frente.

Por esses motivos, a Vivo é uma das nossas ações preferidas na série Vacas Leiteiras, que conta com outras ótimas empresas boas não só para quem quer receber dividendos, mas também para quem não abre mão de tomar um café tranquilamente pela manhã.

Se quiser conferir a lista completa, deixo aqui o convite.

Um grande abraço e até a semana que vem.
Ruy

Compartilhe

INSIGHTS ASSIMÉTRICOS

Ataque do Irã poderia ter sido muito pior: não estamos diante da Terceira Guerra Mundial — mas saiba como você pode proteger seu dinheiro

16 de abril de 2024 - 6:17

Em outubro, após o ataque do Hamas, apontei para um “Kit Geopolítico” para auxiliar investidores a navegar por esse ambiente incerto

EXILE ON WALL STREET

Felipe Miranda: Cinco coisas que deveriam acabar no mercado financeiro

15 de abril de 2024 - 20:01

O sócio-fundador da Empiricus lista práticas do universo dos investimentos que gostaria de ver eliminadas

DE REPENTE NO MERCADO

O que Elon Musk, Javier Milei, Alexandre de Moraes, o halving do bitcoin e a China têm em comum? 

14 de abril de 2024 - 12:00

Acredite: tudo isso movimentou o mercado financeiro esta semana; veja os destaques

Especial IR 2024

Meu dependente paga pensão alimentícia; posso abatê-la no imposto de renda?

13 de abril de 2024 - 8:00

Titular da declaração de imposto de renda declara o pai como dependente, e ele paga pensão alimentícia à mãe dela. E agora?

SEXTOU COM O RUY

Enquanto você se preocupa com a Oi (OIBR3), esta empresa da B3 virou a campeã de qualidade no serviço de internet – e ainda está barata na bolsa

12 de abril de 2024 - 6:07

Para se diferenciar, essa companhia construiu uma infraestrutura de qualidade, que tem proporcionado prêmios de internet fixa mais rápida do Estado de São Paulo, à frente das gigantes de telecom

EXILE ON WALL STREET

Rodolfo Amstalden: Quintal da China, quintal do mundo

10 de abril de 2024 - 19:15

Se a economia chinesa sofre, nós necessariamente compartilhamos dessa desgraça?

INSIGHTS ASSIMÉTRICOS

Juro real de volta aos 6%: com bolsa na pior e dólar nas alturas, essa é uma nova oportunidade?

9 de abril de 2024 - 6:40

Uma regra prática comum para investimentos em renda fixa no Brasil sugere vender títulos quando os juros reais atingem 3% e comprá-los a 6%

EXILE ON WALL STREET

Além do bitcoin (BTC): esta carteira já rendeu 447% acima da maior criptomoeda do mercado

8 de abril de 2024 - 20:01

Acredito que exista uma forma melhor de pensar sobre a ciclicidade do preço do bitcoin (BTC), que historicamente nos ajudou a gerar alfa neste mercado

BOMBOU NO SD

Argentina entra na rota de ‘paraíso fiscal’, China encara mesma crise do Japão e inteligência artificial “sugando” o Ibovespa — veja tudo o que foi destaque na semana

6 de abril de 2024 - 13:36

A crise e os seus reflexos no país vizinho no Brasil despertaram o interesse dos leitores do Seu Dinheiro nos últimos dias

IR 2024

Pago escola e plano de saúde de um filho ilegítimo; posso abater esses gastos no imposto de renda?

6 de abril de 2024 - 8:00

Filho não assumido rende deduções no imposto de renda? A Dinheirista responde dúvidas de leitores sobre o IR 2024

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies