🔴 CHANCE DE MULTIPLICAR O SEU CAPITAL POR 7,5X COM 1 CLIQUE – CONHEÇA A FERRAMENTA

Renan Sousa
Renan Sousa
É repórter do Seu Dinheiro. Formado em jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP) e já passou pela Editora Globo e SpaceMoney. Twitter: @Renan_SanSousa
MERCADOS HOJE

Dólar a R$ 5,50: Dois motivos para entender porque a moeda disparou — mesmo com prévia da inflação mais contida

Parte da valorização se deve ao avanço da divisa com o real na véspera, após falas de membros do Federal Reserve sobre o futuro dos juros

Renan Sousa
Renan Sousa
26 de junho de 2024
10:27 - atualizado às 11:32
Dólar x Real qual será o preço da moeda norte-americana no futuro
Imagem: Montagem Seu Dinheiro

O dólar americano à vista voltou a avançar na manhã desta quarta-feira (26), tocando o nível de R$ 5,50 por volta das 9h50, uma alta da ordem de 0,80%.

A moeda norte-americana segue com tendência de valorização, ainda que não tenha sustentado a magnitude do avanço. 

Enquanto o mercado ainda acorda, os investidores já foram bombardeados — ou, melhor dizendo, acalentados — pelos números da prévia da inflação oficial. 

O IPCA-15 subiu 0,39% em junho, após ter avançado 0,44% em maio, segundo o IBGE. A mediana das projeções dos especialistas ouvidos pelo Broadcast apontava para uma inflação de 0,43% no mês. 

Vale dizer que o piso da estimativa mensal estava em 0,30%. No acumulado do ano, o IPCA-15 avança 2,52%, enquanto o acumulado dos últimos 12 meses, houve alta de 4,06% — este também abaixo das projeções de 4,10%. 

Para Étore Sanchez, economista-chefe da Ativa, o principal desvio observado foi no subitem de passagens aéreas. “Houve uma queda de 10 bps, no qual projetávamos alta de 5,60% e o observado foi de queda de 9,87%”, explica. 

Já André Valério, economista-sênior do Inter, também destaca em seu comentário que a queda dos preços do grupo de Transportes chamou a atenção.

Pensando no futuro, o executivo entende que o processo desinflacionário indica encontrar uma resistência nesse momento, mas sem sinais alarmantes de que reverterá esse processo no curto prazo.

 “Em resumo”, conclui ele, “o resultado [da inflação] não empolga nem preocupa.” 

  • Como proteger os seus investimentos: dólar e ouro são ativos “clássicos” para quem quer blindar o patrimônio da volatilidade do mercado. Mas, afinal, qual é a melhor forma de investir em cada um deles? Descubra aqui. 

Com a inflação controlada, o que explica a alta do dólar? 

A véspera do pregão de hoje foi marcada por uma sessão de avanço nas taxas dos Treasuries, os títulos do Tesouro norte-americano, e o fortalecimento global da moeda. 

Isso porque foram lançadas novas dúvidas sobre o início de cortes de juros nos EUA. 

Quem lançou novas dúvidas sobre o tema foi a diretora do Federal Reserve (Fed, o Banco Central dos EUA), Michelle Bowman, que reiterou na quarta-feira sua visão de que "a inflação diminuirá ainda mais com a manutenção da taxa de juros" nos Estados Unidos e que os cortes serão "por fim" apropriados se a inflação chegar de forma sustentável a 2%.

Suas falas preparadas para o evento omitiram qualquer referência a quanto tempo os juros podem precisar ficar onde estão, um pequeno desvio em relação a terça-feira, quando ela disse que precisariam ficar na faixa atual "por algum tempo". Essa leve mudança foi mal recebida pelo mercado. 

Assim, o real — que havia esboçado uma recuperação no fim da semana passada — voltou a amargar o pior desempenho entre as divisas emergentes mais relevantes.

Lula afeta o dólar?

A disparada do dólar também coincidiu com uma entrevista concedida pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao UOL.

Questionado sobre a transição no Banco Central, Lula lembrou que, em seus dois primeiros mandatos, o então presidente Henrique Meirelles ganhou status de ministro e teve autonomia total à frente da autoridade monetária.

Ele disse que ainda não é hora de decidir quem sucederá Roberto Campos Neto, embora tenha elogiado Gabriel Galípolo, cotado como favorito à indicação. "Não vou indicar presidente do Banco Central para o mercado. Vou indicar um presidente do Banco Central para o Brasil."

Na semana passada, parte da escalada da divisa com o real aconteceu com o mercado reverberando as falas do presidente Lula em relação ao não cumprimento da meta fiscal.

Também contribuiu para a força do dólar os questionamentos do chefe da Alvorada à neutralidade política de Campos Neto, à frente do BC, cujo mandato termina no fim deste ano.

Com a palavra, o presidente

Além disso, Lula ainda afirmou que o governo realiza a revisão dos gastos públicos "sem levar em conta o nervosismo do mercado" e disse que há necessidade de manter investimentos em Saúde e Educação.

Ao ser questionado sobre quais cortes o governo deverá fazer, Lula afirmou que ainda analisa se eles serão necessários. "Nós estamos fazendo uma análise de onde é que tem gasto exagerado, onde é que tem gasto que não deveria ter, onde é que tem pessoas que não deveriam receber e que estão recebendo", disse o presidente.

Lula acrescentou: "Isso com muita tranquilidade, sem levar em conta o nervosismo do mercado, levando em conta a necessidade de manter política de investimento."

Compartilhe

MERCADO FINANCEIRO

Renda fixa brilha no 1º semestre e impulsiona captação de fundos. Veja as 10 gestoras que mais levantaram dinheiro no período

18 de julho de 2024 - 18:38

No “Top 10” das empresas que mais levantaram dinheiro no período, a cifra chega a R$ 202,2 bilhões, de acordo com a Quantum Finance

DISPARADA DO CÂMBIO

Dólar bate os R$ 5,58 e fecha no maior patamar em duas semanas; confira o gatilho da alta de quase 2%

18 de julho de 2024 - 17:47

Mais cedo, o ministro da Fazenda disse ter recebido o sinal verde de Lula para avançar em estudos de corte no Orçamento, mas falas da ministra do Planejamento impulsionaram a moeda

OFERTA NA BOLSA

Fundo imobiliário VGIR11 anuncia emissão de até R$ 500 milhões e vai oferecer um ‘desconto’ nas cotas; confira os detalhes

18 de julho de 2024 - 14:59

O preço de emissão pago por quem decidir participar da operação, que é voltada a investidores no geral, será de R$ 9,85 por cada nova cota

RECOMENDAÇÃO DE COMPRA

As ações desta empresa já saltam mais de 57% em 2024, mas Itaú BBA diz que ‘o navio ainda não zarpou’ e papéis podem entrar para o Ibovespa ainda neste ano

18 de julho de 2024 - 12:37

O banco de investimentos publicou um novo relatório nesta quinta-feira (18) para reforçar ainda mais a sua visão positiva para a companhia

DESTAQUES DA BOLSA

Ação da BRF (BRFS3) desaba quase 7% na B3, e frigoríficos lideram as perdas do Ibovespa hoje. O que está por trás da queda?

18 de julho de 2024 - 12:16

O movimento acompanha a confirmação do Ministério da Agricultura de detecção de um foco da doença Newcastle no Rio Grande do Sul. Mas por que isso afeta o setor de proteínas?

PELA 3ª VEZ CONSECUTIVA

Fundo imobiliário BTAL11 volta a pagar os maiores dividendos de sua história e gestão diz como quer manter proventos no patamar recorde nos próximos meses

18 de julho de 2024 - 12:13

O FII pagará R$ 0,84 por cota neste mês, cifra que representa um dividend yield anualizado de cerca de 13,4%.

MAIS UM DIA DE TOMBO

Ações da Oi (OIBR3) já derretem 20% na semana com leilão que frustrou expectativas e adiamento de etapa da recuperação judicial

18 de julho de 2024 - 11:18

Parte do tombo é explicada pelo resultado do leilão da ClientCo, a antiga Oi Fibra, realizado na tarde de ontem.

COMPRADOS X VENDIDOS

Sabesp (SBSP3): investidor paga até 13% de aluguel para ficar vendido nas ações antes da oferta; entenda a estratégia

18 de julho de 2024 - 10:32

Mercado decidiu aproveitar a enorme diferença entre as cotações da Sabesp (SBSP3) na bolsa e o preço da oferta de ações

MUDANÇA NO MERCADO DE CÂMBIO

Banco Central eleva o limite de operações de câmbio feitas em instituições não bancárias

17 de julho de 2024 - 19:20

Segundo a autoridade monetária, a medida tem por objetivo aumentar a eficiência e a competitividade

AMORTIZAÇÃO DE CAPITAL

Fundo imobiliário confirma que vai depositar mais de R$ 30 por cota na conta dos investidores após retorno alto com CRI

17 de julho de 2024 - 17:07

O resgate antecipado de um CRI rendeu R$ 23 milhões para o FII RBLG11 e dividendos fartos e uma amortização de capital para os cotistas

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar