🔴 SAVE THE DATE: 22/07 – FERRAMENTA PARA GERAR RENDA COM 1 CLIQUE SERÁ LIBERADA – CONHEÇA

Liliane de Lima
É repórter do Seu Dinheiro. Jornalista formada pela PUC-SP, já passou pelo portal DCI e setor de análise política da XP Investimentos.
TERREMOTO NO MERCADO

Dólar dispara a R$ 5,42 e Ibovespa atinge menor nível em um ano: o que Lula tem a ver com isso?

Declarações do presidente da República suscitaram mais preocupações sobre o cenário fiscal; mercado vê enfraquecimento de Haddad

Liliane de Lima
12 de junho de 2024
12:35 - atualizado às 12:43
Presidente Lula
Imagem: Montagem de Beatriz Azevedo

A quarta-feira (12) começou com boas notícias no exterior, em dia de decisão de política monetária nos Estados Unidos. A inflação da maior economia do mundo ficou estável em maio na comparação com abril e as apostas de até dois cortes até o final do ano ganharam força. 

Mas o mercado doméstico não teve a mesma sorte. Em pouco tempo após o início das operações na B3, a agenda esvaziada deu espaço para o aumento da aversão ao risco dos ativos locais. 

E, mais uma vez, o problema é o cenário fiscal brasileiro. O principal índice da bolsa, o Ibovespa, atingiu a mínima desde junho de 2023 aos 119.830,26 pontos e o dólar disparou a R$ 5,4299. Já a curva de juros futuros (DIs) começou a precificar Selic entre 11,25% a 11,5% até o fim do ano. Siga os mercados.

O movimento foi uma reação imediata dos investidores às declarações do presidente Lula. 

"Estamos arrumando a casa e colocando as contas públicas em ordem para assegurar o equilíbrio fiscal. O aumento da arrecadação e a queda da taxa de juros permitirão a redução do déficit sem comprometer a capacidade de investimento público. A reforma tributária vai tornar nosso regime mais eficiente, deixando de penalizar os mais pobres e dando mais competitividade para a economia", afirmou Lula em evento do Future Investment Initiative (FII) Institute, realizado hoje no Rio de Janeiro. 

De acordo com o presidente, "a coisa mais importante para o investidor é a estabilidade" e, para ele, "o Brasil tem de sobra para oferecer."

Casa (fora) em ordem? 

Um dos entraves para as contas públicas é justamente a arrecadação. As falas de Lula acontecem um dia após o Congresso devolver uma medida provisória (MP) para a compensação da prorrogação da desoneração da folha de pagamentos — que beneficia 17 setores da economia. 

Em linhas gerais, a MP limitava as compensações do Programa de Integração Social (PIS) e da Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins). 

Ontem (11), antes da devolução da medida, o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, afirmou que não tinha ‘plano B’ caso a proposta não fosse aceita pelo Congresso. 

“Nós não temos [um plano B; outra proposta]. E estamos preocupados porque identificamos fraudes nas compensações de PIS/Cofins. Então, vamos ter de construir também uma alternativa para o combate às fraudes, que essa seria uma saída, mas eu já estou conversando com alguns líderes para ver se a gente encontra um caminho”, disse Haddad a jornalistas.

A decisão do Congresso repercute hoje como um possível sinal de enfraquecimento do ministro da Fazenda, Fernando Haddad. 

“A devolução da MP do PIS/Cofins é até positiva, porque seria danosa para as empresas. Mas, por outro lado, reforça a percepção de deterioração fiscal, porque Haddad disse que a Fazenda não possui plano B para compensar a desoneração das folhas de pagamento”, afirma Larissa Quaresma, analista da Empiricus.

Para ela, as falas de Lula reforçaram a estratégia de fazer o ajuste por meio das receitas, diminuindo a esperança de redução de gastos.

“Com isso, o mercado volta a embutir mais prêmio na curva de juros futuros, incorporando inflação maior e mais risco institucional com o potencial de novas frentes de aumento de carga tributária. A incerteza segue alta e o mercado vai precificando isso”, disse. 

Ibovespa e dólar: o respiro vem? 

O vento contrário no mercado brasileiro pode perder força — e o Ibovespa reduzir as perdas ao longo da sessão —, a depender do cenário externo. 

Além da inflação dos Estados Unidos melhor que a esperada para maio, o Federal Reserve (Fed) decide sobre a taxa de juros do país. 

O Comitê Federal do Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês; equivalente ao Copom do BC brasileiro) deve manter os juros inalterados na faixa de 5,25% a 5,50% ao ano.

A expectativa é de alguma sinalização de um ou dois cortes até o fim do ano na entrevista coletiva dada pelo presidente do Fed, Jerome Powell, após a decisão.

Compartilhe

FRIGORÍFICOS

Problemas para a BRF (BRFS3) e a JBS (JBSS3)? Brasil suspende exportações de carne de aves para 44 países — e a China é um deles

20 de julho de 2024 - 12:19

O Ministério da Agricultura decidiu voluntariamente paralisar as exportações de carnes de aves e seus produtos, com restrições que variam de acordo com os mercados

DÁ O PLAY!

Agora vai? Por que a bolsa brasileira despertou em julho e o que esperar das ações agora

20 de julho de 2024 - 11:00

Ibovespa já acumula alta de 3% em julho, depois de quase perder os 120 mil pontos no último mês; mas as ações finalmente vão decolar, ou será mais um voo de galinha?

BOLSA NA SEMANA

Por que as ações do Pão de Açúcar (PCAR3) desabaram 13% e lideraram as perdas do Ibovespa na semana — enquanto Usiminas (USIM5) subiu 5%?

20 de julho de 2024 - 9:22

As ações do Pão de Açúcar atraíram os holofotes dos investidores na semana após uma sangria na bolsa brasileira. Veja o que está por trás da queda dos papéis

PERSPECTIVAS PARA OS PROVENTOS

Com R$ 2 bilhões entrando no caixa, a Eletrobras (ELET3) vai distribuir mais dividendos? Veja o que diz o Goldman Sachs

19 de julho de 2024 - 19:46

O banco acredita que a oferta irá aumentar a liquidez da companhia e potencialmente abrir espaço para proventos mais elevados no futuro

RANKING DA QUANTUM

Os reis das ‘penny stocks’: Americanas (AMER3), Oi (OIBR3) e outras ações com a maior sequência de pregões no patamar de centavos

19 de julho de 2024 - 16:41

Um estudo da Quantum mostra que companhias que enfrentaram processos de recuperação judicial dominam o ranking de penny stocks

GESTÃO EXPLICA

Fundo imobiliário com mais de 150 mil cotistas anuncia os menores dividendos em mais de dois anos; por que os proventos do ALZR11 estão em queda?

19 de julho de 2024 - 13:07

O histórico de distribuições de 2024 mostra que os valores depositados pelo FII recuaram cerca de 11,2% desde janeiro

REAÇÃO DAS BOLSAS

Apagão cibernético: ação da CrowdStrike, empresa que causou a pane nos sistemas da Microsoft e derrubou serviços no mundo todo, despenca em NY

19 de julho de 2024 - 12:08

Vale relembrar que, mais cedo, uma atualização nos sistemas da CrowdStrike causou uma pane generalizada nos sistemas da Microsoft

MERCADO FINANCEIRO

Renda fixa brilha no 1º semestre e impulsiona captação de fundos. Veja as 10 gestoras que mais levantaram dinheiro no período

18 de julho de 2024 - 18:38

No “Top 10” das empresas que mais levantaram dinheiro no período, a cifra chega a R$ 202,2 bilhões, de acordo com a Quantum Finance

DISPARADA DO CÂMBIO

Dólar bate os R$ 5,58 e fecha no maior patamar em duas semanas; confira o gatilho da alta de quase 2%

18 de julho de 2024 - 17:47

Mais cedo, o ministro da Fazenda disse ter recebido o sinal verde de Lula para avançar em estudos de corte no Orçamento, mas falas da ministra do Planejamento impulsionaram a moeda

OFERTA NA BOLSA

Fundo imobiliário VGIR11 anuncia emissão de até R$ 500 milhões e vai oferecer um ‘desconto’ nas cotas; confira os detalhes

18 de julho de 2024 - 14:59

O preço de emissão pago por quem decidir participar da operação, que é voltada a investidores no geral, será de R$ 9,85 por cada nova cota

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar