🔴 ESTA CRIPTOMOEDA DISPAROU 4.200% EM 2 DIAS – VEJA SE VALE INVESTIR

Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
No Seu Dinheiro você encontra as melhores dicas, notícias e análises de investimentos para a pessoa física. Nossos jornalistas mergulham nos fatos e dizem o que acham que você deve (e não deve) fazer para multiplicar seu patrimônio. E claro, sem nada daquele economês que ninguém mais aguenta.
CANTA CANTA, MINISTRO

A vida vai melhorar? Haddad acredita que PIB pode crescer além das expectativas — e volta a cutucar Banco Central por queda nos juros

Haddad disse, em entrevista a jornalistas, que as previsões de mercado ao Produto Interno Bruto (PIB) melhoraram e alguns bancos já falam em crescimento de 2% em 2023

Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
29 de abril de 2023
9:15 - atualizado às 8:47
Fernando Haddad, ministro da Fazenda
Fernando Haddad, ministro da Fazenda - Imagem: Diogo Zacarias / MF

Dados de crescimento econômico e desemprego divulgados nesta semana fizeram o ministro da Economia, Fernando Haddad, afrouxar a gravata, largar a caneta e pegar o violão. Isso porque as falas do chefe da pasta só podem ser resumidas em um verso: a vida vai melhorar.

Deixando a poesia um pouco de lado, o ministro da Fazenda disse na última sexta-feira (28) que a pasta pode revisar para cima a previsão de crescimento econômico neste ano. Ele cita  a surpresa do mercado com o crescimento da atividade na passagem de janeiro para fevereiro.

Haddad disse, em entrevista a jornalistas, que as previsões de mercado ao Produto Interno Bruto (PIB) melhoraram e alguns bancos já falam em crescimento de 2% em 2023.

“Nós mesmos, da Fazenda, estamos pensando em reestimar para mais a expectativa de crescimento em 2023", comentou.

O ex-prefeito de São Paulo havia se encontrado mais cedo com empresários das indústrias de cerveja e de higiene pessoal no gabinete do ministério na capital paulista. 

Haddad canta forte e canta alto — mas tom é questionado

Conforme mostrou a divulgação do IBC-Br, índice do Banco Central considerado uma prévia do PIB, a economia brasileira cresceu 3,32% em fevereiro contra janeiro, acima da taxa de 1,1% aguardada pelo mercado na mediana das previsões coletadas pelo Projeções Broadcast.

Entretanto, os números do desemprego ficaram acima da taxa registrada nos três meses imediatamente anteriores.

Questionado sobre o avanço da taxa de desemprego, que marcou 8,8% no primeiro trimestre — contra 7,9% do último trimestre de 2022 —, o ministro preferiu destacar a melhora do dado no comparativo anual. Frente aos três primeiros meses do ano passado, quando a desocupação estava em 11,1%, a taxa, comentou Haddad, ficou "bem menor".

Ele pontuou que, em março, a geração de empregos formais apontada ontem no Caged foi "o dobro da esperada pelo mercado".

  • Não dê dinheiro à Receita Federal à toa: você pode estar deixando de receber uma boa restituição do Imposto de Renda por algum equívoco na hora da declaração. Clique aqui e baixe GRATUITAMENTE um guia completo para não errar em nada na hora de acertar as contas com o Leão.

Um chamado para Campos Neto cantar junto

Se quem canta seus males espanta, em cima do morro ou lá no asfalto, o mal que o governo quer espantar é o da taxa de juros. A Selic segue no patamar de 13,75% ao ano e sem previsão de queda.

Como não poderia deixar de ser, o ministro aproveitou também o tema para falar sobre os juros altos.

"Ela taxa de desemprego pode ser ainda menor se fizermos os ajustes necessários para a taxa de juros cair", disse o ministro, acrescentando que vê "espaço importante" para os juros recuarem, reativando assim a economia e os investimentos.

"Estamos insistindo muito que temos que ajustar a taxa de juros para a economia voltar a crescer", assinalou.

Haddad quer harmonia entre governo e BC

Ao falar sobre sua expectativa para a reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) da semana que vem, o ministro da Fazenda disse que o governo já criou condições para a taxa de juros voltar a cair "a qualquer momento".

"O Banco Central tem autonomia para decidir, mas o governo está fazendo a sua parte". Segundo o ministro, os esforços do governo em reequilibrar as contas públicas para a economia crescer com sustentabilidade são reconhecidos pelo Banco Central. 

"Abrimos espaço para uma redução da taxa de juros, que pode acontecer a qualquer momento", disse Haddad, reiterando o compromisso do governo de "arrumar a casa" no primeiro ano do mandato.

‘A vida vai melhorar / mas é claro que vai melhorar’

Referindo-se à decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ) favorável ao governo sobre a inclusão de benefícios fiscais de ICMS na base de cálculo de impostos federais, Haddad avaliou que a administração federal está conseguindo angariar apoio para eliminar o máximo possível os gastos tributários.

Essa é uma conta que representa, segundo Haddad, perdas equivalentes a 1,5% do PIB, algo como R$ 150 bilhões, aos cofres da União.

O ministro voltou a dizer que, corrigindo distorções do sistema tributário, o arcabouço fiscal proposto pelo ministério, cujo objetivo é reverter o déficit primário, fica em pé, assegurando sustentabilidade para o crescimento econômico no longo prazo.

Haddad espera que BC siga a partitura

Depois de citar a ociosidade em cadeias como a de produção de veículos, o ministro pontuou que o hiato do produto — isto é, o desempenho do PIB abaixo do potencial — permite ao Brasil crescer sem pressão inflacionária. "Vamos poder produzir mais, sem pressão inflacionária e com espaço para a queda da taxa de juros."

O ministro afirmou também que o governo não pode deixar de tomar todo mês medidas, em áreas como crédito e mercado de capitais, para a economia crescer satisfatoriamente. "Não podemos brincar com a economia", frisou.

Questionado se espera um corte dos juros na reunião do Copom da semana que vem, Haddad considerou que o mais importante é uma sinalização do início do ciclo de afrouxamento monetário para que as empresas voltem a investir pesadamente no Brasil.

Compartilhe

ELEIÇÕES MUNICIPAIS

A poucos meses das eleições, prefeitura de Nunes rejeita emendas de adversários que poderiam beneficiar SP

26 de maio de 2024 - 13:45

Prefeitura de São Paulo rejeitou emendas apresentadas por Tabata Amaral e por aliada de Guilherme Boulos

POLÍTICA

O julgamento de Sérgio Moro: por que o PT e o PL não vão recorrer ao STF

26 de maio de 2024 - 12:36

Por unanimidade, TSE absolveu Sérgio Moro das acusações de abuso de poder econômico e caixa 2 durante as eleições de 2022

COMPRINHAS ONLINE

Compra na Shein, Shopee ou AliExpress? Lula considera vetar taxação federal de compras internacionais até R$ 250: ‘estamos dispostos a conversar e encontrar uma saída’

23 de maio de 2024 - 18:19

Atualmente, por meio do programa Remessa Conforme, as compras do exterior abaixo de US$ 50 são isentas de impostos federais e taxadas somente pelo ICMS

COM A PALAVRA

Inflação do Brasil é alta ou baixa? Para Haddad, há ‘ruídos patrocinados não reais’ sobre avanço dos preços

22 de maio de 2024 - 13:57

Haddad também defendeu um debate técnico entre Banco Central e Tesouro e disse esperar “maturidade” dos profissionais que querem o “bem do Brasil”

DESDOBRAMENTOS

Sérgio Moro mantém mandato após questionamentos do PT e do PL, decide TSE por unanimidade

22 de maio de 2024 - 7:26

Foi o último julgamento de grande repercussão na gestão de Alexandre de Moraes como presidente do TSE

FLEXIBILIZAÇÃO DA PENA

George Washington, bolsonarista que planejou atentado a bomba no aeroporto no Distrito Federal, vai para o semiaberto

19 de maio de 2024 - 15:34

A mudança do regime fechado para o semiaberto foi reconhecida porque ele já cumpriu um sexto da pena, requisito estabelecido na Lei de Execução Penal

MÃO PESADA?

Anatel poderá ser supervisor das redes sociais: presidente da agência defende que órgão regule plataformas 

19 de maio de 2024 - 11:22

O dirigente da Anatel explicou que a agência não tem, no entanto, como atuar sobre postagem e perfis específicos

ACONTECE EM OUTUBRO

Aquecendo os motores para as eleições municipais: Testes em urnas eletrônicas reiteram que sistema de votação é seguro

18 de maio de 2024 - 11:55

Dos 35 planos de teste realizados, cinco apontaram melhorias nos sistemas, que foram acatadas pelos técnicos do tribunal

"TUDO NORMAL"

Jair Bolsonaro recebe alta após 13 dias internado e já anuncia planos

17 de maio de 2024 - 16:46

“Em uma semana, tudo normal”, escreveu no X (antigo Twitter) Bolsonaro, que estava com quadro de erisipela e desconforto abdominal

VAI MELHORAR?

O que Haddad espera da economia? Projeções da Fazenda esperam inflação e PIB maiores para 2024

16 de maio de 2024 - 15:33

Para 2025, a projeção de IPCA passou de 3,10% para 3,20%. A atualização acontece um mês após o último boletim macrofiscal da SPE.

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar