🔴 RENDA MÉDIA DE R$ 21 MIL POR MÊS COM 3 CLIQUES – SAIBA COMO

Cotações por TradingView
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
No Seu Dinheiro você encontra as melhores dicas, notícias e análises de investimentos para a pessoa física. Nossos jornalistas mergulham nos fatos e dizem o que acham que você deve (e não deve) fazer para multiplicar seu patrimônio. E claro, sem nada daquele economês que ninguém mais aguenta.
ERA UMA VEZ UM GIGANTE

O dia do acerto de contas chegou? A previsão do FMI para a China coloca a segunda maior economia do mundo em xeque

A chefona do Fundo apresentou nesta quarta-feira (6) uma projeção de crescimento para Pequim, mas fez uma ressalva importante

Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
6 de dezembro de 2023
18:45 - atualizado às 9:04
Bandeira da China com gráfico ao fundo
Bandeira da China com gráfico ao fundo - Imagem: Shutterstock

O desempenho econômico da China foi estelar ao longo das últimas três décadas — a ponto de, nos últimos dez anos, Pequim ser o principal motor global, respondendo por 35% do crescimento nominal do Produto Interno Bruto (PIB) mundial contra 27% dos EUA.

A China conseguiu isto sem muitos dos atributos que os economistas consideram cruciais para uma expansão sólida — um sistema financeiro que funcione bem, um quadro institucional forte, uma economia orientada para o mercado e um sistema de governo democrático e aberto. 

Até a pandemia de covid-19, a economia chinesa atravessou os períodos de turbulência interna e global aparentemente incólume.

Mas há algum tempo, os críticos argumentam que o colapso econômico da China era iminente, apontando para inúmeras fragilidades — o crescimento do país tem sido impulsionado pelo investimento em capital físico, especialmente imobiliário, que tem sido financiado por um sistema bancário ineficiente. 

Com os níveis de dívida interna elevados e aumentando, o mercado imobiliário desmoronando e a força de trabalho diminuindo, alguns analistas dizem que o dia do acerto de contas para a China está cada vez mais perto.

O dia D para a China

Segundo o Fundo Monetário Internacional (FMI), no entanto, esses analistas provavelmente estão errados. 

As reformas desequilibradas que mantiveram a estrutura institucional fraca, uma abordagem esquizofrênica sobre o papel do mercado versus o do Estado e as tensões nos mercados financeiros e imobiliários poderão resultar em volatilidade significativa nos próximos anos. 

Mas, segundo o FMI, nada disto significa que um colapso financeiro ou econômico seja inevitável.

As novas previsões do FMI 

Nesta quarta-feira (6), a diretora-gerente do FMI, Kristalina Georgieva, participou de evento no think tank Council on Foreign Relations, em Washington, EUA, e fez novas previsões para a China

A chefona do FMI projetou que o crescimento do PIB chinês deve cair abaixo da marca de 4% em algum momento nos próximos anos, com consequências para a economia global. 

Em novembro, o Fundo havia projetado que, no médio prazo, o crescimento do PIB chinês diminuiria para cerca de 3,5% até 2028 devido à fraca produtividade e ao envelhecimento da população.

Hoje, no entanto, Georgieva reforçou que Pequim dispõe dos instrumentos necessários para assegurar a retomada da atividade chinesa a uma trajetória mais robusta.

ONDE INVESTIR EM DEZEMBRO: VEJA RECOMENDAÇÕES GRATUITAS EM AÇÕES, FIIS, BDRs E CRIPTOMOEDAS

Quanto a China vai crescer esse ano?

No mês passado, o FMI elevou as previsões para o crescimento para a China de 5% para 5,4% em 2023.

“As autoridades introduziram inúmeras medidas bem-vindas para apoiar o mercado imobiliário”, disse a primeira vice-diretora-geral do FMI, Gita Gopinath, na ocasião. “Mas é necessário mais para garantir uma recuperação mais rápida e custos econômicos mais baixos durante a transição.”

Os investidores estrangeiros abandonaram milhões de dólares em ações e dívidas chinesas este ano, uma tendência exacerbada pela taxa de juros muito mais elevada nos EUA.

No mês passado, o FMI também melhorou a previsão para o crescimento da China no próximo ano, de 4,2% para 4,6%, mas alertou que a fraqueza no setor imobiliário e a demanda externa moderada persistirão.

Compartilhe

SEM CÉU DE BRIGADEIRO

Vai desbancar a Airbus? A gigante “Made in China” que pode provocar turbulência na aviação global

20 de fevereiro de 2024 - 19:58

Pequim criou uma empresa de aviação para bater de frente com rivais estrangeiras — e Airbus responde a concorrência à altura

COM OS DIAS CONTADOS

A China vai tombar de vez? O empurrão dos EUA que pode colocar a segunda maior economia do mundo em xeque

19 de fevereiro de 2024 - 19:50

No passado, o governo de Xi Jinping já alertou Washington sobre o “erro histórico” de impor limites à Pequim

SÓ DOR DE CABEÇA

A nova insônia da Argentina: o dado que vai tirar o sono de Javier Milei — e não é a inflação

19 de fevereiro de 2024 - 19:09

O governo já se defendeu dos números que devem trazer mais dor de cabeça para a Casa Rosada

SOB A LUPA EUROPEIA

Mais problemas para o TikTok? Rede social das dancinhas cai na mira da União Europeia — e pode receber multa pesada

19 de fevereiro de 2024 - 18:15

A UE vai investigar se a rede social viola as regras de conteúdo online destinadas a proteger as crianças na plataforma

O PODER DE UMA PAIXÃO

O caso amoroso que pode salvar Trump de ser condenado

19 de fevereiro de 2024 - 15:15

O romance em questão não está diretamente ligado ao ex-presidente dos EUA, mas pode ajudá-lo no processo sobre a tentativa do republicano reverter a derrota nas eleições de 2020

ANO NOVO, VIDA NOVA?

Viagens e gastos de turistas durante ano-novo na China superam níveis pré-pandemia, mas algo ainda incomoda os economistas

19 de fevereiro de 2024 - 11:37

Deslocamentos internos e gastos em viagens pela China mostram recuperação enquanto governo tenta impulsionar o consumo

MARCADOS PELA OPOSIÇÃO

Todos contra Putin: os inimigos que ousaram desafiar o homem mais poderoso da Rússia e não tiveram um final feliz

16 de fevereiro de 2024 - 19:43

A lista de desafetos do presidente russo é longa. O Seu Dinheiro separou os principais nomes de oposição e conta para você o destino — às vezes trágico — de cada um deles

"PASSOU MAL"

Quem foi Alexei Navalny, o opositor de Putin que denunciou a corrupção na Rússia e morreu na prisão

16 de fevereiro de 2024 - 10:01

Advogado e ativista anticorrupção, Navalny tinha 47 anos e entrou para a lista de opositores de Vladimir Putin que morreram nos últimos anos

TREMOR NA ÁSIA

A queda de um gigante: Japão perde posto de terceira maior economia do mundo; saiba qual país roubou o lugar

15 de fevereiro de 2024 - 16:44

A bolsa de valores japonesa, no entanto, reagiu bem à dança das cadeiras econômica; entenda por que o principal índice de ações de lá subiu mesmo com a confirmação da recessão

FICHA SUJA

Caso Sarkozy: por que um dos homens mais poderosos da França foi condenado e pode parar na cadeia

14 de fevereiro de 2024 - 19:31

Ele foi presidente de 2007 a 2012, segue como uma figura influente entre os conservadores e mantém relações amigáveis ​​com o atual chefe do Eliseu, Emmanuel Macron

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies