🔴 [EVENTO GRATUITO] COMPRAR OU VENDER VALE3? INSCREVA-SE AQUI

Renan Sousa
Renan Sousa
É repórter do Seu Dinheiro. Formado em jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP) e já passou pela Editora Globo e SpaceMoney. Twitter: @Renan_SanSousa
TROCAS INTERNACIONAIS

Nem dólar nem yuan: países do sudeste asiático lançam alternativa às moedas das maiores economias do mundo para pagamentos internacionais

O sistema da Asean já está sendo utilizado na Indonésia, Malásia, Tailândia e Singapura e há uma expectativa de que ele comece a funcionar nas Filipinas em pouco tempo

Renan Sousa
Renan Sousa
31 de julho de 2023
12:40 - atualizado às 12:44
Símbolo da Asean, bloco de economias do Sudeste Asiático, que quer escapar da dominância do dólar e yuan como moeda de trocas internacionais
Símbolo da Asean, bloco de economias do Sudeste Asiático, que quer escapar da dominância do dólar e yuan como moeda de trocas internacionais - Imagem: Divulgação

A dominância do dólar no comércio internacional está longe de ficar ameaçada. Porém, os movimentos internacionais em economias periféricas mostram que, cedo ou tarde, a majestade da moeda pode perder a coroa.

Depois de o Mercosul e os BRICS levantarem a bola de uma alternativa ao dólar americano, foi a vez da Associação de Nações do Sudeste Asiático (Asean, na sigla em inglês) buscar alternativas locais. 

O grupo composto por Indonésia, Malásia, Filipinas, Singapura, Tailândia, Brunei, Vietnã, Laos, Mianmar e Camboja pretende aumentar a coesão monetária do bloco por meio de um sistema de pagamento digital utilizando carteiras virtuais.

O mecanismo lembra muito o sistema de wallets utilizado em transações com criptomoedas via blockchain. Entretanto, não ficou claro se a tecnologia será usada nesse caso específico. 

O sistema da Asean já está sendo utilizado na Indonésia, Malásia, Tailândia e Singapura. Há uma expectativa de que ele comece a funcionar nas Filipinas em pouco tempo. 

  • ONDE INVESTIR NO 2º SEMESTRE: o Seu Dinheiro consultou uma série de especialistas do mercado financeiro e preparou um guia completo para te ajudar a montar uma carteira de investimentos estratégica para a segunda “pernada” de 2023. Baixe aqui gratuitamente. 

Integração monetária do sudeste asiático? Nem tanto

Essa nova facilidade não usará uma moeda comum entre os países, como seria o caso do sur, o equivalente ao “peso real”, proposto pelo governo argentino — muito menos ao euro. 

Os pagamentos transfronteiriços ocorrerão nas moedas locais de cada país e serão liquidados por meio dessa carteira digital, que funciona como uma conta bancária. 

As tarifas de transação e taxas de câmbio são determinadas após acordo com os respectivos Bancos Centrais de cada país.

A ideia é intensificar as transações entre os países, otimizando o turismo na região e garantindo o acesso de cidadãos com baixo poder aquisitivo — que muitas vezes não tem conta em banco — ao sistema financeiro. 

VEJA TAMBÉM — “Sofri um golpe no Tinder e perdi R$ 15 mil”: como recuperar o dinheiro? Veja o novo episódio de A Dinheirista!

Problemas de uma integração sem moeda comum

A ideia pode parecer inovadora, mas existem algumas questões que ficam no radar do projeto.

Uma delas é a de que a ausência de um referencial comum tende a fortalecer a moeda de uma economia mais resiliente — no caso do sudeste asiático, o dólar de Singapura e o baht tailandês são algumas delas.

Assim, uma dessas moedas pode acabar se tornando uma reserva de valor em detrimento das outras e se tornando um padrão da região — favorecendo o país emissor em detrimento dos demais. 

Por que não usar o yuan como moeda de troca internacional?

Uma das alternativas encontradas pelos países em crise com o dólar — como é o caso da Argentina — é justamente o uso do renminbi, ou yuan, como é conhecida a moeda da China. 

O país vem incentivando o uso da versão digital do yuan, chamado de e-CNY, nas transações internacionais.

Porém, os países da Asean não querem trocar a hegemonia norte-americana pela chinesa e buscam uma alternativa própria para seus problemas de trocas internacionais.

Compartilhe

DE OLHO NAS REDES

Por que a China deve colocar “panos quentes” para impedir que as coisas piorem (ainda mais) no Oriente Médio? 

19 de abril de 2024 - 18:29

Enquanto as coisas parecem ficar cada vez mais delicadas no Oriente Médio, com os ataques do Irã a Israel no último final de semana, os mercados lá fora não parecem estar muito alarmados com a possibilidade de uma escalada no conflito — o que poderia ser desastroso para a economia global.  E uma das explicações […]

ESCALANDO…

É o fim da guerra das sombras? A mensagem do revide de Israel ao Irã para o mundo — e não é o que você espera

19 de abril de 2024 - 14:15

O mais recente capítulo desse embate aconteceu na madrugada desta sexta-feira (19), quando Israel lançou um ataque limitado ao Irã

RECADO DADO

A punição de Biden: EUA não perdoam ataque a Israel e castigam o Irã — mas o verdadeiro motivo das sanções não é econômico

18 de abril de 2024 - 13:17

O Tesouro norte-americano anunciou medidas contra uma dezena de pessoas e empresas iranianas e ainda avalia restrições ao petróleo do país, mas, ao contrário do que parece, medidas também mandam uma mensagem a Netanyahu

GUERRA QUENTE

Por essa nem Putin esperava: a previsão que coloca a Rússia à frente da maior economia do mundo

17 de abril de 2024 - 18:41

O Fundo Monetário Internacional (FMI) atualizou as projeções para a economia russa e os números revelam o segredo de Putin para manter o país em expansão

COM OU SEM CHAMPANHE?

O maior bilionário do planeta ficou quase R$ 30 bilhões mais rico hoje. O que fez a fortuna do dono da Dior e da Louis Vuitton disparar?

17 de abril de 2024 - 17:55

O patrimônio do magnata de luxo francês acompanha a valorização das ações da LVMH; conheça os números do conglomerado que animaram o mercado hoje

DECRETO CONTINUA

Milei tem vitória no “STF” da Argentina e mantém decreto em vigor, mas batalha ainda não terminou  

17 de abril de 2024 - 10:31

Mesmo que a Corte resolvesse barrar o DNU, Milei ainda tem uma carta na manga: ele poderá indicar até dois novos juízes para o tribunal

MAGNATA INDONÉSIO

Como este bilionário que você provavelmente não conhece transformou uma fortuna de US$ 5 bilhões em US$ 51 bilhões de em um ano

16 de abril de 2024 - 19:33

O magnata asiático da indústria de energia conseguiu multiplicar a sua fortuna em dez vezes em um ano; entenda o que aconteceu

ELON MUSK TINHA RAZÃO?

Invasão da China: como Biden e Trump querem frear os elétricos chineses liderados pela BYD nos EUA

16 de abril de 2024 - 18:58

Os veículos elétricos ainda não são vendidos no país, mas despertam cada vez mais preocupação de políticos e empresários do segmento, que colocam planos para barrar a maré vermelha à prova

A VIDA VAI MELHORAR (?)

Segura, Javier Milei: Argentina terá inflação de “apenas” 150% em 2024, mas contração econômica será maior, diz FMI

16 de abril de 2024 - 16:47

As projeções para 2025 melhoram, com a expectativa de que a inflação fique em 45% no ano e a atividade econômica cresça 5% em relação a 2024

ÁGUA NO CHOPE DO MERCADO

Juros em alta? Presidente do Fed fala pela primeira vez após dado de inflação e dá sinal claro do que vai acontecer nos EUA — bolsas sentem

16 de abril de 2024 - 15:35

A declaração de Powell voltou a sacudir os mercados: Wall Street devolveu ganhos, com o S&P 500 no vermelho, e os yields (rendimentos) dos títulos do Tesouro norte-americano voltaram a disparar

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar