🔴 +35 RECOMENDAÇÕES DE ONDE INVESTIR EM MARÇO – VEJA GRATUITAMENTE

Cotações por TradingView
Carolina Gama
O RECADO DO BC

Deu ruim: S&P 500, Nasdaq e Dow Jones reagem mal à ata do Fed — o que o documento mostrou desta vez?

O Dow Jones passou a operar em território negativo, enquanto o S&P 500 e o Nasdaq reduziram os ganhos, se afastando das máximas do dia

Montagem de Jerome Powell em cima de um foguete rumo ao planeta chamado juros
Montagem de Jerome Powell em foguete rumo ao planeta juros - Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock / Banco Central da Suíça

A divulgação da ata da reunião de dezembro do Federal Reserve (Fed) teve um gosto amargo para Wall Street. O S&P 500, o Nasdaq e o Dow Jones caíram das máximas desta quarta-feira (4) assim que o documento foi divulgado. Logo depois, os três índices voltaram a subir.

Ainda assim, os investidores não gostaram nada da certeza que a ata trouxe: o juro vai continuar subindo neste ano. 

Essa sinalização já havia sido dada por Jerome Powell, presidente do Fed, na coletiva após a decisão de dezembro e o documento de hoje terminou de acabar com as ilusões do mercado sobre uma pausa antecipada no aperto monetário nos EUA. Saiba mais sobre a decisão de dezembro

O Dow Jones passou a operar em território negativo, enquanto o S&P 500 e o Nasdaq reduziram os ganhos, se afastando das máximas do dia. 

O que diz a ata do Fed

A ata do Fed da reunião de 13 e 14 de dezembro mostrou que as autoridades do banco central norte-americano esperam que o juro permaneça elevado por mais algum tempo — o que vai determinar o momento da pausa do aperto monetário é a inflação. 

“Os participantes geralmente observaram que uma postura política restritiva precisaria ser mantida até que os dados recebidos fornecessem confiança de que a inflação estava em uma trajetória descendente sustentada para 2%, o que provavelmente levaria algum tempo”, diz a ata. 

O documento mostra ainda que, em vista do nível de inflação persistente e inaceitavelmente alto, vários membros do comitê de política monetária (Fomc, na sigla em inglês) indicaram que a experiência histórica adverte contra o afrouxamento prematuro da política monetária.

“Vários participantes enfatizaram que seria importante comunicar claramente que uma desaceleração no ritmo de aumento das taxas não era uma indicação de qualquer enfraquecimento da determinação do Comitê de atingir sua meta de estabilidade de preços ou um julgamento de que a inflação já estava em alta. persistente trajetória descendente”, diz a ata.

O que dizem os especialistas

Para Beto Saadia, economista e sócio da BRA BS, hoje o Fed reforçou que está preocupado com a possibilidade de a inflação forte persistir ao longo de todo o ano de 2023 — e mesmo reduzindo o ritmo de alta de juro no futuro, a taxa ainda pode terminar mais elevada do que o mercado espera e por mais tempo.

“Powell deixou claro que o relatório mensal de empregos do Departamento de Trabalho divulgado na sexta-feira será um fator importante na próxima decisão de fevereiro. Não importa como você analisa o mercado de trabalho, os dados que a gente enxerga é que eles estão aquecidos. E a continuidade da pressão sobre salário pode fazer voltar a acelerar até outros setores que já estavam em processo de desaquecimento”, afirmou.

Compartilhe

QUEM AVISA, AMIGO É

Fed: o novo recado do banco central dos EUA aos mercados sobre o corte de juros

1 de março de 2024 - 19:51

O alerta do Fed foi feito em relatório que deve ser apresentado ao Congresso norte-americano na próxima semana e também chama atenção para as guerras

FALTOU CONSENSO

A palavra da discórdia: por que a reunião do G20 no Brasil terminou sem um comunicado conjunto

1 de março de 2024 - 10:18

Divergências geopolíticas impediram ministros das Finanças e presidentes de BCs do G20 de chegarem a uma declaração conjunta

CÂMBIO PARA CAMBIAR

O milagre de Milei? Dólar livre cede 15% na Argentina em fevereiro — a queda mais acentuada em 20 anos

29 de fevereiro de 2024 - 19:26

Entenda os motores por trás da tendência que contrasta com uma economia na qual a inflação estimada para o mês está projetada em 15%

TIC TAC TIC…

A guerra nuclear é inevitável? O alerta de Putin após a provocação da França e da Otan

29 de fevereiro de 2024 - 17:00

O presidente da Rússia fez um discurso à nação nesta quinta-feira (29) e deixou bem claro que está preparado para o que der e vier para conter o Ocidente

CÂMBIO

O dólar já era? Se depender da Rússia, sim. A proposta de Putin para Brasil, China e outros emergentes “esquecerem” de vez a moeda americana

28 de fevereiro de 2024 - 20:01

Moscou também já estaria testando uma nova tecnologia de pagamento que pode sinalizar a criação de uma moeda do Brics

G-20

Yellen no Brasil: as principais declarações da chefona do Tesouro dos EUA na passagem por aqui

27 de fevereiro de 2024 - 17:45

Ela, que já foi presidente do Federal Reserve, participou hoje de encontro promovido pela Amcham Brasil e falou sobre o potencial de crescimento brasileiro, inflação nos EUA e outros temas que o Seu Dinheiro resumiu para você

SUÉCIA NA OTAN

Sinuca de bico para Putin: como a Europa deixou a Rússia sem “ângulo para bater” em um cenário de guerra mundial

26 de fevereiro de 2024 - 19:35

Quem fez a jogada que deixou o chefe do Kremlin com pouca margem de manobra foi a Hungria; entenda o que aconteceu dessa vez

Eleições nos EUA

Trump é inevitável? Ex-presidente americano derrota Nikki Haley em casa por vasta margem e caminha para virar o candidato republicano

25 de fevereiro de 2024 - 11:01

Donald Trump vence as primárias republicanas no estado da Carolina do Sul, berço político da oponente Nikki Haley, por 60% dos votos

2 anos da guerra

Ocidente demonstra apoio a Kiev no 2º aniversário da guerra entre Ucrânia e Rússia; Zelensky assina acordos com Itália e Canadá

24 de fevereiro de 2024 - 20:18

Líderes do Ocidente foram à capital ucraniana neste sábado, pelo aniversário da guerra; ajuda dos EUA e da União Europeia ao país, no entanto, passa por dificuldades

THE FINAL COUNTDOWN

Contagem final? Como Trump pode consolidar indicação republicana antes do tempo e encarar Biden em novembro

23 de fevereiro de 2024 - 19:55

A vitória de Trump na Carolina do Sul escreveria o capítulo final de uma das histórias políticas mais importantes da última década

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies