🔴 MELHORES MOMENTOS DO MACRO SUMMIT BRASIL 2024 – ASSISTA AQUI

Se não pode derrotá-lo, junte-se a ele — mas com moderação

Não vejo problema algum se você quer ter até 80% do seu patrimônio em renda fixa neste momento, mas abrir mão de ter ações na carteira só porque os últimos trimestres não têm sido favoráveis pode atrapalhar bastante os seus objetivos financeiros de longo prazo

6 de janeiro de 2023
6:06 - atualizado às 19:38
Dividendos

E aí, você já estabeleceu as suas metas para o ano de 2023?

Emagrecer, aprender um novo idioma, fazer um curso, trocar de carro, viajar pelo mundo, são alguns dos objetivos comuns que as pessoas escolhem no início de cada ano.

Tem gente que prefere escolher desafios mais fáceis para ter certeza de que serão alcançados. Para os gestores, a situação é bem mais complicada, especialmente em 2023.

Meta complicada

Com a Selic em 13,75% e com grandes chances de continuar próxima desse patamar até o fim do ano, os gestores simplesmente não têm escolha. Eles iniciam 2023 com a meta de oferecer um retorno de mais de +13% nos próximos 12 meses. Lembrando que nos últimos 3 anos a bolsa ofereceu retornos muito menores do que esse.

Olhando para frente, o cenário também não anima. O ambiente político continua conturbado e o novo governo ainda parece não ter entendido a importância da estabilidade fiscal para o país. Bata todos esses ingredientes no liquidificador e a tarefa de superar o CDI com ações em 2023 parece ainda mais difícil.

Se não pode vencê-lo…

Não é à toa que, depois de quatro anos de aumento na exposição dos fundos locais em ações brasileiras (linha verde), desde 2020 vimos um corte de praticamente 50% da participação nesses ativos.

Fonte: Anbima

Em 2023, a tônica deve ser a mesma, já que o ano começou com a régua lá em cima (+13%). Por que o sujeito vai arriscar a performance do fundo (e o bônus dele) em renda variável se ele pode entregar um retorno de dois dígitos praticamente sem risco colocando a maior parte do dinheiro no Tesouro Selic?

Quer saber o que eu penso sobre isso? Que você deveria fazer o mesmo! Mas com um pouco mais de inteligência.

Quem não arrisca, não petisca

Faz sentido a indústria de fundos reduzir a alocação em ações para aproveitar os juros elevados atuais da renda fixa.

O problema é que se concentrar muito em renda fixa pode até te ajudar se o mercado continuar ruim, mas vai atrapalhar muito a sua rentabilidade caso as coisas comecem a melhorar.

Já pensou se você vende todas as suas ações e a bolsa sobe +97% em 2023, assim como aconteceu no primeiro ano do primeiro mandato de Lula como presidente, em 2003?

Obviamente, eu não estou dizendo que é isso que vai acontecer. Mas os múltiplos descontados atuais combinados com algum gatilho positivo relevante (como um compromisso fiscal mais contundente) poderiam fazer as ações se recuperarem rapidamente.

Fonte: Bloomberg

Ficar de fora da bolsa em um cenário como esse pode custar caro.

Apenas para exemplificar o raciocínio, coloquei abaixo o retorno de três carteiras diferentes de 2003 a 2007.

A primeira totalmente investida no Tesouro Selic (linha preta). A segunda totalmente investida no Ibovespa (linha verde). A terceira com metade do portfólio investido em bolsa, e o restante em Selic. 

Fonte: Bloomberg

Não é preciso ter uma alocação maluca, nem se alavancar em ações para obter retornos elevados quando as coisas vão bem.

Por outro lado, ter uma exposição muito pequena em bolsa nesse cenário pode fazer você perder a grande chance de multiplicação de capital dos próximos dez anos.

Equilíbrio

Não vejo problema algum se você quer ter 50%, 60% ou até 80% do seu patrimônio investido em renda fixa neste momento. Tudo depende do seu apetite por risco.

Mas abrir mão de ter ações na carteira só porque os últimos trimestres não têm sido favoráveis pode atrapalhar bastante os seus objetivos financeiros de longo prazo.

Se você quer investir em ações sem arriscar tanto assim, pode preencher essa parcela do portfólio com papéis de empresas geradoras de caixa e pagadoras de dividendos, como as que compõem a série Vacas Leiteiras — melhor carteira da Empiricus em 2022, com um retorno de +16%.

Se quiser dar uma olhada no rebanho, deixo aqui o convite.

Um grande abraço e até a semana que vem!
Ruy

Compartilhe

SEXTOU COM O RUY

Enquanto você se preocupa com a Oi (OIBR3), esta empresa da B3 virou a campeã de qualidade no serviço de internet – e ainda está barata na bolsa

12 de abril de 2024 - 6:07

Para se diferenciar, essa companhia construiu uma infraestrutura de qualidade, que tem proporcionado prêmios de internet fixa mais rápida do Estado de São Paulo, à frente das gigantes de telecom

EXILE ON WALL STREET

Rodolfo Amstalden: Quintal da China, quintal do mundo

10 de abril de 2024 - 19:15

Se a economia chinesa sofre, nós necessariamente compartilhamos dessa desgraça?

INSIGHTS ASSIMÉTRICOS

Juro real de volta aos 6%: com bolsa na pior e dólar nas alturas, essa é uma nova oportunidade?

9 de abril de 2024 - 6:40

Uma regra prática comum para investimentos em renda fixa no Brasil sugere vender títulos quando os juros reais atingem 3% e comprá-los a 6%

EXILE ON WALL STREET

Além do bitcoin (BTC): esta carteira já rendeu 447% acima da maior criptomoeda do mercado

8 de abril de 2024 - 20:01

Acredito que exista uma forma melhor de pensar sobre a ciclicidade do preço do bitcoin (BTC), que historicamente nos ajudou a gerar alfa neste mercado

BOMBOU NO SD

Argentina entra na rota de ‘paraíso fiscal’, China encara mesma crise do Japão e inteligência artificial “sugando” o Ibovespa — veja tudo o que foi destaque na semana

6 de abril de 2024 - 13:36

A crise e os seus reflexos no país vizinho no Brasil despertaram o interesse dos leitores do Seu Dinheiro nos últimos dias

IR 2024

Pago escola e plano de saúde de um filho ilegítimo; posso abater esses gastos no imposto de renda?

6 de abril de 2024 - 8:00

Filho não assumido rende deduções no imposto de renda? A Dinheirista responde dúvidas de leitores sobre o IR 2024

EXILE ON WALL STREET

Rodolfo Amstalden: Lições da renda fixa — um intervalo assimétrico

3 de abril de 2024 - 20:01

De 2010 para cá, mediante a ajuda da balança comercial, a maturação do Copom e a lapidação das metas fiscais, os juros reais passaram a respeitar uma zona limítrofe de 3% a 6%, com raras exceções

INSIGHTS ASSIMÉTRICOS

A inteligência artificial está “sugando” recursos das bolsas — inclusive do nosso Ibovespa

2 de abril de 2024 - 6:58

No início dos anos 2000, se entendia que os mercados emergentes, de alguma forma, se aproximariam dos desenvolvidos

EXILE ON WALL STREET

Tony Volpon: E se a inflação superar a meta do Fed? Precificando o “no landing” dos juros nos Estados Unidos

1 de abril de 2024 - 20:01

O Fed sinalizou três cortes de juros de 0.25% neste ano. Mas, como em 2023, vale a pena perguntar: e se o esperado não acontecer?

de repente no mercado

A ‘virada de chave’ do Magalu, melhores investimentos para abril, ‘boom’ dos FIIs e um guia para investir (ou não) em PETR4

31 de março de 2024 - 12:00

E mais: análise do 4T23 de Equatorial (EQTL3); veja os destaques da semana na ‘De repente no mercado’

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies