🔴 [TESTE GRÁTIS] NOVO APP PODE GERAR ATÉ R$ 680 POR DIA COM 3 CLIQUES – CONHEÇA

Larissa Vitória
Larissa Vitória
É repórter do Seu Dinheiro. Formada em jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP), já passou pelo portal SpaceMoney e pelo departamento de imprensa do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT).
DESTAQUES DO DIA

Magazine Luiza (MGLU3) dispara 12% após Copom; Via (VIIA3), Méliuz (CASH3), MRV (MRVE3) e outros nomes do varejo, techs e construção avançam em bloco hoje

Alguns dos setores mais afetados pelo aperto nos juros são impulsionados pela sinalização de que o ciclo de alta da Selic está próximo do fim

Lu-do-Magazine-Luiza (MGLU3) Ibovespa

A sinalização do Copom de que o ciclo de alta da taxa Selic está próximo do fim garante mais um dia de ganhos para o varejo,as techs e o segmento de construção civil — alguns dos setores mais afetados pelo aperto no juros — nesta quinta-feira (4). E as ações do Magazine Luiza (MGLU3), mais uma vez, estão entre os destaques positivos do Ibovespa.

Por volta das 12h15, os papéis do Magalu saltavam 12,97%, a R$ 3,31, e lideravam a ponta positiva do índice. A Via (VIIA3), outra varejista, também aproveita o otimismo renovado para anotar ganhos de 8,78%, a R$ 2,85.

Entre as ações ligadas à tecnologia, a maior alta é registrada pela Méliuz (CASH3), que sobe 12,39%, a R$ 1,27. Já no setor da construção civil, o destaque é novamente a MRV (MRVE3): a incorporadora, que registrou a maior alta em mais de quatro meses ontem, avança 10,52% hoje, a R$ 11,03.

Confira as maiores altas do Ibovespa hoje:

CÓDIGONOMEULTVAR
MGLU3Magazine Luiza ONR$ 3,3112,97%
CASH3Meliuz ONR$ 1,2712,39%
MRVE3MRV ONR$ 11,0310,52%
NTCO3Natura ONR$ 19,2810,05%
VIIA3Via ONR$ 2,858,78%

Anunciação: techs aproveitam

Por trás da disparada dos papéis estão os sinais vindos do Banco Central que apontam para a conclusão do ciclo de alta dos juros.

Após elevar a Selic em meio ponto, para 13,75% ao ano, o Copom indicou que pode promover apenas uma “nova alta residual” na próxima reunião antes de estacionar a taxa. E, por motivos diferentes, a sinalização é uma boa notícia para os três setores citados acima.

Para as techs, por exemplo, o alívio vem das perspectivas de ganho de atratividade. Com várias empresas ainda em fase de crescimento e que necessitam de capital para seguir expandindo, o segmento é um dos mais afetados pela fuga de capital da renda variável em momentos de aperto nos juros.

Como o novo cenário pode diminuir — ou pelo menos parar de aumentar — a atratividade da renda fixa, as techs devem voltar a ser observadas com mais carinho pelos investidores. Além da Méliuz (CASH3), ações como Locaweb (LWSA3) e Totvs (TOTS3) também têm ganhos firmes.

Varejo: Magazine Luiza (MGLU3) e outras em alta

Já para as varejistas, como Magazine Luiza (MGLU3), Via (VIIA3) e Americanas (AMER3), um dos grandes desafios é conquistar novamente a clientela espantada pela alta da inflação sobre os produtos comercializados.

Mas o remédio para essa alta, que é a elevação da Selic, encarece o crédito utilizado pelas famílias. Por isso, as perspectivas de fim do aperto nos juros são um bálsamo para o setor.

Outro sinal positivo para as varejistas veio do balanço de uma das maiores empresas do setor. A receita líquida do Mercado Livre (MELI34) somou US$ 2,6 bilhões no segundo trimestre, um crescimento de 52,5% em relação ao mesmo período do ano anterior.

Um dos responsáveis pelo resultado foi a receita da operação brasileira, que saltou 104% no mesmo intervalo — o que pode ser um indicativo que os players domésticos de e-commerce também terão um trimestre mais forte em termos de vendas.

Veja também - As ações com a maior 'promoção' da história?

E as construtoras?

As incorporadoras e construtoras da B3 enfrentam uma situação parecida com a do varejo, na qual, de acordo com a dose, o remédio para uma das dores das empresas pode se tornar um veneno.

A inflação encarece os insumos da construção civil e aperta as margens das companhias: portanto, precisa ser combatida. Por outro lado, o aperto na taxa básica de juros encarece os financiamentos imobiliários, um dos pilares do mercado.

Por hora, as perspectivas de solução para ao menos um dos dois problemas é o suficiente para trazer conforto aos investidores e impulsionar as ações.

Dentro do Ibovespa, além da MRV (MRVE3), destaque também para a Cyrela (CYRE3) e a JHSF (JHSF3).

Compartilhe

FECHAMENTO DO MERCADO

Dólar supera os R$ 5,46: por que a moeda norte-americana voltou a subir e fechou no maior nível em quase dois anos

20 de junho de 2024 - 17:34

O dólar abriu o dia em queda, mas o alívio pós-decisão do Copom durou pouco e a moeda emendou o quinta pregão consecutivo de ganhos

GESTORAS

Studio Investimentos muda gestão de fundo após queda acumulada de mais de 30% no ano

20 de junho de 2024 - 16:57

A saída aconteceu pela necessidade de “alterar e reforçar a gestão” da família de fundos da casa, de acordo com a Studio, que tem R$1 bilhão sob gestão

(MAIS) DINHEIRO NO BOLSO

Os dividendos deste fundo imobiliário com mais de 40 mil cotistas devem subir nos próximos meses, segundo os cálculos da gestão

20 de junho de 2024 - 15:07

O SNCI11 já pagará proventos cerca de 5% maiores neste mês e, com um novo cenário macroeconômico traçado pelo mercado, a gestão espera dividendos ainda maiores

LADEIRA ABAIXO

Ações da rede social de Trump chegam a cair 15% hoje — o que explica a queda livre dos papéis?

20 de junho de 2024 - 14:11

A empresa que controla Truth Social perdeu US$ 2 bilhões em valor desde o início do mês; entenda o que está acontecendo com os papéis

AS QUERIDINHAS DA BAIXA RENDA

Cinco fatores por trás do otimismo com as ações de Direcional (DIRR3) e Cury (CURY3) — e qual delas é a favorita do Itaú BBA

20 de junho de 2024 - 13:21

O banco de investimentos revisou as suas estimativas para ambas as companhias e reforçou a visão positiva para o setor

MERCADOS HOJE

Lula não gostou, mas o mercado sim: após decisão de manter Selic em 10,5% e comunicado duro, Ibovespa salta 1% hoje

20 de junho de 2024 - 12:15

No mesmo horário, o dólar à vista era negociado próximo da estabilidade, ainda na faixa de R$ 5,40, reagindo ao cenário internacional

REPORTAGEM ESPECIAL

Taesa (TAEE11) e ISA Cteep (TRPL4): por que parte do mercado aposta na queda das ações preferidas dos “caçadores de dividendos”

20 de junho de 2024 - 6:18

Duas das principais transmissoras de energia do País, Taesa e ISA Cteep vêm recebendo desde o ano passado recomendações de “venda” de analistas

MOEDA EM ALTA

Não para de subir: dólar salta para R$ 5,47 hoje — e desta vez, o responsável não é (só) Lula

19 de junho de 2024 - 11:46

O feriado nos Estados Unidos reduziu a liquidez do dia, contribuindo com a volatilidade, além da aversão ao risco em relação à expectativas com o fim da reunião do Copom

DESTAQUES DA BOLSA

Ações de desenvolvedora imobiliária disparam mais de 5% na bolsa após contratação de banco para venda de ativos, incluindo hotéis em SP

18 de junho de 2024 - 11:22

A HBR Realty contratou o Bradesco BBI para ajudar na execução da estratégia de reciclagem de ativos da companhia

DE OLHO NAS REDES

O Brasil não tem condições para uma Selic de um dígito em 2024: por que este estrategista acredita ser impossível juros abaixo de 10% em 2024

17 de junho de 2024 - 16:41

Com a próxima reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) se aproximando, o mercado parece está cada vez menos esperançoso sobre os cortes na taxa básica de juros, a Selic. Para Rogério Benevente, sócio da GWM Investments e convidado desta semana do podcast Touros e Ursos, “é impossível pensar numa Selic abaixo de 10% em […]

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar