🔴 FENÔMENO QUE TRANSFORMOU 1.500 PESSOAS EM MILIONÁRIAS PODE SE REPETIR – VEJA COMO SER O PRÓXIMO

Carolina Gama
Formada em jornalismo pela Cásper Líbero, já trabalhou em redações de economia de jornais como DCI e em agências de tempo real como a CMA. Já passou por rádios populares e ganhou prêmio em Portugal.
I GOT THE POWELL

Inflação dá trégua nos EUA e investidor comemora — será que o CPI pode mudar os planos do Fed?

Banco central norte-americano anuncia na quarta-feira (14) a última decisão de política monetária do ano e a expectativa era de uma redução no ritmo de alta do juro

Carolina Gama
13 de dezembro de 2022
15:00 - atualizado às 15:13
Imagem mostra Jerome Powell como grande estrela do mercado financeiro
Imagem: Shutterstock, com intervenções de Andrei Morais

Wall Street está celebrando nesta terça-feira (13) dados de inflação mais mornos do que o esperado. O Nasdaq, por exemplo, chegou a subir mais de 3% após a abertura das negociações em Nova York — não só pela desaceleração do índice de preços ao consumidor norte-americano (CPI, na sigla em inglês), mas também de olho no Federal Reserve (Fed)

O banco central norte-americano anuncia amanhã (14) a última decisão de política monetária do ano, e o que muito investidor se pergunta agora é se o CPI será capaz de mudar os planos do Fed. 

Repetidas vezes, Jerome Powell, presidente do BC dos EUA, disse que um dado isolado não é o suficiente para mudar os planos do Federal Reserve em relação ao aumento da taxa de juro — que atualmente está na faixa de 3,75% a 4% ao ano. 

Nas palavras do próprio Powell, para que a trajetória do aperto monetário seja alterada, o Fed precisa estar convencido de que a inflação finalmente está cedendo. 

Então vamos olhar mais de perto o comportamento do CPI nos últimos meses. O gráfico abaixo mostra a evolução do CPI em 2022, na comparação anual:

Fonte: Fonte: U.S. Bureau of Labor Statistics

Desde junho de 2022, quando atingiu o pico de 9,1% na variação anual, o índice de preços ao consumidor norte-americano vem desacelerando até chegar em 7,1% de novembro. 

E aqui cabe uma ressalva: o CPI não é a medida preferida do Fed para a inflação e sim o PCE, sigla para índice de preços para gastos pessoais — que também vem desacelerando nos últimos meses, segundo dados do Departamento do Comércio dos EUA:

  • Janeiro: 6,1%
  • Fevereiro: 6,4%
  • Março: 6,8%
  • Abril: 6,4%
  • Maio: 6,5%
  • Junho: 7,0%
  • Julho: 6,4%
  • Agosto: 6,2%
  • Setembro: 6,3%
  • Outubro: 6,0%

Inflação fará o Fed baixar o juro?

Como diria o velho ditado: “devagar com o andor, o santo é barro”. O momento da redução do juro nos EUA ainda não chegou, mas tudo indica que o Fed deve reduzir o ritmo de alta a partir de amanhã. 

Há algumas semanas, Powell sinalizou ao mercado que a ideia do banco central era pegar mais leve com o aumento da taxa — até mesmo para evitar que a economia mergulhe em uma recessão, afinal, nem mesmo os EUA aguentam quatro elevações seguidas de 0,75 ponto percentual (pp) como vem acontecendo. 

O relatório de emprego de novembro, o chamado payroll, divulgado na sexta-feira (9), chegou a colocar uma grande interrogação entre os investidores sobre se a alta de 0,50 pp para o encontro de amanhã ainda seguia válida. Mas o CPI divulgado hoje devolveu a esperança de que o Fed vai seguir uma trajetória bem menos agressiva de aperto monetário. 

O que dizem os especialistas

Para James Knightley, economista-chefe internacional do ING, a inflação mais fraca é sinal de que o pico da taxa de juro nos EUA está próximo. 

“Como o Fed foi prejudicado no passado com a narrativa de uma inflação transitória, acredito que terá cautela ao declarar agora o arrefecimento dos preços. A aposta para amanhã continua sendo de uma alta de 0,50 pp”, afirmou. 

Já Thomas Felmate, diretor e economista sênior da TD Economics, lembra que apesar de as pressões inflacionárias mostrarem arrefecimento, o núcleo da inflação ainda é três vezes maior do que a meta de 2% do Fed. 

“Embora suspeitemos que a hora de começar a reduzir os aumentos chegou — com uma alta de 0,50 pp para amanhã — acreditamos que os membros do comitê de política monetária ainda precisarão ver mais convicção nos dados antes de desistir do ciclo de aperto”, disse.

Os analistas da Schwab afirmam em relatório que o dado de inflação de hoje acalmou o mercado sobre a possibilidade da manutenção de aumentos agressivos do juro. 

“Continuam trabalhando com um cenário de alta de 0,50 pp para o juro na decisão do Fed de amanhã”, afirmaram.

Compartilhe

DE MALAS PRONTAS

Após o “boom” de preços pós-pandemia, passagens aéreas ficam mais baratas em todo o mundo – e a tendência deve continuar. O que explica esse fenômeno?

25 de julho de 2024 - 14:07

Tarifas de passagens em companhias aéreas nos Estados Unidos, Europa e Austrália já caíram mais de 11% em 2024

MUITA CALMA NESSA HORA

Os juros vão cair mesmo? Por que o mercado comemorou o PIB dos EUA, mas não deveria

25 de julho de 2024 - 12:46

Indicadores econômicos divulgados nesta quinta-feira (25) reforçaram a crença dos investidores de que o primeiro corte de juros nos EUA em quatro anos vai acontecer em setembro

ELEIÇÕES NOS EUA

O que Biden deixou de dizer em discurso é mais importante do que o que ele realmente disse

25 de julho de 2024 - 11:25

Presidente norte-americano faz um balanço de sua administração, fala de manutenção da democracia, mas é vago sobre os motivos que o levaram a abandonar a disputa

AY, HERMANOS

Dólar livre na Argentina: Banco Central do país anuncia regras para aliviar controle sobre moeda norte-americana 

24 de julho de 2024 - 18:07

Um dos objetivos da gestão Milei é unificar essas cotações em uma só e adotar o modelo de câmbio flutuante, como o do Brasil

ELEIÇÕES NOS EUA

Kamala Harris usa passado como promotora para se contrapor a Trump e seus problemas com a justiça — e já aparece em vantagem em pesquisa

24 de julho de 2024 - 10:31

Pesquisa Reuters/Ipsos mostra Kamala Harris com 2 pontos de vantagem sobre Donald Trump no voto popular, mas não é ele que decide a eleição

TROPA NA RUA

Acabou para Maduro? Venezuela vive dias “quentes” antes de eleição que será teste de fogo para o chavista

23 de julho de 2024 - 19:58

Faltando poucos para a eleição de domingo (28), o presidente venezuelano trabalha mais arduamente do que nunca para reforçar a lealdade das Forças Armadas

KAMALAMANIA?

Kamala Harris já dispõe de apoio suficiente entre os democratas, mas ainda tem um caminho a percorrer até ser a candidata oficial do partido

23 de julho de 2024 - 10:42

Candidatura de Kamala Harris precisa ser ratificada pelos delegados do Partido Democrata, o que só deve acontecer em agosto

"EU TE AMO"

Discurso inesperado: Biden fala pela primeira vez após desistência; Harris também se pronuncia

22 de julho de 2024 - 19:57

Biden convocou uma reunião de campanha para agradecer à sua equipe pelo trabalho árduo e para reforçar o apoio à campanha presidencial de Harris

WOMAN POWER

É histórico: Kamala Harris arrecada mais de US$ 100 milhões para o partido menos de 24 horas após Biden desistir da reeleição

22 de julho de 2024 - 19:02

A possibilidade de a vice presidente dos EUA se tornar a candidata democrata canaliza uma enorme quantidade de recursos para os democratas enfrentarem Trump em novembro

ELEIÇÕES NOS EUA

A euforia com Trump vai durar? Os 5 fatores que podem fazer a onda vermelha se tornar um tsunami sobre os mercados

22 de julho de 2024 - 18:46

O estrategista-chefe do UBS Investment Bank listou os pontos de atenção para os investidores em caso de vitória do republicano em novembro

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar