⚠️ DIVIDENDOS EM RISCO? Lula e Bolsonaro querem taxar seus proventos e podem atacar sua renda extra em 2023. Saiba mais aqui

2022-09-19T18:24:20-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Tem uma pedra no sapato

Nada de melhores amigos para sempre — há limites na parceria entre Xi Jinping e Vladimir Putin

Especialista classifica a relação entre Rússia e China como um “suporte emocional”, já que a recusa chinesa em enviar apoio militar emite um sinal importante

17 de setembro de 2022
10:02 - atualizado às 18:24
O presidente da Rússia, Vladimir Putin, cumprimenta com um aperto de mãos o presidente da China, Xi Jinping
O presidente da Rússia, Vladimir Putin, e o presidente da China, Xi Jinping - Imagem: Shutterstock

Apesar de no imaginário geopolítico global as figuras dos chefes de Estado da Rússia e China — Vladimir Putin e Xi Jinping — aparecerem sempre como melhores amigos inseparáveis, a amizade entre os dois controversos líderes também parece ter os seus limites. 

De acordo com o professor australiano Matthew Sussex, da Universidade Griffith, a parceria entre os principais antagonistas ao poder hegemônico dos Estados Unidos não é estabelecida de igual para igual — a China possui uma relação de dominância frente à Rússia e não está mais disposta a encarar as aventuras de Putin sem questionar. 

Para o analista, a maior dependência da Rússia é o que desequilibra a balança. 

Nos últimos dias, Xi Jinping se encontrou com Putin no Uzbequistão pela primeira vez desde que o exército de Putin invadiu a Ucrânia, e o líder chinês demonstrou apoio aos interesses comuns dos países, mas o especialista afirma que a relação não é igualitária. 

Um dos sinais de que há problemas nessa relação é que Pequim se recusa a fornecer armas para Moscou, mesmo que continue comprando o petróleo mais barato que tem sido vendido pela Rússia. 

Até o momento, a guerra na Ucrânia já matou 34 mil pessoas, com as maiores perdas vindo do lado russo. Nas últimas semanas, a pressão sobre Putin aumentou, já que o governo ucraniano recuperou territórios e encurralou parte das tropas invasoras. 

Apesar da irritação chinesa com os desdobramentos da guerra, a parceria entre os dois países deve continuar. Para Xiaoyu Pu, professor associado da Universidade de Nevada, os dois líderes devem continuar unidos na tentativa de contrabalancear a dominância ocidental na economia. 

Pu classifica a relação entre Rússia e China como um "suporte emocional", já que a recusa chinesa em enviar apoio militar emite um sinal importante. 

Leia também:

  • EXCLUSIVO "BOLSONARO X LULA": com 7 de setembro e ânimos à flor da pele para eleições, saiba como as eleições podem mexer com o Ibovespa daqui para frente e o que aconteceu com a Bolsa nas últimas 6 eleições, de 1998 a 2018. Basta liberar o material gratuito neste link

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

SEXTOU COM O RUY

A ação da 3R Petroleum (RRRP3) disparou mais de 20% em uma semana. E pode ser apenas o começo

7 de outubro de 2022 - 6:09

Apesar dos maiores riscos, o potencial de valorização das ações da 3R Petroleum (RRRP3) também é enorme com a expectativa de demanda forte pelo petróleo por mais algumas décadas

A FORÇA DO VENTO

Copel (CPLE6) desembolsa R$ 1,8 bilhão por complexos eólicos no Rio Grande do Norte; veja detalhes

6 de outubro de 2022 - 19:49

A companhia destaca que os dois complexos estão um região que é considerada como “uma das melhores do mundo para a geração de energia de fonte eólica”

ELEIÇÕES 2022

Lula cede espaço para Bolsonaro no Nordeste e perde 9 pontos, segundo pesquisa Genial/Quaest

6 de outubro de 2022 - 19:25

O petista ainda segue liderando as intenções de voto na região onde sempre foi líder absoluto nas pesquisas, mas avanço do rival é um movimento significativo

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

Ibovespa emplaca mais uma alta, a disparada da Mobly (MBLY3) e o Nobel de Literatura; confira os destaques do dia

6 de outubro de 2022 - 18:51

Ao longo desta semana, o Ibovespa e os principais índices de Wall Street estão seguindo caminhos distintos.  Enquanto na B3 a alta do petróleo e a repercussão positiva do primeiro turno das eleições seguem levando a bolsa a patamares cada vez mais próximos dos 120 mil pontos, Nova York continua de olho na inflação e […]

FECHAMENTO DO DIA

Ibovespa pega carona com o petróleo mais uma vez e vai na contramão de NY; dólar também avança

6 de outubro de 2022 - 18:35

Embora o dólar tenha acompanhado a tensão internacional, o Ibovespa voltou a ir na contramão de Nova York com a ajuda do petróleo

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies