⚠️ DIVIDENDOS EM RISCO? Lula e Bolsonaro querem taxar seus proventos e podem atacar sua renda extra em 2023. Saiba mais aqui

2022-09-17T08:33:26-03:00
Estadão Conteúdo
12ª SEMANA DE QUEDA

Após cortes recentes, preço médio da gasolina nos postos volta a ficar abaixo de R$ 5

A queda dessa semana nas bombas ainda se deve ao último reajuste da Petrobras, que reduziu em 7% o preço aos distribuidores em 2 de setembro.

17 de setembro de 2022
8:33
Gasolina-930×524

O preço médio da gasolina comum nas bombas caiu mais 1,4% nesta semana, informou nesta sexta-feira, 16, a Agência Nacional de Petróleo Biocombustíveis e Gás Natural (ANP). O levantamento oficial diz respeito ao período entre os dias 11 e 17 de setembro, quando combustível é comercializado a R$ 4,97 por litro, ante R$ 5,04 aferido na semana anterior.

Com isso, o preço médio da gasolina nos postos voltou a ficar abaixo de R$ 5,00 pela 1ª vez desde o início do ano passado. A última vez que aconteceu, informa a ANP, foi em 20 de fevereiro de 2021, quando o litro da gasolina custava, em média, R$ 4,91.

Trata-se da 12ª semana consecutiva de queda no preço desse combustível ao consumidor desde o pico histórico de R$ 7,39, registrado na penúltima semana de junho. Desde então, em pouco mais de dois meses e meio, o preço da gasolina já recuou 32,7% nos postos.

Antes desse preço começar a cair, porém, a gasolina acumulava alta de 70,6% nos postos desde janeiro de 2019, início do governo Jair Bolsonaro. Então, a gasolina era comercializada no país a um preço médio de R$ 4,33 por litro segundo a ANP. Na prática, portanto, os esforços do governo ainda não compensaram a escalada de preços experimentadas nos primeiros três anos e meio de governo.

A recente trajetória de queda começou em 24 de junho, quando o governo federal sancionou a lei que limitou o ICMS incidente sobre combustíveis a 17% em todo o país. Depois, nos meses de julho, agosto e setembro, os preços seguiram caindo em função de quatro reduções seguidas nos preços praticados pela Petrobras em suas refinarias, que são aos poucos repassadas às bombas pelos varejistas.

A queda dessa semana nas bombas ainda se deve ao último reajuste da Petrobras, que reduziu em 7% o preço aos distribuidores em 2 de setembro.

A redução de impostos sobre combustíveis e a pressão do governo para a Petrobras diminuir os preços praticados nas refinarias se devem aos esforços do governo em dar uma resposta ao eleitorado e conter a inflação perto das eleições. Esse processo tem sido facilitado pelo recuo das cotações internacionais do barril de petróleo e seus derivados.

Leia também:

  • EXCLUSIVO "BOLSONARO X LULA": com 7 de setembro e ânimos à flor da pele para eleições, saiba como as eleições podem mexer com o Ibovespa daqui para frente e o que aconteceu com a Bolsa nas últimas 6 eleições, de 1998 a 2018. Basta liberar o material gratuito neste link

Diesel

Na semana entre 11 e 17 de setembro, informou a ANP, o preço médio do diesel S10 nos postos brasileiros teve ligeira queda para R$ 6,94 ante R$ 6,96 na semana imediatamente anterior, um recuo de 0,2%. Desde quando foi imposto o teto de 17% no ICMS, em 24 de junho, o diesel foi reajustado para baixo nas refinarias da Petrobras em duas ocasiões. Assim como a gasolina, ele também caiu por 12 semanas seguidas e acumula queda de 9,6% no preço médio do litro, que variou de R$ 7,68 no início do ciclo para os atuais R$ 6,94.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

ELEIÇÕES 2022

Zema, Moro, Garcia e Dallagnol: como esses apoios podem ajudar Bolsonaro no segundo turno?

7 de outubro de 2022 - 13:07

Presidente vem reforçando seu time para a fase final das eleições com nomes da direita da política brasileira; confira os apoios que podem fazer a diferença na reeleição de Bolsonaro

NÃO VAI COLAPSAR?

Ressuscitou? Credit Suisse tenta tranquilizar investidores sobre risco de calote e ações avançam em NY

7 de outubro de 2022 - 12:49

Entre as soluções anunciadas, a instituição financeira recomprará bilhões em dívidas e venderá um famoso hotel de quase 200 anos de história

RECALIBRANDO A CARTEIRA

Rali recente da bolsa brasileira limita potencial de ganhos do Bradesco (BBDC4) e JP Morgan rebaixa ações

7 de outubro de 2022 - 12:38

Com a alta recente e a perspectiva mais conservadora para os resultados do terceiro trimestre, os analistas do JP MOrgan rebaixaram as ações do Bradesco (BBDC4)

CRYPTOSTORM

Ethereum (ETH) killers: três criptomoedas têm chances de vencer a segunda maior moeda do mundo — e duas apostas para o futuro

7 de outubro de 2022 - 12:07

Solana (SOL), Polygon (MATIC) e Cosmos (ATOM), três criptomoedas de infraestrutura ou Layer 2 (L2) que podem superar o ethereum nos problemas das blockchains

geração mais sustentável

Copel (CPLE6) pretende ter 25% de seu portfólio composto por energias renováveis, diz diretor-presidente

7 de outubro de 2022 - 11:48

Para ajudar com essa meta, a Copel (CPLE6) comprou os complexos eólicos Santa Rosa e Mundo Novo (RN) por R$ 1,8 bilhão

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies