O melhor time de jornalistas e analistas do Telegram! Inscreva-se agora e libere a sua vaga

2022-04-13T16:13:15-03:00
Carolina Gama
ALERTA OU AMEAÇA?

EUA colocam China contra a parede por apoiar Putin; veja o recado que Biden mandou para Xi Jinping

Norte-americanos também aumentam pressão sobre países que estariam em cima do muro em relação às sanções impostas contra Moscou por conta da guerra na Ucrânia

13 de abril de 2022
16:13
Presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, grita ao microfone
Joe Biden, presidente dos EUA -

Os EUA voltaram a colocar a China contra a parede para tentar conter a invasão da Ucrânia pela Rússia. Dessa vez, o governo de Joe Biden subiu o tom, alertando Pequim sobre os riscos de se manter alinhada com Moscou

A porta-voz da mensagem foi Janet Yellen, a secretária do Tesouro norte-americano — cujo departamento é o principal responsável pela implantação de sanções econômicas e financeiras. 

Falando no Conselho do Atlântico, Yellen sugeriu possíveis consequências econômicas impostas pela comunidade internacional, dependendo de como a China abordar a invasão da Ucrânia.

A secretária do Tesouro dos EUA lembrou que recentemente o governo de Xi Jinping celebrou o “relacionamento especial” que tem com a Rússia.

Em fevereiro, Xi e o presidente russo, Vladimir Putin, disseram que compartilham de uma amizade sem limites. 

Assim sendo, ela disse esperar que a China faça algo positivo desse relacionamento e ajude a acabar com esta guerra na Ucrânia. 

“A atitude do mundo em relação à China e sua vontade de adotar uma maior integração econômica podem muito bem ser afetadas pela reação da China ao nosso apelo por uma ação resoluta na Rússia”, disse Yellen. 

Divisão bipolar do mundo

Esses foram alguns dos comentários mais contundentes de Yellen sobre a China desde que assumiu a chefia do Tesouro dos EUA.

Ela disse que espera evitar uma divisão bipolar entre os sistemas liderados pelos EUA e pela China, mas alertou para os riscos. 

Segundo Yellen, “no futuro, será cada vez mais difícil separar questões econômicas de considerações mais amplas de interesse nacional, incluindo segurança”.

A críticas à China não param

A secretária do Tesouro dos EUA não parou por aí. Em seu discurso, ela lembrou da dependência que o mundo tem da China — muito evidenciada pela pandemia de covid-19, que provocou uma obstrução na cadeia de suprimentos.

Segundo ela, as cadeias de suprimentos devem depender de aliados em vez de países com os quais os EUA têm tensões geopolíticas.

“Não podemos permitir que os países usem sua posição de mercado em matérias-primas, tecnologias ou produtos-chave para ter o poder de perturbar nossa economia ou exercer influência geopolítica indesejada”, disse ela.

Saiam de cima do muro!

Yellen também reiterou que, para as nações “em cima do muro” sobre o esforço internacional para punir a Rússia, qualquer movimento para minar as sanções atrairia a ira dos EUA e de seus aliados.

A chefe do Tesouro dos EUA também rebateu críticas sobre os esforços liderados por Washington para isolar a Rússia do sistema financeiro global baseado em dólar. 

Segundo ela, esses esforços foram “motivados pelos objetivos de política externa de qualquer país”.

A neutralização liderada pelos EUA de cerca de metade das reservas cambiais da Rússia e o corte de uma faixa de instituições russas de acesso à infraestrutura financeira baseada em dólar levantou dúvidas entre alguns analistas sobre se está abusando do domínio do dólar.

*Com informações da Bloomberg e da Reuters

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

'PERGUNTA PRO SACHSIDA'

Bolsonaro se pronuncia sobre ‘fritura’ e possível substituição do presidente da Petrobras (PETR4)

Bolsonaro voltou a dizer que “ninguém vai tabelar preço de combustível”, mas afirmou que a “finalidade social” da Petrobras não está sendo cumprida

BAIXOU A PREVISÃO

Magazine Luiza (MGLU3) rebaixado: JP Morgan corta previsão para ações antes do balanço de amanhã, mas projeção ainda é de alta de quase 50%; entenda motivos

O cenário de alta dos juros deve pressionar o varejo, mas o JP Morgan entende que a empresa está bem posicionada no setor

ESFRIOU

Ano deve ter queda de fusões e aquisições, mas 2022 conta com negócios de grante porte até o momento; relembre algumas delas

Entre os fatores que causaram essa freada, estão a guerra entre Rússia e Ucrânia e a expectativa de desaceleração na China, após lockdowns para conterdos casos de covid

SEU DIA EM CRIPTO

Terra (LUNA) não acompanha recuperação do bitcoin (BTC) neste domingo; criptomoedas tentam começar semana com pé direito

Mesmo com a retomada de hoje, as criptomoedas acumulam perdas de mais de dois dígitos nos últimos sete dias

A COISA VAI ESQUENTAR

Novo capítulo da guerra? Vizinhos da Rússia, Finlândia e Suécia devem se juntar à Otan e tensão na região aumenta

Vladimir Putin, presidente russo, já havia dito que a entrada dos países na Organização exigiria retaliações

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies