🔴 TCHAUZINHO, NUBANK: Itaú BBA revela ação que pode colocar o roxinho para comer poeira; CLIQUE AQUI  e descubra a resposta no nosso Telegram

2022-08-10T07:36:14-03:00
Ricardo Gozzi
Renan Sousa
Renan Sousa
É repórter do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP) e já passou pela Editora Globo e SpaceMoney. Twitter: @RenanSSousa1
De olho na bolsa

Esquenta dos mercados: Cautela predomina nas bolsas antes da publicação dos dados de inflação dos EUA hoje

O investidor local ainda acompanha a divulgação dos números do varejo brasileiro nesta quarta-feira

10 de agosto de 2022
7:36
O dragão da inflação voando pelos céus
Confira o que movimenta as bolsas, o dólar e o Ibovespa esta semana. Imagem: Shutterstock

Um otimismo cauteloso prevalece nas bolsas norte-americanas antes da divulgação dos dados da inflação de julho nos Estados Unidos. Os índices futuros de Nova York operam em leve alta diante da expectativa de que o CPI, como é chamado o índice de preços ao consumidor norte-americano, tenha desacelerado em julho.

Essa eventual queda de preços por lá atenua — ainda que de maneira provisória —os temores de uma recessão em um momento no qual o mercado de trabalho dos EUA continua aquecido.

Em junho, a inflação norte-americana atingiu 9,1%. A expectativa dos analistas é de que a alta dos preços desacelere a 8,7% em julho.

Caso isso se confirme, o Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) ganha espaço para manter uma postura mais agressiva de política monetária — o que não deve trazer bons ventos para as bolsas pelo mundo.

Na Europa, as bolsas de valores operam sem uma direção clara, com os investidores também à espera dos números da inflação nos Estados Unidos. Quem não teve um bom fechamento nesta quarta-feira (10) foram as bolsas da Ásia e Pacífico, que fecharam em queda devido à inflação da China, publicada na noite de ontem.

Na véspera, o Ibovespa fechou em queda em meio a um movimento de realização de lucro. Depois de uma forte recuperação nas sessões anteriores, o principal índice da B3 deu uma pausa depois de confirmada a expectativa de deflação em julho no Brasil.

Confira o que mais movimenta o dia aqui no Seu Dinheiro:

Federal Reserve e o remédio amargo que afeta as bolsas

Desde 27 de julho, quando o presidente do Fed, Jerome Powell, anunciou que a autoridade monetária decidiria “a cada reunião” sobre a política de juros, os números de inflação — tanto o CPI quanto o PCE (“gastos com consumo pessoal”, na sigla em inglês), indicador preferido do BC americano —, os dados do emprego e da atividade econômica tomaram conta do noticiário. 

A decisão de Powell pode ter acalmado as bolsas e investidores por algum tempo. Porém, a ansiedade antes de cada publicação de dados acaba trazendo grande volatilidade para os índices. 

Para a próxima reunião, em 21 de setembro, a expectativa geral de Wall Street é de que o Fed eleve os juros em 75 pontos-base mais uma vez. As chances de uma alta ainda maior estão cada vez mais distantes — e essa é uma boa notícia. 

Ibovespa vai engolir as falas de Guedes?

O ministro da Economia, Paulo Guedes, voltou a dizer na última terça-feira que o Brasil está na contramão das economias desenvolvidas, que caminham para a recessão.

Durante a cerimônia de abertura do congresso da Abrasel, associação que reúne bares e restaurantes, Guedes sustentou que a economia está novamente "em pé", com inflação em queda, crescimento econômico acima do que se esperava e geração de empregos.

"Já se fala abertamente em recessão nos Estados Unidos e Europa, e o Brasil, o contrário, está no início de um longo ciclo de crescimento", disse o ministro, que aproveitou também o evento para destacar as medidas lançadas pelo governo para apoiar o setor e evitar demissões durante a pandemia.

Desemprego

Entre os feitos frisados após os "dias tenebrosos" da crise sanitária, Guedes citou a preservação de mais de 14 milhões de empregos, sendo mais de 3 milhões de empregos formais.

"Hoje, olho para esses dias como dias difíceis... Mas o pesadelo ficou para trás", declarou Guedes, lembrando que a vacinação de 98% da população permitiu o retorno do funcionamento normal de bares e restaurantes.

Ainda segundo o ministro, a taxa de desemprego pode cair para 8% antes do fim do ano com a recuperação econômica. Atualmente, o desalento está em 9,3%.

“Antes de o ano acabar nós estamos descendo [a taxa de desemprego] para 8%. Vamos terminar o ano com o menor desemprego que já vimos nesses últimos 10, 15 anos”, declarou o ministro.

Dados que mexem com o Ibovespa hoje

Com o foco do exterior no CPI dos Estados Unidos hoje, o investidor local acompanha os números do varejo brasileiros, divulgados a partir das 9h. 

A expectativa do mercado é de que o varejo restrito caia 1,00% na comparação mensal e cresça 0,2% na base anual. 

Para o índice ampliado, as estimativas dão conta de uma queda de 0,7% na base mensal e recuo de 0,1% no ano. As projeções são de analistas consultados pelo Broadcast. 

Bolsa hoje: agenda do dia

  • IBGE: Pesquisa mensal do comércio restrita e ampliada (9h)
  • Estados Unidos: CPI de julho (9h30)
  • Estados Unidos: Estoques do atacado em junho (11h)
  • Banco Central: Fluxo cambial semanal (14h30)

Balanços do dia

Após o fechamento: 

  • Walt Disney (EUA)
  • Banco do Brasil (Brasil)
  • Banrisul (Brasil)
  • BRF (Brasil)
  • C&A (Brasil)
  • Equatorial Energia (Brasil)
  • Minerva Foods (Brasil)
  • MRV (Brasil)
  • Positivo (Brasil)
  • Santos Brasil (Brasil)
  • SLC Agrícola (Brasil)
  • SulAmerica (Brasil)
  • Taesa (Brasil)
  • Vittia Fertilizantes (Brasil)

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

MERCADOS AO VIVO

Bolsa hoje: Ibovespa futuro abre em queda e acompanha aversão ao risco do exterior; dólar sobe

28 de setembro de 2022 - 9:04

RESUMO DO DIA: As bolsas internacionais operam em tom negativo nesta quarta-feira (28). Os investidores seguem com maior cautela com a expectativa de recessão global no radar. Nos EUA, os discursos de dirigentes do Federal Reserve (Fed), dentre eles o do presidente Jerome Powell, devem continuar influenciando as bolsas americanas. Com a agenda esvaziada no […]

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

O efeito do abraço de urso: a volta dos IPOs na B3, dividendos milionários, inverno cripto e outras notícias que mexem com seus investimentos

28 de setembro de 2022 - 8:17

A sucessão de baixas dos ativos de risco nos mercados financeiros levou os investidores a uma caça às pechinchas — e cada vez mais analistas consideram que é hora de ir às compras nas bolsas

DE OLHO NA BOLSA

Esquenta dos mercados: Bolsas internacionais caem antes de falas de Jerome Powell e dirigentes do Fed; Ibovespa acompanha Campos Neto e Guedes hoje

28 de setembro de 2022 - 7:40

Por aqui, a última rodada da pesquisa Genial/Quaest antes do primeiro turno das eleições presidenciais mostra chances de que Lula ganhe no primeiro turno

REPORTAGEM ESPECIAL

Nova safra de IPOs vai ficar só para 2023 — e terá uma cara bem diferente da última janela

28 de setembro de 2022 - 7:00

Após um período difícil para IPOs, setores mais preparados para abertura de capital em breve são de energia, infraestrutura e saneamento

PALAVRA DO TRADER

O ótimo é inimigo do bom para um trader. O que fazer para não deixar a oportunidade passar

28 de setembro de 2022 - 6:35

Muitos traders, principalmente os iniciantes, se apegam tanto à otimização que demoram muito para colocar o setup para operar

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies