Menu
2021-05-21T16:01:24-03:00
Kaype Abreu
Kaype Abreu
Formado em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). Colaborou com Estadão, Gazeta do Povo, entre outros.
varejo em foco

Ações de Mercado Livre e Magazine Luiza caem mais de 25% em três meses — e Goldman Sachs recomenda compra

Espaço potencial de crescimento para o varejo online é ainda motivo para os analistas recomendarem a compra dos papéis, após incorporação dos resultados do primeiro trimestre

21 de maio de 2021
15:49 - atualizado às 16:01
Mercado-Livre-estoque

A queda recente das ações de Magazine Luiza (MGLU3) e Mercado Livre (MELI) representa uma oportunidade para o investidor se expor ao e-commerce na América Latina, disse o Goldman Sachs em relatório desta sexta-feira (21).

O banco está reiterando a compra dos papéis dessas empresas, além de B2W (BTOW3) e Americanas (LAME4). A recomendação para Via (VVAR4) é de venda das ações. As avaliações fazem parte de uma atualização que incorpora os resultados do primeiro trimestre.

Apesar do forte avanço das vendas online das empresas, as companhias perderam valor em bolsa nos últimos três meses, em um reflexo do movimento de "rotação de carteiras" do mercado.

Em outras palavras, após os ganhos expressivos no último ano com a perspectiva de avanço do e-commerce, os investidores passaram a apostar em ações de empresas que devem se beneficiar da reabertura das economias.

Com isso, embora acumulem altas expressivas em um ano, considerando os três meses mais recentes MELI cai 31%, MGLU recua 25% e BTOW tem perdas de 36%. No mesmo período, Nasdaq opera em baixa de 3% e Ibovespa avança 3%.

O que faz os analistas do Goldman Sachs continuarem a recomendar a compra dos papéis é a visão de que há muito espaço para crescer. O grupo reitera que o hábito de compra pela internet, impulsionado pela pandemia, deve continuar a fazer parte da rotina de uma parcela dos consumidores mesmo após a vacinação.

Eles levam em conta a penetração de apenas 11% do e-commerce sobre as operações do varejo brasileiro. Para o Goldman Sachs, as vendas online corresponderiam a 13% do total ainda neste ano e a 20% em 2024.

Entre as empresas, a divisão estaria em 35,6% de participação do mercado para o Mercado Livre, enquanto B2W e Magazine Luiza tem 21,5% e 21,1%, respectivamente. A dona das Casas Bahia teria 12,4%.

O Goldman Sachs vê o Mercado Livre crescendo 35% em volume de vendas (GMV, na sigla em inglês) no segundo trimestre em base anual, Magazine Luiza ganhando 24% e B2W subindo 37%. Enquanto isso, Via teria ganhos de 5%.

Segundo o banco, as varejistas devem registrar uma perda de margens — menor eficiência —, enquanto o foco for crescer e ganhar mercado. Na visão dos analistas, o potencial para a alta dos papéis em 12 meses é o seguinte:

  • MGLU: R$ 25 (R$ 27 de relatório anterior, diante de uma menor espectativa com GMV);
  • BTOW: R$ 93 (ante R$ 97, com o banco prevendo menor EV/GMV;
  • LAME: R$ 29 (ante R$31)
  • VVAR: R$13 ,4, (ante R$13,2, com estimativa maior para Ebitda)
  • MELI: o banco não aprenta preço-alvo para os papéis, negociados na Nasdaq

Mais recentemente, o volume de vendas do marketplace do Mercado Livre teve ganhos de R$ 6,5 bilhões, o que representa um alta anual de 87%, de acordo com o banco. B2W teve ganhos de R$ 2,9 bilhões (+105%) e Magazine Luiza de R$ 1,2 bilhão (+ 98%). Via avançou R$ 600 milhões.

Em vendas próprias (1p), Magazine Luiza lidera os ganhos, com R$ 3,4 bilhões em volume no trimestre, alta anual de 122%. B2W subiu R$ 1,3 bilhões (+69%) e Via R$ 2,2 bilhões (+123%). O banco fez ajustes nos números de Magalu para poder tornar os resultados comparáveis.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

de olho na reabertura

Vacina no braço e compra de ações: por que o UBS (o banco suíço) agora recomenda a bolsa brasileira

Banco suíço cita as revisões de crescimento para a economia brasileira, menor risco fiscal, expectativa de lucro das empresas e preços em patamares “convidativos”

seu dinheiro na sua noite

Anitta no conselho do Nubank, mais ofertas de ações e o ponto de inflexão do minério de ferro

Acostumado a fazer barulho no mercado, o Nubank fez, nesta segunda-feira, mais um anúncio que deu o que falar: a contratação da cantora e empresária Anitta para integrar o conselho de administração da empresa. A garota do Rio, nascida no bairro suburbano de Honório Gurgel e alçada à fama pelo funk carioca, ocupará uma cadeira […]

linhas 8 e 9

CCR assina acordo de acionistas com RuasInvest no Consórcio Via Mobilidade

Acordo prevê os porcentuais de participação de 80% da CCR e de 20% da RuasInvest no Consórcio ViaMobilidade Linhas 8 e 9

Microcaps

Panvel (PNVL3): é hora de investir?

A rede Panvel é queridinha no Sul do país. Sua recuperação tem mostrado que ela pode ser uma gema entre as microcaps da Bolsa. Descubra se vale a pena investir nela no Chama o Max de hoje.

sinal verde

Câmara aprova texto-base da MP que viabiliza privatização da Eletrobras

Placar foi de 258 votos contra 136; texto já havia sido aprovado pela Casa, mas voltou depois de alterações no Senado

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies