Menu
2021-05-13T13:19:58-03:00
Victor Aguiar
Victor Aguiar
Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero e com MBA em Informações Econômico-Financeiras e Mercado de Capitais pelo Instituto Educacional BM&FBovespa. Trabalhou nas principais redações de economia do país, como Bloomberg, Agência Estado/Broadcast e Valor Econômico. Em 2020, foi eleito pela Jornalistas & Cia como um dos 10 profissionais de imprensa mais admirados no segmento de economia, negócios e finanças.
Carta mensal

SPX, de Rogério Xavier, aposta em ações de consumo, mineração e serviços financeiros

Em sua última carta, a SPX debate o comportamento dos BCs em meio à inflação crescente no mundo — e destaca as movimentações na alocação

13 de maio de 2021
12:54 - atualizado às 13:19
Rogério Xavier SPX
Rogério Xavier, sócio da SPX - Imagem: Leo Martins

Como navegar as águas traiçoeiras da economia global neste momento? Afinal, por mais que haja a expectativa de recuperação no curto prazo, também há a perspectiva de alta da inflação e uma possível elevação de juros num horizonte mais longo. A SPX falou sobre o tema em sua carta mensal — e mostrou preferência por alguns setores da bolsa.

A gestora de Rogério Xavier está com alocações relativas no mercado acionário brasileiro, com posições compradas nos setores de consumo, mineração e serviços financeiros. A alta das commodities e o reaquecimento gradual do consumo são apontados como fatores decisivos para a alocação.

No exterior, a SPX também fez algumas apostas para surfar os temas do momento, aumentando o posicionamento comprado em Europa; no mercado americano, ações de empresas que se beneficiam da proposta de aumento de impostos corporativos agora têm um peso maior no portfólio.

Crescimento x inflação

O tema do momento também foi amplamente discutido na carta mensal da SPX. Para a gestora, os bancos centrais parecem mais lenientes com uma inflação ligeiramente mais alta que a meta — e mesmo a sociedade não parece muito preocupada com esse cenário, dado que os países desenvolvidos não tiveram choques inflacionários no passado recente.

"Um aforismo dos bancos centrais diz que é mais fácil combater a inflação do que tirar uma economia de um processo deflacionário", diz a SPX. No entanto, há uma preocupação quanto à ancoragem das expectativas: como manter a visão futura em níveis estáveis num cenário de iminente alta de juros?

Apesar de alguma incerteza quanto ao comportamento dos bancos centrais daqui para frente, Xavier e a SPX afirmam que o efeito inicial dos juros baixos e dos pacotes de estímulo é positivo, oferecendo condições para a reativação das economias. A atual política monetária, segundo a gestora, é um "experimento" — e, em economia, não há teste controlado, como num laboratório.

Mas, como costumamos dizer aqui na SPX, “um curto prazo de cada vez”

Alocações da SPX

Veja como estão as alocações da SPX em outros mercados:

  • Juros: no Brasil, a gestora segue comprada em inflação implícita e aplicada em juros reais na parte intermediária da curva;
  • Moedas: seletivamente vendido em moedas de países emergentes com fundamentos em deterioração;
  • Commodities: posição comprada em grãos, metais industriais e energia;
  • Crédito: nos EUA, tem posições em setores que se beneficiam da reabertura econômica; na América Latina, segue posicionado em títulos com histórias específicas.

Em abril, o SPX Nimitz teve rendimento negativo de 0,06%, enquanto o CDI endeu 0,21%. No ano, o fundo acumula ganho de 7,32%.

Desempenho do SPX Nimitz em abril
Desempenho do SPX Nimitz em abril e em 2021
Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

Concursos públicos

De olho nos concurseiros, Yduqs anuncia aquisição da plataforma de EaD Qconcursos

Plataforma de cursos preparatórios para concursos públicos tem 412 mil alunos pagantes e mira mercado potencial de 17 milhões de pessoas; valor da operação não foi divulgado

Mostrando as garras

Dirigente do Fed fala em alta de juros em 2022 e admite postura mais agressiva contra inflação

Em entrevista à CNBC, Bullard disse que o Comitê Federal de Mercado Aberto (FOMC, na sigla em inglês) adotou uma posição mais dura no encontro deste mês

Entrando no pet shop

O plano da BRF: colocar comida na sua mesa e ração no potinho do seu pet

A BRF comprou o grupo Hercosul, produtor e distribuidor de ração para cães e gatos, entrando no mercado pet. Entenda o racional da operação

Tela Azul

As fintechs continuarão ameaçando bancos tradicionais? Até certo ponto sim, dizem gestores da Opportunity

No episódio #36 do Tela Azul, podcast da Empiricus, Bruno Waga e Vinicius Ferreira, da gestora de recursos Opportunity conversaram com os analistas da Empiricus sobre os rumos que o setor financeiro vem tomando. Além disso, eles dão suas opiniões sobre as Big Techs no programa.

Quase lá

Só falta um passo: ANS aprova fusão entre NotreDame e Hapvida

A consolidação das duas gigantes do setor de saúde avançou mais um degrau e aguarda agora aprovação do Cade para concluir o negócio

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies