Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2021-02-04T19:06:36-03:00
Estadão Conteúdo
saldo

Saques líquidos da poupança batem recorde em janeiro e somam R$ 18,1 bilhões

No ano passado, a poupança foi favorecida pelo pagamento dos auxílios, em meio aos esforços do governo para reduzir os efeitos da pandemia

4 de fevereiro de 2021
18:59 - atualizado às 19:06
Moeda Nacional, Real, Dinheiro, notas de real
Imagem ilustrativa - Imagem: Marcello Casal Jr / Agência Brasil

Após dez meses consecutivos de captações, a caderneta de poupança fechou o mês de janeiro de 2021 com saída recorde de recursos. Dados divulgados nesta quinta-feira, 4, pelo Banco Central mostram que saíram da poupança R$ 18,154 bilhões líquidos no mês passado. Este é o maior volume de retiradas para um único mês na série histórica do BC, iniciada em janeiro de 1995.

O recorde anterior era de janeiro do ano passado, quando R$ 12,356 bilhões líquidos haviam sido sacados. O montante de R$ 18,154 bilhões considera as retiradas ocorridas em janeiro, já descontados os depósitos feitos ao longo do mês. O resultado negativo coincide com o fim do pagamento de auxílios emergenciais feito pelo governo.

No ano passado, a poupança foi favorecida pelo pagamento dos auxílios, em meio aos esforços do governo para reduzir os efeitos da pandemia do novo coronavírus sobre uma parcela da população.

Além disso, a caderneta foi impulsionada em 2020 pela maior cautela das famílias brasileiras. Preocupadas com a renda futura e com medo do desemprego, muitas delas reduziram gastos e passaram a aplicar recursos na poupança, o que elevou o saldo. Este movimento foi o que o próprio BC chamou de "poupança precaucional".

Mês de saques

Janeiro também é, tradicionalmente, um mês de mais saques que depósitos na poupança, em função das despesas de início de ano. Entre elas, estão o IPTU, o IPVA, a matrícula de filhos em escolas particulares e os gastos com material escolar.

Neste cenário, os brasileiros retiraram R$ 263,062 bilhões brutos da poupança em janeiro e depositaram R$ 244,909 bilhões. O movimento gerou a retirada líquida de R$ 18,154 bilhões. Considerando o rendimento de R$ 1,652 bilhão no período, o saldo total da caderneta somou R$ 1,019 trilhão no fim de janeiro.

Remuneração

A poupança é remunerada atualmente pela taxa referencial (TR), que está em zero, mais 70% da Selic (a taxa básica de juros), hoje em 2,00% ao ano. Na prática, a remuneração atual da poupança é de 1,4% ao ano. O porcentual não cobre necessariamente a inflação.

Esta regra de remuneração da poupança vale sempre que a Selic estiver abaixo dos 8,50% ao ano. Quando estiver acima disso, a poupança é atualizada pela TR mais uma taxa fixa de 0,5% ao mês (6,17% ao ano).

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

Oportunidade

Raízen (RAIZ4) está barata e pode subir 75% após o IPO; entenda os motivos

Gigante do ramo de biocombustíveis estreia na bolsa no dia 5 de agosto e pode se multiplicar exponencialmente diante de três frentes de negócio que a empresa está expandindo

Coluna do jojo

Mercados hoje: resultado da Petrobras e pós-Copom — qual será o digestivo necessário?

Dando sequência à temporada de resultados, teremos mais nomes no Brasil e lá fora. O destaque, porém, fica para a Petrobras, que brilhou ontem (4) na divulgação de seus resultados, surpreendendo com lucro 68% maior que a mediana das estimativas

Escalada dos juros

Credit Suisse já fala em Selic a 8,25% no fim de 2021

Os economistas Solange Srour e Lucas Vilela esperam que o BC promova mais três altas consecutivas de 1 ponto percentual nos juros nas próximas reuniões

Aprovação do vice

Reforma Tributária: vice-presidente defende cobrança de impostos sobre dividendos

Para Hamilton Mourão a tributação sobre lucros e dividendos tornaria o sistema tributário brasileiro mais justo

Esquenta dos Mercados

Pré-mercado: ajuste pós-Copom e balanço da Petrobras devem movimentar a bolsa hoje

E mais: a temporada de balanços não dá trégua, com os ruídos de Brasília destoando do coro do Ibovespa

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies