Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2021-05-20T16:47:47-03:00
Jasmine Olga
Jasmine Olga
É repórter do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP), já passou pelo Centro de Cidadania Fiscal (CCiF) e o setor de comunicação da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo
Destaque do dia

Por que as ações de Localiza e Unidas sobem forte mesmo após ‘sinal amarelo’ do Cade?

Para especialistas, a retomada da economia brasileira traz grande otimismo para o setor e o alerta, já esperado, fica em segundo plano

20 de maio de 2021
16:39 - atualizado às 16:47
Montagem com duas alianças e os logos de Localiza (RENT3) e Unidas (LCAM3), simbolizando a fusão entre as duas companhias
Imagem: Montagem Andrei Moraes/ Seu Dinheiro

Na manhã desta quinta-feira (20), a Superintendência-Geral do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) deu um sinal amarelo para a fusão das locadoras de carros Unidas (LCAM3) e Localiza (RENT3)

Por se tratar de uma fusão complexa e que resulta em uma concentração elevada de mercado, o conselho disse necessitar de uma análise mais aprofundada, aumentando o prazo final para a aprovação da operação. Na prática, isso significa que o Cade poderá estender o prazo final para a decisão para 90 dias além do dia 6 de outubro e irá realizar novas diligências para analisar os riscos apontados por terceiros - como a Movida.

A notícia, no entanto, parece não fazer preço nos papéis, que lideram os ganhos do Ibovespa durante boa parte da tarde e que subiam cerca de 5% por volta das 16h20, de forma quase contraintuitiva. Os papéis da Movida também sobem forte fora do Ibovespa. 

Afinal, o que impulsiona as ações das locadoras nesta tarde? Para responder essa pergunta, conversei com Rodrigo Moliterno, head de renda variável da Veedha Investimentos, Bruno Madruga, head de renda variável da Monte Bravo Investimentos e Leo Monteiro, analista de research da Ativa Investimentos. 

O primeiro ponto destacado é que a decisão do Cade não é de fato uma surpresa para o mercado. Monteiro aponta que a concentração de participação de mercado - principalmente na modalidade de locação para pessoas físicas, o rent-a-car - sempre foi visto como um empecilho para a aprovação da operação. O que não necessariamente significa o fim da linha. 

Para o analista, ainda existem chances da aprovação acontecer, ainda que com ‘remédios pesados’ por parte do Cade, já que o conselho também deve levar em conta o tamanho potencial do mercado, as barreiras de entradas e a concentração regional. “Segue sendo um case positivo. Não foi negado. O mercado já sabia que essa análise era complicada e o setor guarda muito potencial de crescimento ainda, principalmente a Unidas”. 

A possibilidade de fusão entre as duas gigantes é descrita como “transformacional” para o setor e, segundo os analistas, ainda não foi totalmente precificada pelo mercado. Madruga, da Monte Bravo, indica que por conta da proposta de fusão pendente, os papéis de Localiza e Unidas provavelmente andarão lado a lado. 

O segundo ponto apontado por Madruga e também por Moliterno, da Veedha Investimentos, é a expectativa de reabertura da economia brasileira. Com a retomada, ganham os setores com correlação com questões de mobilidade. Se olharmos para o setor de shoppings, por exemplo, também veremos um avanço significativo nesta tarde. 

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

DUPLO DOWNGRADE

UBS rebaixa ação da Vale (VALE3) de compra para venda com queda do minério, apesar de dividendos

Banco suíço considera que distribuição de dividendos pela mineradora brasileira torna-se menos atraente com a cotação do minério de ferro abaixo de US$ 100

Tendências da bolsa

AGORA: Ibovespa futuro abre em queda com susto de aumento de imposto e exterior negativo; dólar também recua

A medida pegou os investidores de surpresa e o vencimento de opções em Nova York coloca o exterior sob pressão

O melhor do seu dinheiro

Uma ação para lucrar com a crise hídrica, Bolsonaro eleva IOF, dividendos da Vale e outras notícias do dia

Não é de hoje que o Brasil sofre com risco de apagão e racionamento de energia. Em 2001, o país precisou recorrer a blecautes programados e obrigar famílias e empresas a economizarem energia elétrica sob pena de aumentos pesados na conta de luz. Quem viveu a época lembra bem das trocas de lâmpadas incandescentes por […]

Coluna do jojo

Bolsa hoje: dia de bruxaria nos mercados e um novo IOF para chamar de seu

Novo decreto presidencial aumentou as alíquotas do IOF sobre as operações de crédito para as pessoas físicas e jurídicas de 20 de setembro até 31 de dezembro. Se esta notícia é negativa e pode cair mal na bolsa nacional hoje, temos também a digestão da aprovação da PEC dos Precatórios

De olho na bolsa

Esquenta dos mercados: aumento de IOF pega investidor de surpresa e vencimento de opções no exterior deve movimentar bolsa hoje

O dia deve contar com alta volatilidade nos mercados internacionais, com o quadruple witching e o investidor fica de olho na nova medida do governo

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies