Menu
2021-05-25T10:06:35-03:00
Renato Carvalho
Dragão menos feroz

IPCA-15 fica em 0,44% e tem a maior variação para maio desde 2016

Prévia da inflação oficial do mês desacelerou em relação a abril, quando registrou 0,60%, e ficou abaixo da média das estimativas dos economistas

25 de maio de 2021
9:39 - atualizado às 10:06
inflação
Imagem: Shutterstock

A prévia da inflação de maio pode ser um fator de alívio na abertura das negociações da Bolsa brasileira nesta terça-feira. Isso porque o IPCA-15, divulgado há pouco pelo IBGE, ficou em 0,44%, uma desaceleração ante os 0,60% de abril. Por outro lado, é a maior variação para o mês desde 2016.

As projeções de economistas ouvidos pelo Broadcast colocavam o IPCA-15 de maio entre 0,43% e 0,61%, com mediana em 0,54%.

Assim, o acumulado do indicador de preços neste ano está em 3,27%, e em 12 meses, em 7,27%. Este acumulado ainda preocupa o mercado, que espera o IPCA em 5,24% para 2021, segundo o último boletim Focus do Banco Central.

Em maio, segundo o IBGE, oito das nove categorias que compõem o IPCA-15 tiveram aumento de preços. O maior impacto no índice geral veio de Saúde e Cuidados Pessoais, com alta de 1,23%, respondendo por 0,16 ponto percentual da variação total.

Neste quesito, houve uma alta influência do reajuste dos preços dos medicamentos a partir de 1º de abril, o que resultou em um aumento de 2,98% para os produtos farmacêuticos em maio.

O grupo que teve maior alta no mês passado foi Vestuário, com 1,42%. Também tiveram altas significativas as categorias Artigos de Residência (0,89%) e Habitação (0,79%). A única queda ficou com Transportes (-0,23%).

Em Habitação, a grande “vilã” foi a tarifa de energia elétrica, que teve aumento de 2,31% no mês passado, quando passou a vigorar a Bandeira Vermelha Patamar 1. Houve um acréscimo de R$ 4,169 na conta de luz a cada 100 quilowatts-hora consumidos.

Os dados do IBGE mostram ainda que a inflação acelerou principalmente nas regiões Norte e Nordeste. Das capitais pesquisadas, os maiores índices e as maiores variações ficaram com Fortaleza (1,08%), Belém (0,83%) e Recife (0,65%).

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

Fome para crescer

Em mais uma aquisição, Magazine Luiza se fortalece em food services com a Plus Delivery

Segundo a varejista, plataforma de entrega de comida tem cerca de 1.500 restaurantes parceiros e atende mais de 250 mil clientes por mês

mercados hoje

Bolsa opera com alta volatilidade, à espera de fala de Powell; dólar avança

Mesmo com uma queda acentuada do petróleo nesta manhã, o setor vê a commodity nos maiores níveis desde o início da pandemia, com a retomada das atividades

O melhor do Seu Dinheiro

A rima das commodities, último capítulo da novela da MP da Eletrobras e outros destaques

A história não se repete, mas rima. Se Mark Twain fosse um analista do mercado financeiro, provavelmente seria um grande especialista em ciclos econômicos. Logo no começo da crise da covid-19, quem ousasse falar em investir em commodities ou ações de empresas produtoras de matérias-primas seria taxado de louco. As cotações de todas elas — […]

SINAIS DO BC

COMPARATIVO: Veja o que mudou na ata da reunião do Copom

Veja o que mudou e o que permanece igual na ata da última reunião do Copom — o BC elevou a Selic em 0,75 ponto percentual, para 4,25% ao ano

Outro escorregão

Bitcoin perde os US$ 30 mil, menor patamar desde janeiro; Confira como anda o mercado cripto

Isso motivou a queda das dez principais criptomoedas do mercado, em especial do Dogecoin, que cai quase 25%

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies