Menu
2021-05-19T17:09:50-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Sem surpresas

Fed reforça visão de alta temporária na inflação e política acomodatícia em nova ata

As autoridades monetárias destacaram que concordam em buscar inflação “moderadamente acima de 2% por algum tempo”

19 de maio de 2021
17:09
Ata Fed
Imagem: Shutterstock

A ata da mais recente reunião dos dirigentes do Federal Reserve (Fed), divulgada hoje (19), indicou que a compra de ativos por parte do banco central será mantida até que "progressos substanciais" sejam feitos em inflação e emprego. 

No entanto, os dirigentes da instituição voltaram a afirmar que o impacto nos preços é oriundo de pressões temporárias e que o cenário segue demandando uma política monetária acomodatícia, ainda que os estímulos monetários e fiscais venham fazendo a economia crescer.

As autoridades monetárias frisaram que concordam em buscar inflação "moderadamente acima de 2% por algum tempo".

A ata trouxe ainda o alerta sobre os riscos de se manter a posição altamente acomodatícia por um longo período. Os dirigentes disseram que a política monetária será ajustada caso surjam riscos que ameacem a meta do Fed. 

Melhora no cenário

Um dos pontos positivos foi a retirada da palavra "considerável", ao se referir aos riscos à economia dos Estados Unidos, do comunicado. De acordo com o documento, a omissão do termo reflete a melhora no cenário econômico, fruto do acelerado avanço da vacinação contra o coronavírus e de medidas de apoio fiscal.

"Os membros concordaram que a declaração pós-reunião deveria reconhecer que os indicadores de atividade econômica e emprego haviam se fortalecido, mas que, apesar de apresentarem melhorias, os setores da economia mais afetados pela pandemia permaneceram fracos", destaca o texto.

Ainda assim, os dirigentes destacaram que as incertezas seguem elevadas e que o quadro é "altamente dependente" da evolução do coronavírus, embora os riscos não estejam mais "tão elevados" quanto em meses anteriores. Alguns deles também disseram que programas de medidas de apoio fiscal podem estar "mascarando vulnerabilidades entre famílias e empresas".

* Com informações do Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

O melhor do Seu Dinheiro

A rima das commodities, último capítulo da novela da MP da Eletrobras e outros destaques

A história não se repete, mas rima. Se Mark Twain fosse um analista do mercado financeiro, provavelmente seria um grande especialista em ciclos econômicos. Logo no começo da crise da covid-19, quem ousasse falar em investir em commodities ou ações de empresas produtoras de matérias-primas seria taxado de louco. As cotações de todas elas — […]

SINAIS DO BC

COMPARATIVO: Veja o que mudou na ata da reunião do Copom

Veja o que mudou e o que permanece igual na ata da última reunião do Copom — o BC elevou a Selic em 0,75 ponto percentual, para 4,25% ao ano

Outro escorregão

Bitcoin perde os US$ 30 mil, menor patamar desde janeiro; Confira como anda o mercado cripto

Isso motivou a queda das dez principais criptomoedas do mercado, em especial do Dogecoin, que cai quase 25%

Percepção positiva

Abegás defende contratar térmicas e diz que MP da Eletrobras é ‘alavanca’ para mercado de gás

A associação afirma que a MP irá contribuir para geração de renda, com distribuição de royalties e fundo de participação, impulsionando a economia e gerando empregos

Cabo de guerra

Cresce movimento contrário à divisão da Oi Móvel entre Vivo, TIM e Claro

Empresas concorrentes e associações reforçam tese de que o mercado e a infraestrutura de serviços de telecomunicações ficarão com alta concentração

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies