Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2021-09-03T19:57:47-03:00
Estadão Conteúdo
Projeção ousada?

Promessas do ministro: até fim de 2022, dívida pública vem para abaixo de 80% do PIB

Guedes alegou ainda que o governo foi o tempo inteiro muito ativo no controle de gastos públicos, pagando a conta ao invés de jogá-la para o futuro

3 de setembro de 2021
19:57
Ministro Paulo Guedes em coletiva de imprensa
O ministro voltou a alegar que a economia brasileira teria uma recuperação em "V".

O ministro da Economia, Paulo Guedes, projetou nesta sexta-feira (3) que a dívida pública deve cair para abaixo do 80% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2022.

"Os pessimistas diziam que a dívida ia pra 100% do PIB. Possivelmente dívida encerra ano que vem em 79% ou 78% do PIB - quase onde estava onde começou a pandemia. A geração atual está pagando a conta da guerra ao invés de jogar para o futuro", afirmou, em participação no "Scoop Day", organizado pelo TC.

Guedes alegou ainda que o governo foi o tempo inteiro muito ativo no controle de gastos públicos. "Juntamos os cinco ministérios na Economia e cortamos um terço dos gastos, de R$ 15 bilhões para R$ 10 bilhões", completou.

Recuperação em 'V'

O ministro da Economia argumentou que a retração de 0,1% no PIB no segundo trimestre em relação aos primeiros três meses do ano foi apenas "uma pausa" no crescimento da atividade. Ele voltou a alegar que a economia brasileira teria uma recuperação em "V".

"O segundo trimestre foi o trimestre mais trágico da pandemia, com maior número de mortes, quando estávamos voltando ao trabalho. Foi uma ligeira pausa, foi basicamente de lado, caiu 0,05%, e arredondaram para 0,1%. Se fosse 0,04%, teria arredondado para zero. É preciso olhar demais indicadores, estamos criando empregos, a arrecadação está vindo forte e temos investimentos contratados", afirmou Guedes.

Para o ministro, os críticos que dizem que economia parou são os mesmos que previram uma queda de 10% do PIB e duvidaram da volta em "V" da atividade. "Prefiro acreditar na economia brasileira, no desempenho e no vigor que ela tem exibido, do que acreditar em pessimistas de plantão", respondeu.

Guedes voltou a dizer que a pandemia revelou 38 milhões de trabalhadores informais, que chamou de "guerreiros da informalidade". "Era um desemprego disfarçado em massa. Com vacina avançando eles estão retornando ao trabalho e veremos uma aceleração desse emprego informal, além do formal", completou.

'Momentos muito difíceis'

O ministro da Economia disse que o pessimismo em relação à economia brasileira no começo da pandemia de covid-19 se deveu à gravidade da doença. "Foram momentos muito difíceis, com tragédias pessoais e familiares. E nós saímos dos trilhos das reformas para um combate direto à pandemia", repetiu.

Guedes voltou a destacar que o Brasil é um dos países que mais aplicou a primeira dose da vacina. "Possivelmente encerraremos o ano com a maior taxa de vacinados, com toda a população adulta já vacinada. Nos Estados Unidos, tem gente que não quer tomar vacina, e no Brasil todo mundo abraçou a vacina e está se vacinando", completou.

Como ficam seus investimentos com o resultado do PIB? Confira neste vídeo exclusivo e inscreva-se no canal do Seu Dinheiro no Youtube para mais conteúdos sobre investimentos:

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

Crise dos chips

Sem carro zero no mercado, preço de usados sobe até 20% e vendas disparam – carro usado chega a custar mais que um novo

Mercado enfrenta escassez de semicondutores, demanda alta por veículos e prazos longos para a entrega

sem escassez

Fábrica da Tesla em Xangai deve terminar setembro com 300 mil carros produzidos em 2021

Marca será atingida mesmo em meio a uma escassez global de semicondutores, disseram duas fontes da montadora à Reuters

Fim da pandemia

CEO da Pfizer prevê que voltaremos à vida normal dentro de um ano, mesmo com novas variantes do coronavírus

Albert Bourla acredita que vacinação contra a covid-19 se tornarão anuais, para cobrir novas variantes, e que vacinas durarão um ano

ainda não acabou

Controladores da Alliar (AALR3) contratam XP para vender o negócio, diz jornal

Empresa de diagnósticos foi alvo, recentemente, de disputa pelo controle pela Rede D’Or e fundos ligados ao empresário Nelson Tanure

Mais recursos

Democratas aprovam pacote de US$ 3,5 tri no Comitê de Orçamento da Câmara dos EUA

Recursos serão destinados à rede de segurança social e programas relacionados a mudanças climáticas. Obtenção de quase unanimidade para aprovação no Congresso é desafio

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies